11.11.08

UMA ANARQUIA NADA MANSA


Maria de Lurdes Rodrigues, se fosse uma ironista, teria saído do carro, em Fafe, e participaria na farra. Todavia, a ministra da Educação, a partir de determinada fase da vida dela, deve ter começado a levar-se a sério. Muito longe, naturalmente, dos tempos em que era anarquista, uma atitude bem mais saudável do que aquele ar de azia permanente que revela. Não aprecio cenas como as de Fafe. Como também não gosto de ver a dita cuja falar em "insultos" quando Manuel Alegre, com todo o direito que lhe assiste no mundo, a critica. Senhora Professora Doutora: a senhora anda a alimentar uma anarquia nada mansa no "mundo" da educação. E quem anda à chuva, molha-se.

18 comentários:

José Ricardo Costa disse...

Peço desculpa pelo reparo. Mas quando diz no "mundo" da educação, seria algo sensato colocar igualmente aspas em educação. Não "no mundo da educação" mas no "mundo" da "educação".

JR

Anónimo disse...

Quem semeia ventos, colhe tempestades. A senhora ministra, em vez de ter tido uma atitude mais moderada no sábado, fez gala de mostrar a sua arrogância em entrevistas sucessivas nas televisões. Quis dizer que era mais forte que 120 mil professores e toca de apelidá-los de chantagistas e outras coisas mais. O povo engole muita coisa, mas tiques de prepotência, não. A senhora ministra e o seu mentor Magalhães Sócrates falam como se tivessem o rei na barriga e a canalha que se encolha. Estão muito enganados.

Anónimo disse...

Bom, toda esta cena é lamentável, mas nada de não previsivel.

Se é certo que procurou, no início, estabilizar as escolas, também é certo que isso foi feito com a demagogia de lançar os Encarregados de Educação contra Professores.

Um mau começo, mas que estava mui em voga na altura.

Mas se querem saber o que é a vida diária de Professor em muitas escolas, tiveram, e a ministra em particular, uma boa amostra prática ...

E é esse problema, ensinar a quem não quer aprender, a Encarregados de Educação ausentes e incontactáveis, ausência de manuais na sala de aulas (esquecidos, perdidos, não comprados, etc), envio de alunos para o Centro de Saúde porque foi deixado na escola com febre, ausência de rastreios á visão e audição, recusa/esquecimento para comprar óculos necessários, etc que ela não atacou.

Se não acreditam no cenário descrito, façam uma experiência:
peçam para ver os "Perdidos e Achados" da escola pública ou privada, e perguntem como não se reparou que a criança chegou a casa sem casaco, ténis, (de marca, ou não), etc.

Anónimo disse...

não gosto dela como politica
detesto insultos
chama-se a isto «justiça de fafe», como se lê num prato vendido nas feiras «em Fafe ninguém funfa»
alegre prepara-se para colocar outro ministro no governo

radical livre

Anónimo disse...

The secret of freedom lies in educating people, whereas the secret of tyranny is in keeping them ignorant.

A pouca vergonha das escórias políticas que nos roubam e de nós troçam levou a isto.
Uma nação desgovernada cheia de trapaceiros sem vergonha que já nem se dão ao trabalho de ocultar as trapaças.
Isto está tudo a descambar.
Alguém consegue respeitar esta gente?
Eles estão no poder para nos ajudar a nós portugueses a regular a sociedade,a viver melhor,com mais justiça,educação,saúde e qualidade.
Será isto que têm feito?
Até acima da justiça se colocaram e aos seus amigos e compadres.
As pessoas nem sabem nada,o que vem a público é rigorosamente um riacho que corre para um grande rio.
Tornaram Portugal na sua quinta e fizeram dos portugueses seus servos.

Anónimo disse...

Nunca imaginei um Ovo virar argumento, ser entendido como argumento ... o povo manifesta-se a ovos, como se as suas salas de aulas fossem salas de um espectáculo cujo programador quer "limitar" o actor ou será também proceder a uma selecção de actores à posteriori, quando a peça já vai a meio?

