2.5.11

MIREAU/SÓCRATES

«Defender Portugal»? Só se for dele.

6 comentários:

Anónimo disse...

A Associação Portuguesa de Bancos (APB), Automóvel Clube de Portugal (ACP), Mota-Engil, Parkalgar e Colecção Berardo estão entre as entidades beneficiadas. O ACP recebeu 1,4 milhões de euros, a APB 1,3 milhões, a João Lagos Sport 1,2 milhões e a Colecção Berardo um milhão, de acordo com o "Correio da Manhã". No total, o Estado gastou em 2010 mais de 560 milhões de euros em subvenções.

lamas disse...

Haja esperança.
O terrorista internacional Bin Laden foi anuquilido.
Espera-se que o terrorista nacional Socrates também o seja (em sentido figurado óbviamente) nas urnas.

amendes disse...

(...) " Eu tenho o curso de engenheiro... não precisava desta vida para nada... estou aqui para salvar Portugal...Não "tou" aqui p´ra enganar ninguem... o meu o "produto" pode ser atestado pelas mais altas porsanlidades da ciencia nacional e mundial: tais como Josef Lello,Edite Star... Almeida Santos...Cesar of Azores e tantos outros... Sai um frasco para aquele cavalheiro... outro para aquela senhora... Cheguem para lá garotos a qui só se quer gente de rsponsabilidade...Aqui não vendemos "patinhas de coelho.".. tudo isto é real... obrigado... Santana... Ok mais um pró Pacheco...força Sarmento... Isto é viagra para vossa lingua...
....
ALDRABÃO... adeus ó colega!!!

Feira da Ladra 3/5/2011

Anónimo disse...

Quando vejo este homem a emporcalhar a honorabilidade que a política pode e deve ter com acusações sobre a intenção do PSD passar os recursos do Estado para as escolas privadas depois de, ele mesmo, ter começado a entregar património do Estado à Parque Escolar, pergunto-me onde anda o jornalismo, a justiça, o Procurador-geral da República, o MP e todo o bando de bem-falantes democratas que povoam este terreno baldio a que chamam Portugal. É tão rasteiro, tão miserável, tão sujo, que chega ao ponto de dizer que o PSD não tem programa e ao mesmo tempo explicá-lo ao povo. Com gente desta a política desaparece para dar lugar ao truque, à trapaça, ao trocadilho, ao engano, à mentira, à omissão e acabar em desgraça. Mas com este devemos ter todos um cuidado especial e mais apurado, porque este é do género que depois de comprometer a vida dos portugueses para os próximos 100 e submeter dezenas de milhares de famílias à emigração quase compulsiva, é capaz de ainda querer dar cabo da União Europeia.

Anónimo disse...

É verdade. Temos que nos defender deste ranhoso! Portanto, que ninguém fique em casa. Não temos um projecto que nos mobilize, mas sabemos bem aquilo que não queremos... Mais banha da cobra não! Fora com o dito cujo!

PC

Anónimo disse...

Pinto-de-sousa tem sérias hipóteses de ganhar; ou, perdendo por pequena margem, manter-se aos olhos de um certo povo como um estóico...; e um "defensor". Aquele que defende o 'estado social' - o tal 'estado' que troikas e penúrias em série obrigaram, obrigam e obrigarão qualquer governo ou quadrilha a modificá-lo total e profundamente. O povinho temeroso e ébrio quer é esmola eterna e poder ir à Caparica. Nem a meteorologia tem ajudado (!), nitidamente comprometida com o PSD e o FMI. O aldrabão-de-feira, o cigano-ladrão-de-gado, o mentiroso da tenda dos matraquilhos, o chulo da barraca de tiro, o domador da Mulher-Aranha, o mecânico do Poço da Morte, o electricista-celerado dos carrinhos de choque, o banha da cobra do palanque: é esta nódoa tóxica que o eleitorado quer; não por "sanidade mental" ou "por querer que os políticos se entendam" - duas cavalidades babujadas por dois ectoplasmas das televisões - Júdice e Marcelo. Mas apenas por usarem bimbamente a cabecita gasosa. É nisto que pinto-de-sousa e o uniforme-PS apostam, pronunciando constantemente slogans de feira e oferecendo esferográficas e secadores de cabelo como o major Valentim Loureiro. O que mais aprecio é a musiquinha épica e triunfal - tipo Guterres/estados gerais/Kim-Yong-Il - que anuncia sócrates a entrar nas salas e pavilhões, para gáudio dos escravos; as televisões não perdem esses momentos ricos, os actores não se descompõem, os delegados batem as palmas, os jornalistas não se atrevem - mas crivam o titubeante Passos de perguntas agressivas e exigências de esclarecimento. Só existe um 'ele', e ele medra excrementício, porque Portugal não se defende de si próprio.

Ass.: Besta Imunda