17.5.11

VISCOSIDADES

O Afonso Camões que conheci na redacção do Semanário, à Duque de Loulé, aí pelos anos 84 em diante, não deve ser o mesmo Afonso Camões desta notícia. Ou, em alternativa, o socratismo tem poderes mágicos - que a razão desconhece - como o de transformar as melhores pessoas em répteis.

9 comentários:

Anónimo disse...

O «socratismo» é uma originalidade tuga.

Poderá ser património mundial imaterial daqui a um século.

Deixa um bom legado de «boas práticas» politicas e administrativas.

MBO disse...

Sabem qual foi a primeira certificação das Novas Oportunidades?
http://supraciliar.blogspot.com/2011/05/anedotario-6.html

v. disse...

Falta de confiança «política». Li bem? Falta de confiança política?!

Anónimo disse...

O sócrates é o pior dos ditadores, pior que o mubarak ou o kadafi: rouba o povo, destroi quem se lhe opõe, favorece os lacaios smpre com o peito inchado e a mesma cara de vendedor da banha da cobra. Continuem a votar no fdp e depois queixem-se.

Isabel disse...

O socratismo é uma espécie de substância viscosa que alastra preenchendo os espaços mais insuspeitos. Quando nos livrarmos do objecto original, será tarde demais, já que a clonagem tem sido intensiva.E ainda há quem tenha dúvidas(ou finja tê-las) sobre o voto útil.Útil é a deposição do tirano, o resto é, como por aqui se diz, folclore transmontano.

Anónimo disse...

Acabei de ouvir o sócrates dizer na Madeira que o compromisso do governo com o FMI era calibrar (sic) a TSU.
Grande novidade! Há muito que eu sei que ele é um grande CALIBRÃO.

S. C. disse...

No Semanário? Mas isso foi antes de Macau. Há muitos assim, que voltaram muito diferentes do que para lá foram. Tiques que se colam ao corpo e nunca mais saem.

Karocha disse...

Macau, pois!
Semanário também???
84...

Anónimo disse...

Claro que o Afonso não merece o tútúlo de Camões.
Ele vendeu-se pelos oitenta mil euros que recebe todos os meses.