28.1.11

DA PERDA


«O dr. Cavaco perdeu», escreve com solenidade Vasco Pulido Valente, quiçá inspirado num híbrido de Mário Crespo com São José Almeida e um tal Paulo Moura (quem será?) do mesmo Público que pergunta por que é que o dito Cavaco foi "vingativo" na noite em que, pelos vistos, perdeu. Por este andar, estamos lamentavelmente não a perder o dr. Cavaco mas a "perder" o Vasco Pulido Valente para a doxa onde meio comentarismo nacional se encontra acantonado. Como ele escreveu um dia, talvez esteja na hora não de rever o dr. Cavaco mas de o rever a si, Vasco. De V. se rever.

14 comentários:

Fado Alexandrino disse...

A idade quando somado ao rancor dão resultados miseráveis.
É pena, era uma pessoa a ler.
Agora leva "beijinhos na boca" do Pitta.
Isso diz tudo.

floribundus disse...

anda muiito pouco lúcido

se um dia ficar assim não me deixem sair de casa

Jacinto disse...

Que diabo, Vasco - devia escolher melhor as amizades.
A não ser que sofra da fatal atracção adolescente pelo sub-mundo - mas o reles carteirista por quem V. toma as dores ( de corno, aliás...)não se compara aos grandes "gangsters" do cinema...

Anónimo disse...

O VPV não gosta de Cavaco.

Isso é um problema porquê?

Problema seria o Cavaco não gostar de VPV!!

Eu não gosto de Cavaco, de VPV, de Sócrates, de Passos Coelho... não pelo que são, mas pelo que significam e simbolizam... a fecunda merda a que este país transcentenário chegou depois de tanto tempo perdido para se depurar...

Rita

Cáustico disse...

Deixem lá o homem em paz a gozar o tempo que restará da sua vida.
É melhor esperar pelo seu próximo elogio a Cavaco.

Anónimo disse...

E depois há estes energumenos que escrevem isto: "Os empregos serão menos seguros. Os salários não vão aumentar como aumentaram. O número de horas de trabalho crescerá. O total de anos na vida activa também. Acabaremos, de uma forma ou de outra, a comparticipar as despesas de saúde, talvez até as de educação.".

O José Manuel "Palerma" Fernandes quer a malta nisto para quê, porquê e em nome de quê??!!

Será que estes estafermos não têm noção da sua finitute, que a vida é curta...

Eu estou-me a cagar no que dizem estas repolhentas criaturas... em suma, fode-te ó JMF.

Raul P.

m.a.g. disse...

Mas qual é o problema do VPV não gostar* de Cavaco? Na verdade, nunca gostou, é coerente, não é como alguns tipo P. Portas que o desancaram noutros tempos e agora acham que ele é o salvador da pátria.

* eu também não, correndo o risco disto ser do desagrado de JG (que continuarei sempre a ler)!

Cáustico disse...

Gostava de perguntar a muito chico esperto como encara resolução de situações caracterizadas por um montante de despesas superior ao montante de receitas possíveis.
Preciso de ter 3 refeições por dia. Cada refeição custa-me 5 euros, mas por dia só tenho 10 euros de rendimento.Como resolver o problema se não puder aumenar o meu rendimento? A solução está em comer só duas refeições por dia ou manter as 3, mas sem a qualidade necessária.
Há uma certa verdade nas palavras de JMF.

Anónimo disse...

adoro esta foto de VPV por causa do buraco na sola do sapato, é uma foto velha com mais de dez anos. de resto nao admiram as criticas ao prof cavaco silva, VPV nunca gostou dele e ao voltar a dizê-lo só mostra carácter.

Anónimo disse...

Cavaco Silva não perdeu nem ganhou. Simplesmente não existe.

lucklucky

hajapachorra disse...

O problema da maioria dos indígenas, como diria o falecido VPV, é o de em política gostar ou não gostar de fulano e sicrano, quando convinha, sobretudo em alturas de aperto, usar os miolos, quem os tiver, claro. VPV há décadas que o digo ilustra bem o adágio do olho que em terra de cegos é rei. VPV só tem um olho. Compro o Público só para o ler, a ele e ao Lomba, já agora. Mas só ´um poucochinho melhor que os jornalistas e comentadores. Estes não sabam porra nenhuma, acabaram de nascer; VPV é um pouco mais instruído, sabe o que é aconteu no mundo depois de 1820. O resto, os 3 mil anos de história anteriores ignora-os olimpicamente. Sim, porque ele é um campeão. Entre jornalistas, sociólogos, politólogos, políticos, juristas e outros ignorantes é um sábio, de trazer por casa, com pantufas e copo na mão, mas um sages bem conservado.

Anónimo disse...

João Gonçalves, ardendo todo na chama da sua ideia, publica o enésimo post sobre as vírtudes cavaquistas.
Tanta admiração, caramba! Até enternece!...

angelo ochoa disse...

João,
cá por mim o camarada vasco tanto atina quanto desatina...
é dos tais que toma soda cáustica ao pequeno-almoço e vem à rua a tropeçar em pedra e a dizer verrominoso mal do edil da câmara por ter pedra no meio do caminho (dizer do brasilenho vate drummond...)...
perdoemos quantas vezes não saber que diz...
e aguentemos-lhe xaropadas estopadas quejandas...
como a mim se me perdoa apoética prosa ou glosa...
seu, do alfândega da fé, sportem bem...
'Chôa

Dr.Barreto disse...

Acho que as eleições deviam ser repetidas.

Para além das trapalhadas com centenas de milhar de eleitores portadores do famigerado CU', a a abstenção foi colossal.

Hugo Gavez, ao menos, foi eleito em eleições justas, transparentes e participadas.

Novas eleições e com observadores da OSCE, da União Europeia e da Comunidade de Estados Independentes.

Não se pode brincar com a democracia.