15.10.09

ATÉ AO FIM

Saramago "acusou" Bento XVI de cinismo e a Igreja de reaccionária. Pulha até ao fim.

22 comentários:

ATTO VEN E OBGDO disse...

Saramago: nas costas dos outros, vê as suas.
E enfim, a idade não perdoa.

angelo ochoa disse...

Por mim, também posso classificar Saramago de velho míope, ignorante do tempo, de curtíssimas vistas de desgastadas cartilhas... Mas, claro está, como dono da «verdade esquerdina», ele classificará, por sua vez, «minha boca» de... «boca da reacção» ...Lástima que espécimes como ele não entendam que sem sol não haverá amanhã!

Roberto Ceolin disse...

coitado...

Joaquim Alves disse...

Esse tal de Saramago, não é espanhol???

ana laura disse...

É a este torpe que a câmara municipal de Lisboa vai entregar a Casa dos Bicos, Monumento Nacional. Há por aí alguma petição para assinar contrariando tal vandalismo?

Anónimo disse...

O nome do blog é um anátema que empresta sentido ao "estudo incessante do pior". Não perca de vista, porém, a esperança na desesperança, e (re)leia “A Estrada”, de Cormac McCarthy, que lhe valeu o Nobel da Literatura em 2006.
Cumprimentos,

Carla Jané

Alves Pimenta disse...

Esse, sim, é o perfeito filho da puta.

www.angeloochoa.net disse...

JG:
Quando disse que 'sem sol não haverá amanhã', quis somente dizer que sem convicções fundadas porque vividas.

Post scriptum: (a anónimo): quando falamos da 'Estrada' e de Cormac MacCarthy falamos de outra coisa....

Obrigado.

Anónimo disse...

Deram-lhe corda e cada vez está mais convencido. Há por aí mais...

Amélia das Marmitas disse...

Essa erva daninha, o Saramago da berma das estradas castelhanas, devia tentar ler um pouco da obra do Cardeal Ratzinger. Tomara ele conhecer o mundo em que todos vivemos, como Bento XVI evidencia em cada parágrafo.

Anónimo disse...

Pobre Saramago! Sem qualquer rancor, porque seria manipulá-las sacrilegamente, convinha lembrar as palavras de Cristo na hora da sua morte: " Pai, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem". Neste caso, é mais "o que dizem". Só que as palavras nunca são só palavras. Têm consequências.

Garganta Funda... disse...

Com tanto pulha que circula neste inferno de Mundo, vem agora esse macaco nobelizado chamar "reaccionário" ao Santo Padre por defender os valores ancestrais da Humanidade.

É conveniente lembrar que este «intelectual social-fascitóide» estava na lista da cloaca do Costa...

Nuno Castelo-Branco disse...

Se Bento XVI lhe enviasse um legado papal, propondo-lhe uma grande Ordem pontifícia ou um título principesco da Igreja, o "lame-oro d'España" mudaria logo de opinião.
Na verdade, o Saramago não tem noção...

Anónimo disse...

Todos nós sabemos que este blogue é propriedade do nosso amigo J.G e portanto só lá coloca o que muito bem quiser, mas em nome de leitores diários e anónimos,tomo a ousadia de pedir a capa do P.P ,tão alegre e nos leva a sentir em nossa casa........

Anónimo disse...

Vozes de burro não vão ao céu.

Merkwürdigliebe disse...

Quem é Saramago?

s. m.
1. Botânica. Planta crucífera comestível, vulgar em quase todo o país e que cresce sem cultura.

2. Personagem burlesco de farsas.

Anónimo disse...

Apesar de ignorante como um socretino, o homenzinho não é completamente destituído. Bem lá no fundo, sabe que jamais passará de uma nota de rodapé, poi nobeis há muitos. Daí o azedume e a raiva. Cunhal, como qualquer pessoa com os mínimos, desprezava-o.

observer disse...

Pelos vistos há os perfeitos e os (im)perfeitos filhos da puta.

Do u remember João Gonçalves?


observer

Anónimo disse...

Afinal McCarthy ganhou o Pulitzer; eu atribuía-lhe o Nobel e ao meu querido Padre Telmo Ferraz o da Paz: nos anos 60 “O lodo e as estrelas” valeu-lhe o exílio no Ultramar, na Casa do Gaiato de Malange, onde permaneceu até 2009.
Cumprimentos,

Carla Jané

maria disse...

O Sr. Saramago havia de ler outro Sr. que inspirou o Papa Bento XVI para ver o que é bom para tosse - oyente de la palabra de Karl Rahner!

Anónimo disse...

Saramago - BOTÂNICA - nome vulgar de umas ervas daninhas, comestíveis, anuais ou bienais, da família das Crucíferas, frequentes nos terrenos cultivados de Portugal, e também chamadas rábano-silvestre, rábano-bastardo ou saramago-maior e labresto.
No outro tempo, como era funcionário do DN, teve de assinar uma declaração de que não era comunista e que não perfilhava tal ideologia; coisa normal num Estado que, por Constitiução, era anti-comunista. Perjuro foi.
FdP foi quando "denunciou" os seus colegas do DN aos abrileiros do PCP.

Anónimo disse...

O autor deste sítio aprecia Céline e odeia Saramago. É um direito dos mais banais nas democracias.
Pena que muitos não saibam que Céline, o homem, é considerando o ser mais ignóbil e cobarde que a humanidade pariu. Porém, um dos escritores mais brilhantes da mesma humanidade. Quando falamos de homens-escritores, temos de ser claros e clarividentes: o homem e o escritor quase nunca co-habitam.
De qq modo, a História se encarregará de demonstrar que, em relação ao papel do Cardeal e da Igreja Católica, não é o único a pensar o mesmo.