7.4.10

A "PLATAFORMA"


O sr. Pais (ou Paes, para os prebostes) do Amaral, um puro homem de negócios, decidiu deitar um galão de gasóleo para cima da pequena história. Era administrador da TVI quando, segundo ele, a mesma TVI serviu de "plataforma" para derrubar o governo do dr. Santana Lopes. Até falou, disse, com o seu director-geral, Moniz, para "abrandar" a dita "plataforma" sem, aparentemente, sucesso. Levado isto à letra, Moniz é um homem politicamente mais poderoso do que o dr. Sampaio que - fiquei, na altura, com essa ideia - removeu o dr. Santana. E tão poderoso que, cinco anos depois, também quis montar, por interposta esposa, outra "plataforma" para derrubar Sócrates à revelia, agora, do Doutor Cavaco e do bom povo português. O dr. Santana veio a terreiro levar a sério o sr. do Amaral, mais a pensar no pérfido Prof. Marcelo, ao tempo, o mais famoso assalariado de Moniz e do referido do Amaral. Todavia, se alguma coisa esta historieta do sr. do Amaral prova é a "isenção" de Moniz. Na RTP, Moniz "irritou" Soares, então PR. Na TVI, Moniz "irritou" dois governos de sinal político antagónico sendo que, nestes últimos casos, com a complacência do patrão dele que só agora, pelos vistos, terá dado por ela. A "plataforma"- tal como Emídio Rangel, o fabricante de presidentes em forma de sabonetes e um fiel servidor "socrático" - só apareceu para desviar a atenção do essencial que é o regime protagonizado por Sócrates e demais coisos amestrados. Eles agradecem-na penhoradamente.

4 comentários:

Karocha disse...

Pois!!! JG.
Ensinamentos da avó do Sr. Paes.

Anónimo disse...

Em relação a Moniz persiste em mim uma dúvida que nunca vi esclarecida e que se prende com a sua ida para a OnGoing.
Não fazia esta parte do "negócio" TVI?
E já agora esta OnGoing - tendo em atenção o seu fulgirante crescimento - não será uma "empresa do regime"?

Anónimo disse...

Eu cá nunca «fui» com o carácter do Prof. Marcelo Rebelo de Sousa; não aprecio o personagem por mais inteligente (et pour cause...) que seja.

velyn disse...

O Sr Paes do Amaral faz-me sempre lembrar esta passagem do Malhadinhas:

"..olhos brancos, esses tais que, em cara portuguesa, de filho da puta ou erro da natureza..."