9.5.11

PORTAS E O DESFOCADO

Com o principal responsável pelo descalabro que colocou 78 mil milhões de euros entre ele e os portugueses (que os pagarão como pagaram os submarinos - não foi ele - e pagarão o tgv) à sua frente, Paulo Portas apontou adequadamente o dedo. De um lado, a descrição da realidade. Do outro, o calculado irrealismo que "o meu povo gosta" e que tanto podia ser exibido ali como num programa do híbrido Castelo-Branco. Sucede que Portas não concorre ao lugar que o outro ocupa. O outro desfocado, sim. Até já lá está. E, findo o debate, o desfocado continuou candidato ao lugar como santo padroeiro da irresponsabilidade nacional e da fantasia. As sondagens revelam que "é disto que o meu povo gosta". É mais um caso de "pau de marmeleiro" do que de "pau de cabeleira". Os clowns da commedia política que se pronunciem.

Adenda (de leitor): «O debate teve dois grandes momentos. O primeiro foi o da careta que fez o primeiro ministro de Portugal quando respondeu à jornalista dizendo que não sabia do que falava quando ela aludia ao artigo do FT que encheu os jornais, os telejornais e as rádios durante todo o dia, mentindo descarada, manhosa e psicóticamente (parca adjectivação, tal a anormalidade do calibre da criatura em causa), e o momento do espectáculo da pasta vazia, sem dúvida um dos episódios do mais profundo pretenciosismo rasca de todos os tempos. Se a apresentação do programa foi classificada no FT como uma comédia trágica, o filme de hoje deve ser aterrorizador para todos os potenciais países que se preparam para se chegar à frente e pagar o combóio de estimação do mestre de obras do Estádio de Aveiro. De barato, esta aberração política que o PS cultivou, regou, colheu e serviu aos portugueses é um prato que está para Portugal como a mosca varejeira está para o troço.»

10 comentários:

Anónimo disse...

Estranho País este onde ainda há "povo" que não sente repugnância ao ouvir tão "inocente" criatura!

amendes disse...

Depois de tudo ser posto a descoberto... pelo resultado das sondagens, fico com a impressão que o povo português se prepara psicologicamente para uma de tres coisas: suicidio colectivo, emigração em massa ou potectorar-se...nem que seja sob alçada do Uganda ... qualquer coisa serve!!!

Lionheart disse...

Não liguem às sondagens. Não vale a pena fazer juizos de valor sobre o eleitorado com base nelas, porque sstas beneficiam sempre o poder.

De resto, não vejo muito o que haja para discutir. Portugal vai ser empurrado para um governo PSD-PS-CDS (resta saber quem o vai liderar) o que é a negação da política. Os próximos anos serão deprimentes, passados a pagar a credores. Fala-se para aí nas reformas, nomeadamente na rede da administração local. Eu acredito que mexem nisso quando o vir. Andava para aí tudo à chapada. Nem um governo com os três partidos democráticos consegue atentar toda a gente ao mesmo tempo. Isto é tudo uma ficção. Iam refundar o regime sem dinheiro, não? Os 78 mil milhões são para tapar os buracos e mesmo assim não chega.

Hermitage disse...

SAI UM BOTTICELLI DE MERDA


É preciso calma.

O Psd ganha as eleições.

O Cds merece subir e sobe, bastante.

O artista vai à vida com os 29% certinhos.


Segue.se um teste a PPCoelho, que é uma carta fechada.

A gente disquerda começa a operação amnésia.

Se o novo Governo os tiver no sítio, há tanta coisa para mudar, que rapidamente ganha créditos...e a gente disquerda urra mas não faz mossa...

Agora imagine.se que o artista ganhava.

Saía a sorte grande ao louça ou ao jerónimo.

Portugal finalmente levantava.se, e o socialismo ia para aquele sitio por uma eternidade.

O artista não podia sair à rua.

A polícia andava de carroça, faltava o trigo e o gasóleo.

Seria uma espécie de pintura de socrates à Botticelli da merda.

É só escolher.

a.marques disse...

-Maior ilusão de brilho não há, com Sócrates a dar lustro ás botas na lama onde esfregava os próprios pés.
-Portas pecou por um descuido de bagagem, ao não retribuir com uma pasta de palha o brinde da vazia.
-A moderadora complacente, deu a Sócrates a oportunidade de se estrear como entrevistador.

Isabel disse...

Portas esteve brilhante. Só lamento que o voto útil me impeça de votar no seu partido.Quanto ao outro, um lixo, como sempre.Lixo altamente tóxico.

Cáustico disse...

A cena mostrou-me que o canalha, em lugar de se corrigir, refina, insiste na aldrabice.
Se Portas tivesse insistido naquela da mentira, ter-nos-ia proporcionado um espectáculo para não esquecer.
Só não compreendo, o mal deve ser meu, porque razão a oposição e Portas no debate não perguntam ao canalha onde é que ele iria buscar os 78 mil milhões que são absolutamente necessários e ainda não chegam, se o PEC IV não tivesse sido chumbado pela oposição.
O ar petulante e vaidoso é usado para encobrir uma tara perniciosa.

joshua disse...

Sua excelência explora agora um tique de sobrancelhas omnipresente e uma mansidão nova: o País é dele e só ele o defende. À paulada.

Anónimo disse...

Vê lá se um dia destes não te fodem os cornos no Martinho.

Fado Alexandrino disse...

Involuntariamente houve ontem um grande favorecimento.
O Pinóquio teve que defrontar um adversário temível e assim jogar com todos os trunfos que tinha.
Passos Coelho deve rever esta entrevista dez vezes e assim ter na mão a táctica para derrotar este aldrabão.
Mas cuidado ele em campo além de ter o árbitro (é na RTP) vai usar de todos os truques sujos em que é perito.
Se Passos Coelho conseguir sair vitorioso sem margem para dúvidas pode encomendar as faixas.
Nem precisa perder, se empatar, está arrumado.