11.1.11

SEM REMÉDIO


Percebo "o ponto" de Ferreira Fernandes. Todavia não se trata de delito de opinião. Trata-se meramente de um direito animal (parece que humano) a exercitar publicamente a estupidez, a grosseria, a cobradia e o primitivismo. É por estas e por outras que na polémica entre Rousseau e Hobbes me coloco sempre do lado deste bom "reaccionário". Nem o homem nasceu "bom", nem a sociedade melhora ou piora a sua "natureza". É mesmo uma coisa reles. Sem remédio.

Adenda: É só, aliás, seguir os comentários ao seu artigo, FF.
Adenda2: O "investido para matar" do José Teófilo Duarte fica "a matar" nesta história infeliz.
Adenda3: "Demónios" à parte, há uma coisa que ficou definitivamente resolvida na vida de uma pessoa - ficou a saber, não tanto o que não era, mas no que se tornou.

12 comentários:

Anónimo disse...

Para lá da demagogia pró e contra a comunidade "gay", para lá da dor e da tragédia pessoais, o que fica da sórdida história, para justiça, é um velho, com idade e experiência de vida para saber o que estava a fazer, e que devia ter respeitado a integridade psicológica do jovem.
E fica um jovem inexperiente, isolado, inseguro, preso num quarto de hotel, noutra cidade, noutro país. Pressionado para além do seu limite suportável.
Carlos Castro, reputado "especialista" em questões amorosas, devia ter idade e experiência para saber o que estava a despoletar.
O especialista, falhou fatalmente, em causa própria.

Karocha disse...

Anónimo

Está a brincar, não está???

Vai ver como funciona o direito Anglo-Sáxonico!

Não brincam, como cá...

Fado Alexandrino disse...

Sobre este assunto para lá do meu comentário pessoal no meu blog vejo como as televisões agarram com gulodice e um enxame de especialistas o assunto.
Quase que sou tentado a apostar que vão transmitir o julgamento em directo.
Não era nada de especial, já transmitiram dois enterros de pessoas mais ou menos famosas, um futebolista outro um actor de telenovelas que experiência não lhes falta.

Cáustico disse...

Um assassínio é sempre um crime seja quem for que o cometa. Ainda não são bem conhecidas as razões, se é que há razões para o cometimento dum crime,invocadas pelo rapaz para justificar acto tão tresloucado.
Que a justiça não perdoe.
Não posso, apesar disso, deixar de manifestar aqui o meu repúdio pelo comportamento asqueroso dum anormal do sexo.

Anónimo disse...

Coitado do jovem inexperiente.
Durante quase uma hora foi torturando a vítima de forma hedionda.
Devem dar-lhe uma medalha.

Da idade do anormal,já muita gente tem filhos e responsabilidades na vida.
Fazer dele um ser angelical,como se tivesse 6 anos é uma estupidez completa,bem digna das criaturas de pesadelo que dominam a sociedade portuguesa.

Hoje em dia são todos "jovens" os criminosos que avassalam o país.
A tv chegou ao ponto de noticiar um roubo executado por um jovem de 38 anos...
Que manicómio abrilesco!

José Maia disse...

Era tão inexperiente que durante 6 meses andou que nem uma acompanhante de luxo a servir-se do "velho" à grande... aliás, foi ele quem procurou o Carlos Castro via Facebook.

Anónimo disse...

Confesso que, independentemente do crime hediondo, os dois indivíduos me enojam por razões diferentes. O "bichano", fisicamente asqueroso, foi sobretudo um profissional do mexerico e do enredo de uma suposta "alta sociedade" tão endinheirada quanto pirosa. O outro, um jovem ambicioso sem escrúpulos, xulo por excelência e provavelmente metrosexual ou coisa assim.
Não sinto pena de nenhum.

Isabel disse...

O "Bom Selvagem " do Rousseau é, a meu ver, o mito mais perigoso dos tempos modernos. E será bom não esquecer o pessoano "O mito é o nada que é tudo". Este relativismo trágico tem feito e continuará a fazer muitas vítimas.Atenção aos novos mártires do Cristianismo, esses que continuam a ter o atrevimento de proclamar o amor como mandamento supremo, mas também de considerar que o pecado de facto existe e que não é mais do que o fazer mal a si mesmo ou ao próximo.

angelo ochoa disse...

...« a b o m i n a ç ã o »...

Anónimo disse...

Este é realmente um caso que evidencia os abismos de abjecção que se escondem na alma humana - na dos directos intervenientes, mas também nqueles que, em diversos foros, têm tecido, nos últimos dias, comentários que só podem impressionar quem tiver uma réstea de decência e humanidade.

LUIS BARATA disse...

Não esquecer que estes dias em NY se sucederam a uns dias em Londres, outros em Madrid e outros em Paris, já para não falar dos dias ( e noites ) na casa de Lisboa do falecido C.Castro. Tudo regado com muitos presentes, como é da praxe e de todos os manuais- seja a "carne fresca" do sexo masculino ou feminino.

Anónimo disse...

yep. E em NY há boé da cristal e de crack. A malta esta habituadinha a uns charritos à sexta à noite ou umas linhas quando o rei faz anos, chegam à big apple é a partir, e até sobem paredes...