20.10.09

CIDADÃO DO OUTRO MUNDO

20 comentários:

maria disse...

"vilipendiar povos e confissões religiosas" é feio é certamente um golpe publicitário mas não vai ser agora no nnnn livro que nos vamos chatear isto é "atentatório da consciência e sentimentos dos outros" tem razão

radical livre disse...

no alem tejo durante as crises dos anos 40 e 50 comiam as ervas daninhas conhecidas por saramago, também chamado rábano, da família das cruciferas.
este inquisidor-torturador também pertence á dita família.é uma cruz que temos de suportar.
"até quando abusarás da nossa paciência"
PQP

Anónimo disse...

Lembram-se, há uns anos atrás, quando Saramago foi premiado com o Nobel, perguntaram ao Sr. Paulo Futre, durante uma conferência de imprensa, se conhecia o Sr. Saramgo? Logo devolveu outra pergunta, um pouco "intrigado" por não saber de alguém importante.
Quem é esse gajo?
Peço desculpa, mas ainda se importantam com os dislates deste senhor?
Quero lá eu saber o que diz sobre o que quer que seja.
Sou católico e confeço que isso nada me incomoda. Quero dizer que as minhas "convições angulares" na vida exemplar de Cristo. É isso que procuro seguir. Como cristãos devemos estar seguros dos pilares da nossa FÉ e não valorar as palavras do Sr. Saramago.
Aliás tem dito outras coisas muito disparatadas a propósito de Nòs Portugueses. Perdoai-lhe Senhor.

Alves Pimenta disse...

Há coisa de 40 anos, no jornal onde trabalhava, o Saramago era, pura e simplesmente, odiado pelo resto da redacção. Ninguém lhe falava. Ele, aliás, fora remetido para um gabinete à parte, onde escrevia "editoriais", que veio depois a publicar em livro.
Só quem o não conheceu desse tempo e do que viria a fazer depois no "DN" pode ter alguma consideração pessoal por ele.
Já quanto à sua faceta de romancista, não posso opinar, porque nada lhe li nem tenciono vir a ler.

De nihilo nihil disse...

Não havia aí um indivíduo a vender terrenos na Lua? Uma "geminada" banhada pelo mar da Serenidade era supimpa para final de carreira.

carlos disse...

Esse anormal alguma vez terá lido o "Cântico dos Cânticos"?
Credo, que blasfémia.
Queime-se rapidamente.

Anónimo disse...

Já nisto espanta-me a sua falta de abertura. Não pode saramago pensar o que quiser e dizer? E não podem os seus detratores pensar e dizer o que quiserem?
Que mal tem o que Saramago disse? Na minha opinião, até tem razão - assim dito num conjunto de frases sintéticas. A Bíblia é iligível. E tomada à letra é isso mesmo: um manual de maus costumes de violência e disparates. E ela foi tomada à letra durante muito tempo. Tal como o Corão ainda é em muitos lugares.
O pensamento racional europeu foi obrigando a organização IC a instituir um manual de instruções para a leitura da Bíblia (e em especial dos textos ou dos livros que interessam aos cristãos romanos). E exegése do texto da Bíblia é uma mediação que serve para salvar a possibilidade de a Bíblia não ser simplesmente tomada como... um conjunto de livros disparatado (no sentido grego).
Outra coisa é acreditar em deus, ser piedoso e ser religioso.
A Dra Cunha e Sá saberá se Saramago leu a Bíblia? Como se pode saber? Eu imagino que ele tenha lido senão toda, pelo menos partes (foi o que eu fiz e fiquei com a mesma ideia de JS já há muitos anos).
Ela diz que ele não leu, porque, se tivesse lido não dizia o que ele disse, depreende-se. Mas será que a senhora leu a Bíblia?
Alguém leu a Bíblia? (alguém dos comuns mortais, claro)
É que tenho sérias dúvidas que as pessoas saibam do que estão a falar. E tudo isto me parece demasiado parecido com a cena das caricaturas de maomé, mas ao contrário: essas pessoas são agora "os" muçulmanos.

Pedro C Caldas

Anónimo disse...

De forma inteligente, Saramago fez a propaganda do seu novo livro "Caim" dizendo mal da bíblia. A provocação, em termos publicitários, é bastante eficaz. Disso ele não se esqueceu. Desde os tempos do PREC em que escrevia, no DN, espalhafatosas notícias sem qualquer fundamento como a célebre invasão da Nato a Lisboa para acabar com as designadas forças progressistas da esquerda revolucionária. Está tudo lá escarrapachado. Basta ler os DNs da altura.

