21.7.10

BRUTALIDADE TELEVISIVA

«Nascer entre brutos, viver entre brutos e morrer entre brutos, é triste», dizia Rodrigo da Fonseca antes de passar ao famoso oriente eterno. É o que ocorre a ver debates e entrevistas nas televisões em momentos em que tagarelam Alfredos Barrosos et al. Boa noite e boa sorte.

9 comentários:

Aires Vilela disse...

E a picareta falante que estava ao lado da múmia Barroso?
Uma autêntica metralhadora kalashnikov saída do paiol cavernícola da esquerda.
Vi-me obrigado a desligar, por uma questão de sanidade mental.

Cáustico disse...

Este Barroso não é aquele a quem foi dado ultimamente um tacho de presidente? Faço a pergunta porque são tantos os barrosos tachistas.

floribundus disse...

rodrigo, 'a raposa', esteve conuntamente com saldanha das 'mil caras' implicado na famosa ditadura de 1851 durante a qual:
D. Antónia Ferreira teve de fugir com a filha
protegeu os bandidos da Beira
vivia na travessa dos ladrões, actual rua da Estrela

sempre a mesma esquerda ou sinistra

Anónimo disse...

Brutalidade televisiva foi o discurso de Pedro Silva Pereira sobre a proposta de revisão constitucional de Pedro Passos Coelho.
Mas, tratando-se de políticos, não tardaremos a vê-los muito amigos e cordiais a cozinharem a "salvação da pátria". A deles, claro.

Garganta Funda... disse...

O besuntado do Barroso parece uma personagem dos Marretas ou uma personagem dos filmes a preto-e-branco do Cantiflas...

Como é que aquele ignorante chegou a ser Chefe da Casa Civil?

Eu topo disse...

Fácil, Garganta Funda: ele, o marreta, é sobrinho do Bochechas (ou, melhor dizendo, da D. Maria de Jesus, mulher do dito).
Quer curriculum maior?

Red Eagle disse...

Têm gente que apesar da boca estar perto das orelhas, não ouve o que diz...

Saudações Chaladas

Anónimo disse...

Tomo como pretexto o termo «Brutalidade» para, se o autor do blog me permitir, abrir um parentesis e sugerir aos seus leitores uma breve visita a «O Jansenista» para aquilatar da «Bestialidade» humana (e castelhana) em dar a morte em espectáculo.
Não há palavras.

DL disse...

Esse Alfredo Barroso é absolutamente intragável. É o que se pode chamar um cão de fila.