7.9.10

A DÍVIDA, A DESPESA E O "UNIONISMO"

Antes de prosseguir, reafirmo o meu apoio (que não tem a menor relevância cósmica ou outra) a uma recandidatura de Cavaco Silva por razões indisputáveis de barreira intelectual (minha) contra o disparate incomensurável. Todavia, o "juntismo" e o "unionismo", ontem proposto em Lamego, resolve uma despesa pública que aumentou 4% em sete meses contra os 14% de diminuição da grega - com o FMI que já cá devia estar, pelo menos, há sete meses -, os 2,7% de baixa da irlandesa e os 2,5% de redução da espanhola? Ou uma dívida soberana que não pára de aumentar? Com o devido respeito, há "unionismo" possível com celerados lá dentro?

Adenda: O Filipe tem razão. O "europeísmo" do tratado porreirista - o eixo franco-alemão mesmo sem eixo - exige ver as contas antes, sobretudo as da periferia. Decorre daquele princípio de que quem bebe pelo gargalo, compra a garrafa.

14 comentários:

Manuel Brás disse...

A despesa pública da nossa desgraça...

Por um caminho espinhoso
tão duro como decadente,
este regime vergonhoso
é totalmente imprudente.

Neste mundo de aparências
e falsas estabilidades,
germinam tantas deferências
lotadas de boçalidades.

Garganta Funda... disse...

Dr. João:

Sendo V. Exª. um homem inteligente,
o melhor será demarcar-se da candidatura do Prof. Cavaco Silva.

Cavaco Silva é um dos pilares deste regime.

Ele já anda cá desde 1980, como Ministro das Finanças de Sá-Carneiro.

Se ele levou o partido dele (o PSD) aos píncaros da vitória, também foi ele que esfrangalhou o mesmo partido e o mantem refém dos seus humores, rancores e ambições pessoais.

Na galeria dos responsáveis pela actual tragédia colectiva de Portugal, Cavaco Silva tem assento garantido por mérito próprio.

Não compreender isto é não ter «dó» de Portugal e dos Portugueses.

E demarcar-se desta candidatura do «juntismo» oportunista e do «unionismo» bacoco e nihilista, não significa que vá por aí desfraldar bandeiras do Alegre, do Nobre, do Francisco Lopes ou do ignoto Moura.

Demarcar-se desta candidatura é sinal de inteligência e independência.

Deixe esse trabalho para os engraxadores de serviço e para os tarecos da praça.

João Gonçalves disse...

Seja realista, garganta. É apenas isso.

Anónimo disse...

Apoiar o Cavaco é algo que só fazem aqueles que lhe devem pessoalmente alguma coisa. Não é pois dignificante, para si João Gonçalves, apoiar alguém que, na praça pública, faz tudo ao contrário daquilo que você, e muitos de nós, gostaríamos. A mesma tendência se observa com Pedro Santana Lopes. Descupe a franqueza, mas digo-lhe isto acima de tudo porque respeito e valorizo as suas opiniões.

Anónimo disse...

Sobre cavaco já aqui escrevi muito. Prefiro citar Cadilhe (de quem nunca gostei): "é preferível uma crise política a um mau orçamento". Melhor ainda, afirmo que me estou a cagar para o OE; melhor um país a duodécimos e vergastado pelo FMI do que este visco pestífero que o PS e pinto-de-sousa revolvem diariamente.

Ass.: Besta Imunda

João Gonçalves disse...

Tem razão, despesa. Os outros comentadores estão tão obcecados contra o CS que nem deram por isso.

Luis Moreira disse...

Maratona poética:http://estrolabio.blogspot.com/2010/09/maratona-poetica-pessoa-aristoteles-e.html

Anónimo disse...

Mas isto é de rir :

- «Cavaco Silva pede aos portugueses que ponham de lado as divisões».

Quere-se dizer, num regime que endeusa e proteje as facções, os partidos e as divisões, o Presidente, agoniado com toda esta merda, apela à união dos portugueses.
A coisa é de facto bipolar ...

Anónimo disse...

Mas isto é de rir :

«Cavaco Silva pede aos portugueses que “ponham de lado as divisões”».

Quere-se dizer, num regime que proteje e endeusa as facções, os partidos e as divisões, o Presidente, agoniado com toda esta merda que não pára de se agravar, pede a união dos portugueses ...

Razão tinha «O Outro» da velha senhora, qu'isto só vai à porrada da séria !

Anónimo disse...

João,estou-me borrifando para o cavaco, neste momento, já lhe tive muito pó. Mas, a um homem cujo a única preocupação é ser presidente, num mundo que está a desabar e num país em grandes dificuldades por culpa de quase todos os governantes, inclusive o sr. cavaco, este homem merece o quê?!Quanto à despesa, não vale demagogia. O primeiro ministro que mais se preocupou com ela foi Sócrates, o seu primeiro governo fala por si. Sou professor sei do que falo por que senti as reformas, mas foi na saúde, na segurança social,etc. Agora, os que querem baixar a despesa e eram a favor do pagamento das scut e agora andam adiar, criticam o encerramento de escolas e de hospitais. A sua verdadeira preocupação é a das deduções fiscais!!Dos que têm mais dinheiro.Só enganam quem quer ser enganado. Mas apesar de controlarem os media, tenho a leve sensação que o povo já os conhece. Aliás, eles cometem sempre o mesmo erro, que é pensar que o povo é muito estúpido,mas o povo às vezes engana.

Anónimo disse...

Os outros já disseram tudo. Um valente susto no Cavaco seria bem merecido, já o escrevi...

PC

Mau Tsé Tsé disse...

«Cavaco Silva pede aos portugueses que “ponham de lado as divisões”».

Ou seja, pede aos portugueses que façam como ele: colaboracionismo com o querido líder.

Anónimo disse...

"O primeiro ministro que mais se preocupou com ela foi Sócrates, o seu primeiro governo fala por si."

Está mal informado.
Em nenhum ano a despesa deixou de crescer, e muito mais do que cresceu a economia. Em 31 Março 2005 a Dívida Publica 92 mil milhões de Euros, em Outubro de 2009 era de 129,78 mil milhões. Ou seja durante o 1ºGoverno Sócrates a Dívida cresceu 40%.

A economia cresceu quanto no mesmo período?
Precisávamos de ter crescido 10% ao ano para compensar.

lucklucky

PS: pode consultar aqui
http://www.igcp.pt/
Publicações - boletim mensal. Página 2, valores da dívida total.

Alexandre Carvalho da Silveira disse...

Este sr anonimo para professor escreve muita asneira; então o Socrates foi o que mais se preocupou com a despesa? só se foi para a aumentar. Se o celebre defice de 2,8% fosse medido com os criterios dos defices de 2003, 2004, e 2005( os celebres 6,83%) tinha sido superior a 4,2%. A unica grande preocupação de Socrates é enganar os portugueses, que é o que ele faz todos os dias.
Quanto à reeleição de Cavaco, parece-me que aqui não há grandes duvidas: ou é ele ou o Manuel Alegre. Portanto é só escolher. Mas os portugueses estão demasiado perto da catastrofe, para se poderem dar ao luxo de dizer e escrever parvoices como: estou farto do Cavaco.
Quanto ao resto concordo com a Besta Imunda: não há que ter medo das crises politicas: geralmente servem para clarificar muita coisa.
Os credores não nos cobram mais ou menos por termos orçamento ou não. O orçamento é apenas um instrumento. Os juros são mais altos ou mais baixos de acordo com as performances do governo e da economia. E o que se vê é que eles sobem todos os dias. Por isso, rua com esta tropa que está a destruir um país, e ainda há quem os gabe.