21.1.11

A "VITÓRIA DA CIDADANIA"

O mais supreendente (ou talvez não) nas sondagens todas é o somatório dos pseudo-candidatos a Belém, do mais profissionalizado (Lopes) ao ridículo Coelho que tantos suspiros provoca em pessoas que tomava por inteligentes ou quase (Raúl Vaz, comentador da antena 1, por exemplo, até falava nas suas "propostas", sic). Dizem que é uma "vitória da cidadania", sobretudo aquele absurdo Nobre que imagina ter uma cabeça onde alguém poderia dar um tiro. Ao ponto a que chegámos, até eu, que sou presidencialista, começo a inclinar-me para a vantagem de mandatos presidenciais únicos mais alargados (7 anos) a manter-se a actual constituição. Aliás, é curioso (e triste) ler comentadores como Vasco Pulido Valente que, depois de terem contribuído para a elaboração de tantos discursos presidenciais quando o PR tinha competências directas sobre o governo - antes da revisão ad hominem de 1982/83 - vêm agora falar em "poderes ditatoriais". Então VPV já está esquecido dos tempos em que (tantas vezes bem) Eanes não poupava os governos nos discursos do 25 de Abril que ele ajudou a escrever entre 1976 e 1978? Por que é que o governo não pode ter dupla dependência política, da AR e do PR, sendo ambos órgãos de eleição directa e universal? Enfim, felizmente isto está a acabar. Julgo que, apesar de tudo, os eleitores percebem que apenas um candidato se candidata seriamente ao cargo que já ocupa. A "vitória da cidadania" é só e exclusivamente votar nele.

17 comentários:

Anónimo disse...

Viva João.

Sócrates tem feito aquilo que Cavaco deixa, e não o contrário.

Exemplos disso não faltam.

A

Rui

FNV disse...

Muito bom.
V. é que tem a mania de idolatrar o VPV...

Hermitage disse...

Para se perceber como chegamos aqui, ao ponto de desastre económico e financeiro (600 000 sem trabalho, mão estendida de Sócrates, mendigando empréstimos, (ainda que, habillé au costume Versace) deve olhar-se para os equivocos, ambiguidades e outras colisões constitucionais, ao serviço de uma coisa chamada checks and balances.
Uma treta que dá, como deu, nesta campanha, para exigir de Cavaco que explicasse a situação do País, e Sócrates a perguntar como pode Cavaco meter-se nos poderes e actuação do Governo.
Tudo ao serviço de uma CRP que não serve o País nestes anos dois mil.
Quem não vir isto, mais um parlamento sem crédito, porque não tem representatividade substancial, apenas formal, mai-la a treta de economia empresarial do Estado, a somar desastres financeiros de exploração, mai-la obsoleta organização do território, com 2 000 freguesias e 150 municipios em excesso, mais 20 000 comissões, estruturas estaduais, de missão etc etc etc, não percebe onde chegamos.
Finamente falando, uma boa merda à portuguêsa.
Cavaco, economista sabe disto; Cavaco institucional irá pela velha e confortável máxima "quem vier a trás, que feche a luz".
Esperemos uma surpresa, que Deus o oiça e inspire...

Anónimo disse...

Esta é venenoso-hilariante :
- «imagina ter uma cabeça onde alguém poderia dar um tiro» ... ehehehehe !

blanche disse...

"quem vier a trás, que feche a luz" é a sintética tradução de quase 37 anos de «democracia à portuguesa».

Superinteligente disse...

Essa de tomar o Raúl Vaz por inteligente - ou mesmo quase inteligente... - só mesmo de si, João Gonçalves!

Fado Alexandrino disse...

Discordo completamente.
Das poucas coisas que me dei ao trabalho de ver nas queridas tv's todas me deram grande alegria e enormes risos.
Nunca tive dinheiro para ir ao Carnaval no Brasil, por momentos senti que estava lá.
Obrigado aos candidatos.

antónio chuchado disse...

Nasci quando o Presidente da República era o Marechal Óscar Carmona.

Depois, vieram mais presidentes, uns bons, outros nem tanto, mas o meu país sempre foi respeitado e admirado na Europa e no Mundo.

Como se dizia, até há um certo tempo: pequenino e pobre, mas forte, honrado, com orgulho de cabeça erguida.

Hoje, o meu país, está desacreditado, não 'tem palavra', hipotecado e vendido, à beira de perder a identidade e já ninguém o respeita.

Domingo será, para mim, um dia de esperança, que o meu país volte a ser respeitado e admirado, como o foi durante séculos: o Professor Aníbal Cavaco Silva é o homem que poderá devolver, ao país, a honra, o respeito e a admiração.

antónio chuchado

Anónimo disse...

O problema não está na constituição. Ou está muito pouco. O problema está no que não lemos, não sabemos nem reflectimos e que tudo somado são alguns anos largos.

Cáustico disse...

Apenas três se candidataram para serem presidentes: Cavaco, Alegre e Nobre.
Dos restantes, um deve ter sido encomenda do bando do Rato, lançado apenas para tentar irritar Cavaco; outro que pertence ao bando onde falam muito de democracia mas não conseguem esconder a sua nostalgia pela ditadura do proletariado com que muito sonham. Andam sempre com a boca cheia de democracia mas nunca tiveram coragem de denunciar o ismo que é responsável pelo assassínio de mais de 100 milhões de inocentes e retirar da sua bandeira o símbolo de tais assassínios. Outro, para amenizar a habitual sensaboria de promessas que quase nunca se cumprem, fazendo um papel muito em voga nas antigas monarquias.
Posso estar enganado, mas a luta travou-se apenas entre os três nomeados.