Anónimo disse...

Dizer que a Bíblia é um manual de maus costumes constitui um autêntico disparate. Equivale, sensivelmente, a dizer que um romance que trate do homicídio, do incesto, da sodomia, do roubo, do adultério ou de qualquer outra anormalidade, é um manual de maus costumes! A Bíblia é também a história de um povo que, nos seus momentos de grandeza e de miséria, vai descobrindo, pouco a pouco, a verdadeira face de Deus, aquela que Jesus Cristo nos revela no Novo Testamento. Quem é que há-de explicar isto ao Saramago? O problema é ele querer explicações. Ele já sabe tudo!

Anónimo disse...

Diz-se que é a espanhola é que escreve parte do que o Nobel publica.
Como escritor pouco ou nada se aproveita deste Nobel fabricado.
Aquilino Ribeiro ou Miguel Torga é que mereciam ter recebido o galardão mas nunca o conseguiram porque no Nobel também há muitos cordelinhos a mexer. Ou não?

Anónimo disse...

José, a arteriosclerose é lixada!

Cáustico disse...

Não consigo explicar a razão de ainda não ter lido nada do que Aquilino Ribeiro e Saramago escreveram. O certo é que nunca tive interesse em ler fosse o que fosse destes trastes e ainda bem que o fiz.
Não sabia quem era Aquilino até ao dia em que a TV mostrou todos os trabalhos de preparação para o assassínio de D. Carlos e de seu filho D. Luís Filipe. Fiquei a conhecê-lo e bendisse a hora de nunca ter comprado um livro seu.
Com Saramago aconteceu outro tanto.
Fiquei a conhecer o estofo desta besta das letras depois que me passou pelos olhos o seu currículo no DN.
Entrou ultimamente pelo campo religioso, direito que lhe assiste, escrevendo o Evangelho segundo Jesus Cristo e agora Caím, personagem do Génesis que escolheu para comentar, pelo facto de constituir quase a sua alma gémea.
Não estou com disposição nem tenho tempo para comentar as bacoradas que saíram de boca tão nojenta. Apenas lhe lanço um desafio: Se gosta tanto de fazer evangelhos porque não escreve o Evangelho Segundo Estaline. De igual modo, atendendo ao seu gosto pelos ensaios, porque não escreve um ensaio sobre a pulhice? Seria trabalho para poucas horas dado o conhecimento que, naturalmente, deve ter de si próprio.
Basta olhar para o seu rosto para nos apercebermos do esterco que há no seu interior.

Anónimo disse...

Não consigo entender todo este alvoroço com o sr. nobel.Porque fomentem esta publicidade que só o beneficia? Façam como eu nunca O li nem tenciono ler,Francisco

Félix Esménio disse...

Saramago é o alfa e o ómega do conhecimento bíblico.
Ele não confia na exegese cristã porque ele produz a sua própria exegese.
A crítica a Saramago, o supremo ateu, é um sinal evidente de intolerância religiosa.
A crítica de Saramago aos cristãos, judeus e crentes em geral, é pautada pela sensatez e iluminação quase divina.
Acordai dormentes para estes velhos conceitos de liberdade e verdade. Saramago esclarece. Ele, a elite, Nobel, lídimo representante da nomenclatura do “politburo”, proclama a verdade, em exclusivo e a título quase gracioso. Os outros, séquito de imbecis, inimigos do povo, praticam a hostilidade contra a genuína inocência e candura.
Saramago arrisca a escrever e a dizer, segundo o próprio, porque as fogueiras da inquisição já não queimam. Os outros, os críticos do iluminado, arriscam a escrever e a dizer porque, graças a Deus, não vivem numa república socialista, em que as amplas liberdades eram apenas apanágio das vanguardas emergentes da revolução proletária.
O raio que o parta (em sentido literário e não literal, claro está)!
Sinceramente acredito que vozes de burro não chegam ao céu. Ou chegarão?

De nihilo nihil disse...

O homem é um completo imbecil, senil e malcriado.

Anónimo disse...