O Manuel Alegre? Quem? Aquele deputado que teve a lata de alimentar um processo de Reforma pouco digno de de ser referido com o nome de Honesto ou de Hombridade? João Gonçalves, és poeta pá! P-o-e-t-a!

Nuno Castelo-Branco disse...

O problema é que a coisa já vem de longe, quando decidiram acabar com a disciplina e a hierarquia. Agora, pagam caro. Os professores que ficaram a rir, amanhã já serão de novo insultados, desobedecidos e apalpados no rabo! Bem feito...
Pois é... muitos deles passaram com as famosas "passagens de ano administrativas". Ora tomem lá!

joshua disse...

A Ministra, com o seu passado anarquista, só pode estar a adorar o show que montou com requintes de malvadez.

Quanto a Alegre e a esses putos e moças de Fafe, algumas delas a sentir virginalmente [talvez pela primeira e pela última vez nas vidas] o cacete retaliatório das polícias, têm mais tomates que dois Cavacos Escondidos [parafraseando a adorável expressão dos Meninos Gigantes de Fátima] e outros agentes políticos e comentadores com obediência, medo e escondimento a mais para serem gente.

A coisa degrada-se porque o Poder político não tem vergonha de ser só poder, ignorando que são titulares provisórios e estão ao nosso serviço e que nos devem contas a nós, por muito que o esqueçam enquanto nos fodem e refodem de fisco abusivo e sem vergonha, de obras megalómanas, e planeiam privatizações anacrónicas ao serviço dos cortes à toa e do desemprego por grosso.

Unknown disse...

"As críticas à ministra parecem crescer de forma insustentável, em diversos sectores da sociedade, inclusive de dentro do próprio PS". A frase é da insuspeita Ops!, ecoando o sentimento de muitos socialistas fortemente preocupados com o rumo dos acontecimentos. O Partido socialista está aterrado com os estragos da troika Lurdinhas-Valter-pedreira (que está a concorrer com a dupla Pinho-Lino no prémio de maior stand-up comedy). Quem não está a achar nenhuma piada à brincadeira é a facção sensata do PS, a qual olha para esta gente como se fossem elefantes numa loja de cristais e intui o perigo a aumentar todos os dias. A declaração agastada de Alegre de que não é possível sustentar mais a lógica do "governar para as estatísticas" e do "quero-posso-mando" é um aviso sérioà navegação, não só a estes três irresponsáveis que repetem a voz do dono e imitam o seu estilo, mas e sobretudo, ao querido líder do governo

Só o primeiro-vendedor Sócrates, com a sua habitual arrogância e cegueira política, não vê que a sua tropa da educação está a arrasta-lo para o abismo onde se vão afundando em queda livre. Este vendedor da Intel, mais o grupo de indivíduos pouco recomendáveis que o aconselha, acreditam que os cães ladram e a caravana passa. Que interessa mais ovo ou menos ovo, porque os assessores ou a LPM fazem umas quantas chamadas para as televisões do governo SIC-RTP e para os jornais "amigos" como o JN (que chama hoje aos alunos de Fafe mal educados) e tudo se resolve. Para o governo, para todos os efeitos a mais grave crise na educação em Portugal é como não existisse. É particularmente demonstrativo do grau de condicionamento da opinião pública e controlo governamental dos meios de informação que não tivesse havido hoje uma única pergunta ao PR sobre a luta dos professores. Não fosse o PR dar alguma resposta inconveniente. E a seguir publica-se uma sondagem onde o PM sobe em flecha na popularidade, enquanto a lider da oposição cai a pique para desmoralizar o inimigo e convencer os descrentes que este é o caminho e de que o povo está connosco, com uma campanha de publicidade (às fantásticas possibilidades das novas oportunidades) pelo meio.

