5.5.11

O CANDIDATO CHARLATÃO

«Como todos já percebemos, um excelente candidato poder tornar-se um péssimo governante, da mesma forma que um mau candidato se pode tornar num óptimo governante. Isto acontece porque as qualidades exigidas a um e a outro, não sendo incompatíveis - como o demonstram vários estadistas - , são manifestamente bem distintas: as que são requeridas na conquista do poder são cada vez mais opostas às que são exigidas no seu exercício responsável. Quando o candidato já governou, o histórico ajuda muito. Os eleitores não são, em geral, injustos nem masoquistas, pelo que tenderão a premiar o bem e a punir o mal que foi feito. A dificuldade, aqui, é que o nosso julgamento se faz com base numa percepção que é limitada, por um lado pela nossa capacidade de apanhar toda uma realidade cada vez mais complexa e, por outro lado, pelas estratégias de comunicação do governante-agora-candidato, que tudo faz para minimizar (ou apagar!) os erros, e maximizar as "vitórias". No caso dos outros candidatos, temos de temperar a atracção natural da novidade com uma observação cuidada, que procure antecipar o que será a sua eventual transformação em governantes: em termos de abertura (ouvem realmente o que se lhes diz?), em termos de verdade (cumprem efectivamente o que prometem?) e em termos de responsabilidade (respondem realmente pelo que fazem?). (...) O candidato que tudo reduz ao presente relativiza erros e universaliza responsabilidades (como alguém cantava, "é preciso que a culpa seja de todos em geral para não ser de ninguém em particular"). E reserva-se o privilégio de dar em primeira mão as "boas notícias", deixando aos outros o papel de, no dia seguinte, darem as "más".»

M.M. Carrilho, DN

6 comentários:

Anónimo disse...

cds 16% ? nao sera desta mas vai estar muito proximo.

Anónimo disse...

"...por um lado pela nossa capacidade de apanhar toda uma realidade cada vez mais complexa..."

Só as ignorantes gentes da "cultura" que na verdade são incultos porque recusam os números e as contas podem dizer uma coisa destas. Os números estiveram sempre presentes desde que como espécie estamos ao cimo da terra.
O Líder é um péssimo vigarista. Só tem sucesso porque o povo que Governa é composto por pessoas incultas. Especialmente a Elite é inculta. Não porque não tenha meios de ser culta, pelo contrário nada lhe falta, mas porque adoptaram um ideologia de esquerda que despreza a cultura dos números.

lucklucky

Anónimo disse...

Eu gostava de ver este senhor a dizer, "preto no branco": desta vez não vou poder votar no peiésse porque estarei a contribuir para que o ordinário dos pavões continue... Vou votar noutros que este fulano (este termo é quase elogioso para o dito cujo) não presta para nada!

PC

CMO disse...

Viram o comunicado de Teixeira dos Santos à CNN?

http://supraciliar.blogspot.com/2011/05/o-endividamento-continua.html

v. disse...

Este cabrão já está a pensar numa maneira de deitar as patas sujas do PS à última reserva estratégica que temos:

http://jugular.blogs.sapo.pt/2630257.html

Anónimo disse...

E se os Homens da Luta ganham a Eurovisão?