20.9.10

«QUANTO MAIS ESPERAM MAIS DESCEM»


Por falar em Medeiros Ferreira, a sua capacidade de síntese substitui com proveito cinquenta tagarelas inúteis dos jornais e das televisões. «Quanto mais esperam mais descem.» Refere-se àqueles que fizeram das suas candidaturas às presidenciais de 2011 nada mais do que uma "espera a Cavaco". Pelos vistos o "povo" não aprecia provocações.

3 comentários:

hidden agenda disse...

Peço desculpa por fazer um aparte ao seu post, mas queria partilhar isto. Confesso que, na altura em que foi Ministro da Cultura, o subestimei. O seu baixo carisma enquanto pessoa mais Bárbara Guimarães em demasia talvez sejam culpados e, nesse caso, o erro também é dele. Mas, neste momento, parece-me que Manuel Maria Carrilho é a única voz credível de alguma oposição que alguma vez exista. Mais uma lição de substância para Sócrates e (como se chama mesmo o do PSD?) -> http://dn.sapo.pt/cartaz/livros/interior.aspx?content_id=1666404. Isto, mais o cabelinho do Passos Coelho, era tiro e queda.

Traque Back disse...

O que sobressai do texto citado é "Nenhuma esperança à vista nas presidenciais." e não a o que dá o título ao post.
Nem me alegra que "Quanto mais esperem mais desçam". Quem já está em baixo não precisa de descer.
Mas já me entristece que quem está em cima, e pelos vistos a subir, seja também um mal, talvez menor, mas não me dê a mínima esperança de que deixe de ser um mal.

zé disse...

Se Cavaco não se candidatasse ficavam os partidos aflitos por andarem a apoiar totós...