O governo acredita que a luta dos professores para não se deixarem humilhar ainda mais por um processo de avaliação ignóbil não os irá deter. Porque o inglês na primária (que não existe), o (inconsequente) Magalhães, os estatutos de facilitismo total para os meninos ou mesmo os certificados carnavalescos das "novas oportunidades", o babysitting nas escolas com o soduku, foram algumas das "medidas" que o governo tem sucessivamente tirado da cartola para enganar tolos e garantir o voto dos portugueses na hora da verdade.
Só que a matilha do primeiro ministro deveria já saber que o povo não é tão estúpido como o querem fazer. Na altura certa a malta lhes dará a resposta adequada.

Anónimo disse...

O Alegre quer ver se coloca no governo a amiga Benavente, a maior incompetente que passou pelo ME. Livramo-nos de boa, olha se este poeta de meia-tigela tinha ganho as eleições presidenciais...já viram como estaria o país neste momento? Livra!...

Anónimo disse...

Sem ter a capacidade dialéctica dos anteriores comentadores gostava de dizer o seguinte:o que verdadeiramente me PREOCUPA é que a educação,e mais ainda,a formação de todos estes jovens,está francamente comprometida por este tempo em que tudo parece ser mais importante do A ESCOLA, pedra basilar de qualquer sociedade.
É absolutamente trágico,com consequências (im)previsíveis nos anos vindouros.

Anónimo disse...

Devo confessar que quando soube de história dos ovos, ri-me. E senti talvez uma pontada de orgulho. Mas a questão principal, é o facto dos alunos estarem a protestar, o que tem de significar alguma coisa. Quando os alunos começam a protestar e a perceber o que se passa à nossa volta é sinal que as coisas estão a ficar complicadas.

Anónimo disse...

Embora seja socialista, considero que a Senhora Ministra não tem perfil para fazer mudanças profundas no sistema educativo.
É necessario, uma pessoa com carisma. Eu dou um exemplo, Obama ate pode não ser um optimo politico, mas tem carisma, e isso é muito importante!
Era necessario mudar o ensino, e Maria de Lurdes começou a fazer essa mudança, mas não tem imagem para a fazer.
Aconteceu isso com Correia de Campos, iniciou a mudança no sistema de saúde e saiu para entrar uma Medica, que continua com a mesma politica mas ja ninguem a critica.Ainda recentemente foi encerrada a urgencia em Vila do Conde.
Por muito que se critique a ministra da educação, o que aconteceu em Fafe é preocupante!

O mais grave ainda, é que alguem mandou os alunos mandar ovos ao carro da Srª Ministra...e quem mandou fazer isso? Deduzo que tenha sido os Srºs Doutores, que de educação pouco têm. Alias são vicios que ja vêm do tempo universitario e mais propriamente «das praxes».
Quando se entra numa universidade portuguesa, é alarmante o nível que os "Sr´s Doutores" revelam.

Anónimo disse...

Não é por se ser autoritário que se tem autoridade.
Desde há muitos anos que assistimos à confusão que muito boa gente faz entre autoritarismo e autoridade. Nas famílias, nas escolas, na política, nas empresas, ...
Normalmente o autoritário tem a necessidade de auto-proclamar e reivindicar a sua autoridade. Quem É autoridade não tem necessidade disso.
Não deixa de ser lamentável o que aconteceu à Ministra da (des)Educação. Mas pelo rumo das coisas, ainda irá piorar.
Será que a Ministra deixou de ser anarquista? É que parece que é para aí que nos encaminhamos.

Aladdin Sane disse...

Verdadeiro era o dizer dos outdoors de 2007 com que o PSD celebrava os dois anos do "governo Sócrates": "A meio caminho de coisa nenhuma".

Claro está que esse "A meio caminho... " também acabou por aplicar-se à "presidência Meneses".

Anónimo disse...

Ver
O cavalo do Dom José e os míseros votos

Dis disse...

Não pagaram aos putos de Fafe?
Os putos não foram contratados.
E toma lá com uns ovos.

Anónimo disse...

Quem semeia ventos de liberdade colhe tempestades de libertinagem.
Não lhes assiste qualquer direito para se queixarem.