18.7.10

UM GOVERNO DIALÉCTICO

Depois de Canavilhas, a sindicalista internacionalizada, Madame André, a infeliz sucessora de um actual infeliz ministro da economia que foi razoável no lugar da Madame. No mesmo dia disse uma coisa e o seu contrário acerca de aumentos da função pública em 2011. Ninguém pode acusar este governo de não ser dialéctico. Mesmo, como é o caso, sem saber o que é a dialéctica. Mas o Tomás Vasques, sempre atento às "contradições" da esquerda à sua "esquerda moderna", pode ser que lhe explique.

2 comentários:

Jacinto disse...

O nível de recrutamento da quadrilha cada vez está mais rasteiro...

Red Eagle disse...

O discurso deste governo têm a coerência do discurso de um esquizófrénico...

Saudações Chaladas