Senhor Cáustico
Se acredita em tudo o que a TV lhe transmite e forma as suas opiniões a partir só do que lhe dizem, então realmente o Senhor é já um caso muito adiantado de "Manipulação aguda".
Segundo os mais abalizadas clínicos, a última fase da doença, transforma o paciente numa pedra com dois olhos o que, espero,ainda não lhe tenha acontecido.
Se apesar de tudo quiser tomar algum remédio que retarde o avanço da maleita, sugiro-lhe umas pílulas de qualquer dos seguintes medicamentos: Ramalho Ortigão, Eça de Queirós, Camilo Castelo Branco, Abel Botelho, Raul Brandão, Fialho de Almeida, Ferreira de Castro, Vergílio Ferreira e Miguel Torga.
Se sentir melhoras, como espero, vai ver que se lhe abrirá o apetite e procurará as termas de Aquilino Ribeiro ou Alexandre Herculano, para um restabelecimento mental mais prolongado.
Refiro apenas medicamentos estrictamente nacionais que têm aprovado muito bem em casos desesperados. Não pense numa cura rápida, pois os remédios indicados têm de ser tomados com parcimónia e desejo íntimo de se curar, que é meio caminho para a cura. Leva anos.
É desaconselhado o medicamento nobélico porque é difícil de tomar como o óleo de fígado de bacalhau e não dá quaisquer garantias de cura.
Despeço-me com os sinceros votos de que experimente boas melhoras.

Anónimo disse...

Os adeptos de qq religião têm o mesmo problema dos fanáticos do futebol. Não se pode sequer criticar o clube ou o seu presidente. É uma doença grave.
Como diz o Saramago (que ganhou a vida a trabalhar no duro, e a partir de certa altura, talvez menos, mas ainda assim, trabalhando afincadamente, ao contrário dos senhores da religião que não fazem a ponta de um corno, não pagam impostos, e gozam dos maiores privilégios que a Natureza pode conceder ao homem,. já não há Inquisição... Tudo o que se possa dizer contra o livre pensamento do homem é uma tentativa falhada de reeditar um dos crimes mais hediondos que foram cometidos pela própria Igreja, que agora se sente tão ofendida...

Anónimo disse...

Certas pessoas, mesmo com polémica, não venderiam livro nenhum, pelo simples facto de não terem capacidade para o escrever.
Deixem-se de palermices e façam qq coisa de original.
Criar um blogue para dizer uma larachas sobre tudo e sobre nada já está muito démodé.

Anónimo disse...

Tanto beato junto...
A biblia tem mais mortes violentas que o filme Win, part deux...

Que os deuses vos iluminem a mona...

Cáustico disse...

Anónimo das 10,42

Não sei se é familiar de Aquilino Ribeiro. Se não é parece, dada a forma como reagiu à citação que fiz sobre os preparativos do regicídio.
Se aquilo que a TV apresentou relativamente a incentivos e certa cooperação de Aquilino no regicídio não corresponde à verdade, porque não impôs à TV um desmentido categórico? Que eu saiba ficou calado. E digo que eu saiba, porque não leio os jornais por força do princípio que para mim estabeleci, já há algum tempo, de não pagar a quem me mente descaradamente, nem passo o meu precioso tempo de olhos na televisão. Vejo os noticiários da TV numa tentativa de procurar saber o que se passa no mundo, o bom e o mau, e, por tal motivo, o desmentido, se o houve, passou-me despercebido.
Se a TV mentiu mais uma vez, o problema é dela e dos familiares de Aquilino.
Afigura-se-me, por isso, absurdo e de muito mau gosto, as insinuações que faz.
Tenho 84 anos e, com a graça de Deus, estou de boa saúde física e mental, facto que me tem proporcionado o mínimo recurso a médicos e muito menos ainda a curandeiros, como dá mostras de o ser.
Se considero verdadeiros os factos e as informações que a TV transmite e não são desmentidos, onde está o erro? Julga que a mezinha de curandeiro que propôs poderá contribuir para o aumento da desconfiança que já sinto por tudo e por todos?
Há uma passagem na obra de Júlio Diniz, Os Fidalgos da Casa Mourisca, em que o autor afirma que um dos filhos do fidalgo quando apertava a mão de um homem fazia-o porque o considerava um homem de bem. E nunca terá apertado, em toda a sua vida, a mão a um bandalho camuflado de homem de bem?
Comigo passa-se outro tanto. Aperto a mão a todos os homens com quem tenho de lidar porque os considero honestos, correctos, incapazes de uma vilania, com as mãos limpas em todos os sentidos. Àqueles de quem acabo por saber que não passam de pulhas, retiro a minha habitual forma de cumprimento.
Antes de terminar, permito-me perguntar-lhe: Qual é a sua opinião sobre os casos da menina Joana e da menina inglesa que desapareceram ou foram mortas; qual é a sua opinião sobre os casos Cova da Beira e Freeport? Casos que foram muito badalados na TV.