23.9.10

PASSOS PEDESTRE


O dr. Passos, contrariamente ao que parece, está apenas relativamente interessado no orçamento. O orçamento é um pretexto de que ele precisa para se estabelecer como líder do PSD, devidamente instigado por esse prodígio intelectual luso-árabe que é Ângelo Correia. Este e mais dois ou três oráculos obscuros terão convencido Passos a não ceder no orçamento e, se tal for necessário para preservar Passos, a acabar por o inviabilizar. Por causa do "interesse nacional"? Não. A coisa é mais pedestre. Passos e os seus - e Ângelo, desde a conspiração dos pregos na rua de 1981, é um reputado especialista em teorias dela - pretendem demonstrar que são "autónomos" de Cavaco e que, mais do que isso, receiam ficar "reféns" num segundo mandato do PR. Todavia, alguém poderia tentar explicar duas coisas a Passos. A primeira, dado o estado comatoso como nos apresentamos lá fora perante os credores, é que ninguém perceberia uma trapalhada doméstica por causa de ciúmes e de infantis necessidades de afirmação. A segunda, e aí entra Sócrates e a sua incansável trupe comunicacional, consiste em Passos ficar com o odioso de ter empurrado o país precisamente nos dois centímetros que faltavam aos quilómetros do outro para caírmos no abismo.

14 comentários:

Zé Rui disse...

Acho curioso que alguém possa pensar que com o Orçamento evitamos cair no precipício......

Nós já caímos no precipício....apenas ainda não batemos no chão........

floribundus disse...

já apareceu o gaioso minezes.
o Ângelo nunca aceitou não ter pertencido à 'entourage' do PR.

«o país está à beira do abismo;
é necessário dar um passo em frente»

siga o enterro laico e socialista.

Anónimo disse...

Parece que portugal inteiro veio agorinha mesmo de férias e que, de repente, começou a ficar alarmado e a preocupar-se com o orçamento. Que pena... depois do santo Agosto autista e morfinómano, em que mais ninguém pensou em juros, dívida, déficit, cortes na despesa, desemprego, abismo, parcerias-encalacrantes até ao ano 3000, FMI. E os cortes...
Que até deviam ser já de 10% e para todos!!

Ass.: Besta Imunda

Mani Pulite disse...

PASSOS AQUI TEM RAZÃO .NEM MAIS UM TANGO COM O GRANDE ALDRABÃO AGORA QUE NADA NEM NINGUÉM CONSEGUIRÃO EVITAR A BANCARROTA SOCIALISTA DO ESTADO PORTUGUÊS.EM 2011,DEPOIS DA REELEIÇÃO DE CAVACO,CHEGARÁ FINALMENTE A HORA DOS PORTUGUESES AJUSTAREM CONTAS COM O SENHOR JOSÉ SÓCRATES PINTO DE SOUSA E A CAMARILHA SÓCRETINISTA.

Anónimo disse...

Não se pode governar(?) com duodécimos?
Pelo menos não se fariam despesas estúpidas - penso eu...

floribundus disse...

meu caro Irmão
esqueci-me de lhe dizer que o Senhor Alemão de c. de Ourique esteve em Espanha com o Alm. Canaris a preparar a acção dos revoltosos de 1936 cujo dirigente principal era o Gen. Sanjurjo. compravam armamento para a Alemanha mas este era guardado em Espanhaà espera da noite da revolta. conheceu Mata-Hari. esteve na Escandinávia (água pesada). visitou a fábrica das V2 e da concentração de urânio.
nunca ninguém quiz recolher o seu depoimento.

Anónimo disse...

Por uma vez não concordo. Será que haver orçamento a todo o custo é o desiderato mais importante para a nosso futuro?
Isso é precisamente a teoria dos "socialistas" e acho que o PSD não deve sujeitar-se à chantagem do Pinócrates, do Soares e, se for o caso, do Cavaco apesar de vir a pagar por isso.
De qualquer modo só quando estes tipos que nos desgorvenam forem justamente varridos é que nos livraremos da propaganda, da demagogia, da incompetência, dos métodos pidescos,etc. e poderemos respirar um ar mais puro.

Anónimo disse...

José Medeiros Ferreira é muito admirado pelo Dr. Gonçalves. Mas isso não é suficiente para fazer dele constantemente um lúcido e sério analista. Isso seria sobrehumano. Mas entre o que se deseja e o que se tem vai um abismo. Isto a propósito de o ter ouvido, a Medeiros Ferreira, na TVi-24 em conversa com Henrique Garcia. Até este último parecia mais razoável: ao eventual aumento de impostos (que se perfila no futuro como um pelotão de execução) Medeiros Ferreira respondia dizendo que "os cidadãos que poupam pouco, ou nada, deviam vê-lo como um empréstimo forçado; e que o governo faria assim a gestão responsável desse dinheiro, redistribuindo-o". E depois falava em "moratória da dívida, para evitar o caos" (?!?!?), como se fosse possível mandar a dívida passear para o infinito. Isto tudo acerca de uma governação chefiada por pinto-de-sousa - que dá diárias e galhardas provas de criminosa incompetência há mais de 5 anos. Mas que medicação poderosa andará Medeiros Ferreira a tomar? Preciso de saber, para comprar para mim.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Sr. João Gonçalves.
Já li postes seus, melhores.
O que o Sr. PPC será capaz?.
Vamos julgá-lo pelas suas acções.
PS. Olhe que já batemos no fundo e com muita força. Acredite.

jaa disse...

Hoje também não concordo. Ou melhor: concordo com o primeiro comentador.

Justiniano disse...

Ora, caro J. Gonçalves, lê mal!
Passos é o merecimento do actual partido, pobreza de espírito e de alma, mas, neste tocante, e apenas neste, e em nada mais, tem andado bem. Às malvas com o orçamento, bardamerda para um tal orçamento que permitiria ajustar a corda do fisco. Mas têm medo de quê!? Da falta de crédito!? Há crédito e haverá débito, sempre, e preferencialmente em orçamento desmanchado de aumento de impostos, pois que se souber eu que não mais tributo haverá a acrescentar melhor sei que o devedor há-de menos gastar, e não o inverso. Sustentável pois, para cumprir como devido!! E melhor anda quando desdenha ignoradamente as palavras de circunstancia e preocupação do Senhor PR, que se cale, este, enquanto não voltar às prelecções do Checo (E triste me quedo por ter de voltar a votar em tal múmia pintada).

Fado Alexandrino disse...

em Passos ficar com o odioso de ter empurrado o país precisamente nos dois centímetros que faltavam aos quilómetros do outro para caírmos no abismo.


Está aqui tudo explicado, era bom que lessem duas vezes.

Justiniano disse...

Caro Fado, nem lendo dez vezes daí retiro qualquer virtude!! E mais dez ou vinte argumentos de ficção, à laia de catatuas regimentais, não valem nem fazem mais do que o já feito!! Com temor, em arremedo de prudencia, já se justificou ao PR qualquer coisa parecida!! Então e a verdade!? Não é suposto prevalecer!?

Anónimo disse...

Este tipo de opinião mostra que o autor não sabe sequer no buraco onde o País está metido.
Não tem a noção sequer do que vai acontecer inevitavelmente. Vai bater no chão.
E quanto mais cedo acontecer a batida menos aceleração terá, menos órgãos estarão irremediavelmente perdidos.
Se a batida tivesse sido no tempo do PEC teríamos 15 mil milhões a menos.


lucklucky