7.4.10

RANGEL, DO AMARAL E A MINHA PADEIRA, 2


A "comissão parlamentar" onde estiveram Rangel, o sr. do Amaral e o ministro S.Silva intitula-se, ironicamente, "de ética". «Todas as coisas dignas de atenção são tão difíceis quanto raras», escreve Spinoza do final da sua Ética. Ora coisas como Rangel, do Amaral ou S. Silva não rareiam. Não merecem, tipicamente, a menor atenção.

3 comentários:

radical livre disse...

estes ilustes jarrões desta pífia republiqueta nacional-socialista
lembram as 7 pragas do Egipto
verdadeira peste negra

os abrantes e eduardos são as pítias do oráculo

missphilosophist disse...

Pois é, Comissão Parlamentar de Ética! Muitas vezes pergunto-me se leram, por ventura, a Fundamentação da Metafísica dos Costumes de Kant, que é um livro que se estuda no 12º ano! A "Ética" de Espinoza é um livro muito mais complexo, talvez do único filósofo de descendência portuguesa, que foi capaz de sistematizar um pensamento. É um livro incrível, sem índice, por isso: "O orgulhoso ama a presença dos parasitas, ou dos aduladores e odeia, pelo contrário, a dos generosos" (Relógio d´Água, Int. Joaquim de Carvalho, pág. 412).

De nihilo nihil disse...

O Sr. Rangel parece uma daquelas cornetas antigas de plástico com cores berrantes e que azucrinavam até à demência o mais sereno dos cidadãos.