4.7.10

UM PILAR


Almeida Santos é uma figura misteriosa. Eminência parda do regime e do PS, depois da secundarização de Zenha, Santos fez vida em Moçambique. Alguém que de lá veio, literalmente a correr para não a matarem e aos filhos, disse-me uma vez que Almeida Santos enviou para Lisboa, primeiro do que ninguém, os seus contentores. Cá chegado, foi o paladino legislativo do regime e da descolonização. Preside há anos ao PS e tem-se distinguido ultimamente pela defesa de Sócrates. Não do Sócrates político, mas do Sócrates-nome que aparece aqui e ali ligado a tudo e a nada. Almeida Santos até sabe de cor quantas vezes isto aconteceu e, como gosta de salientar com o seu sorriso sibilino, como nada se passou. Lá em Moçambique, alguém que não o aprecia (e que ele também não), disse que «Almeida Santos é um agitador e lambe-botas que não olha a meios para atingir fins.» A história pode ser muito cruel mas Almeida Santos tem o raro privilégio de escrever a sua, pelos vistos, como entende. Um pilar, sem dúvida.

17 comentários:

Anónimo disse...

Por falar em África....Tiroteio lança o caos na Praia do Estoril:
http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/baleado-em-confrontos-na-praia-do-tamariz

Já não nos descolonizamos destes....

Ljubljana disse...

Nada me admira neste "senhor", para quem a definição de socialismo se resume à expressão:

"para os amigos, tudo. para os inimigos, nada. para todos os outros, cumpra-se a lei."

floribundus disse...

um dos reis da 'conversa fiada'.
nada fez de útil.
Zenha tinha valor, ao contrário de santos e soares.
quando frequentava a maçonaria ouvi dizer mau e péssimo do passado africano e português.
faz parte do meu caixote do lixo

Jacinto disse...

Um Andreotti dos pobrezinos...

Karocha disse...

Pois!
E mais não digo...

antónio chulado disse...

"Este" nunca me enganou.

antónio chulado

Anónimo disse...

Acho que é de vómito...

PC

Anónimo disse...

A esse velho pulha são atribuídas várias boas acções - cá e em Moçambique. São conhecidos também o seu cinismo, a sua vaidade e o paleio-de-puta com que costuma brindar as televisões e os incautos.
Embora me pareça pertencer a outro benemérito, é-lhe atribuída esta pérola: "para os nossos amigos tudo; para os nossos inimigos nada; para os restantes, cumpra-se a lei".
Junto com soares, almeida faz parte daquele grupo de pessoas que devia ter desaparecido da vida política há muito. Apesar de maligno, este par-de-jarras expõe-se frequentemente ao ridículo pelas enormidades que profere - e ainda são perigosos e influentes.
Resta-me desejar a almeida uma penosa e longa decrepitude no meio de arrastadeiras e fraldas "Lindor".

Ass.: Besta Imunda

joshua disse...

Um taxista de Beringel disse-se que Almeida Santos enriqueceu alienando, a tempo e horas, o imenso património familiar em Moçambique, coisa para o que outros não tiveram, evidentemente, o tempo talvez justo e devido.

Filho de Puta disse...

Para quem "não olha a meios para atingir os fins" aqui temos um dos exemplos:

http://infamias-karocha.blogspot.com/2009/09/aos-senhores-jornalistas.html

Dá um pouco de trabalho mas vale a pena ler a carta.

Karocha disse...

" floribundus disse...

um dos reis da 'conversa fiada'.
nada fez de útil.
Zenha tinha valor, ao contrário de santos e soares.
quando frequentava a maçonaria ouvi dizer mau e péssimo do passado africano e português.
faz parte do meu caixote do lixo"

Então deve saber que ele foi advogado de Salazar.
A Wiki está uma porcaria , é como HMS Invicinble!!!

Mani Pulite disse...

O VERDADEIRO PATRÃO DA MELHOR JUSTIÇA DA EUROPA E ARREDORES.O MAIS SINISTRO DA SINISTRA SINISTRA-COM FORTE SOTAQUE NAPOLITANO.

Anónimo disse...

Lá lambe-botas é, sem dúvida. Isso vê-se de cada vez que o tipo fala dos "chefes" seus amigos. Agitador não me parece assim tanto. O homem até parece que não mata uma mosca, de tão inoperante... A não ser que as faça ou tenha feito pela calada.

floribundus disse...

Mário de Sá-Carneiro

Eu não sou eu nem sou o outro,
Sou qualquer coisa de intermédio:
Pilar da ponte de tédio
Que vai de mim para o Outro.

(Lisboa, fevereiro de 1914)

FIM

Quando eu morrer batam em latas,
Rompam aos berros e aos pinotes —
Façam estalar no ar chicotes,
Chamem palhaços e acrobatas.

Que meu caixão vá sobre um burro
Ajaezado à andaluza:
A um morto nada se recusa,
Eu quero por força ir de burro...

(Paris, 1916)

Maria Tuga disse...

E os negocias que se conseguiram!!... Bingos nos clubes de futebol, rede de parafarmácias!!....a tal maozinha cor-de-rosa sempre activa e de olho nas negociatas...

Santinhos disse...

Este "pilar" não foi o mesmo que nos idos de '75 lhe chegaram a roupa ao pêlo em pleno arquipélago açoreano e não tivesse a sorte de um taxista por perto, nem a sombra embarcava rumo ao continente?

jccl disse...

e há sempre uma virgula para colocar no local certo...

JCL