Anónimo disse...

A falta de comprovação do que pseudo-historiadores afirmam que morreram milhões sob o comunismo salta a vista dos que sabem como obter dados estatísticos reais e probabilidades aceitáveis, somam dados não comprovados e que são pura arrogância dos "intelectuais" do neo-liberalismo - são mentiras infantis dos que achavam que a História tinha acabado! Mas não podem deixar de admitir as bilhões de pessoas que foram mortas (e ainda o são) pelo colonialismo, liberalismo, neo-colonialismo, capitalismo, imperialismo e neo-liberalismo!
Quantos estão a morrer ainda hoje em plena Europa "civilizada" de fome, de perseguições, de exclusão do consumo, das drogas, de doenças como as oportunistas dos portadores do HIV, de depressão, etc.
Tem gente que ouve uma estatística ridícula e neo-fascista e sai repetindo que nem papagaio! Parece até aqui nas Américas, os lambe-botas dos Estados Unidos e da ideologia porca, imunda e suja que diz que "Deus fez o mundo" e o American way of life como a melhor coisa do mundo!!!!!
Chega! Estamos acordados e vigilantes - e vamos punir, como diz Foulcault!
A classe trabalhadora, a cidadania democrática, pluralista, comunista, socialista, da diversidade, da exaltação da solidariedade superará os que só tem ódios e inveja em seus corações!
A Paz vencerá os tambores de guerra que se ouvem já cá do outro lado do Atlântico vindos dos continentes (da Europa ao Extremo Oriente) que deveriam ser mais humildes!

Cáustico disse...

Não seria preciso que o Anónimo das 12.44 escrevesse tanto para se ver de imediato o mal de que sofre.
As informações que tenho não são de pseudo-historiadores, são de escritores russos que estiveram no Goulag, de franceses que estiveram na URSS, como Jules Moch, socialista, e André Gide.As clínicas psiquiátricas, as fomes programadas e os tiros na nuca e muitos outros que não vale a pena citar, não são invenções neo-fascistas, são a pura realidade da merda do socialismo

Anónimo disse...

O Cáustico não precisava justificar com a apresentação de nomes já conhecidos, inimigos da classe trabalhadora e adeptos da corrupção intelectual, dos que se vendem em troca de meia rúpia por qualquer invencionice contra o comunismo, contra Estaline e a grandiosa União Soviética. Ou trata-se de um parvo que acredita em tudo que lê ou compõe com todos os canalhas que tomam parte da Academia para destilar seu ódio anti-comunista. Acredite ele no que quiser! Eu sigo no caminho da luta! Das conquistas democráticas radicais que derrotarão os torpes banqueiros e capitalistas que causa milhões de mortes no mundo inteiro e que, com a vitória do cavaco (cada um leva o cavaco que tem debaixo do braço) vai ceifar a vida de muitos portugueses. A História contará!

Cáustico disse...

Meu Pai costumava dizer, aos filhos que teve, que o fanatismo tinha sempre consequências gravosas, quer no campo do desporto, da religião ou da política. E o Anónimo das 6:38 confirma, de uma forma bastante clara, precisamente o que ele dizia.
Que eu saiba, que não sou fanático político, Jules Moch não era inimigo da classe trabalhadora. Era um socialista muito considerado na sua época. E que dizer de André Gide? Para pessoas como o Anónimo das 6:38 André Gide era o maior quando se inscreveu no partido comunista francês. Mas depois que escreveu o livro em que pôs a nu toda a porcaria que viu na URSS, já era uma peste, um paneleiro (que já o era muito antes de entrar no PCF). Para além da sua paneleirice não me consta que fosse adepto da corrupção intelectual. Poderá ter a maçada de me dizer qual era ela?
Não me vendo, e o que ganhei durante 48 anos sempre como trabalhador por conta de outrem, foi sempre em escudos e euros e nunca em rúpias, que me parece ser a moeda de um país pelo qual não tenho grande simpatia. Nunca me vendi por invencionices, porque delas não preciso uma vez que a verdade, mais tarde ou mais cedo, vem até mim gratuitamente.
A quase idolatria com que refere o nome de um dos maiores assassinos da história contemporânea, condenado até pelos próprios russos, o principal ideólogo e criador da merda do socialismo, e a referência à grandiosa união soviética mostra, sem lugar para dúvidas, onde está alojada a parvoíce.
A minha ignorância não me permitiu compreender bem a sua afirmação:”…que acredita em tudo o que lê ou compõe com todos os canalhas que tomam parte da Academia para destilar o seu ódio anti-comunista”. O que quer dizer com o tomar parte da Academia? Que Academia?
Afirmou igualmente que segue no caminho da luta, das conquistas democráticas radicais. As democráticas e radicais protagonizadas pela sua querida e grandiosa união soviética? Onde é que descobriu democracia nela?
A História já vai contando e o que conta é de arrepiar.

Anónimo disse...

E eu que sou fanático? Não sou eu que saí acusando ninguém pelas mortes acontecidas em revoluções e em guerras, como se um homem fosse capaz de ter tamanha força. Acho engraçado acusar a União Soviética de bárbara, ela, que protagonizou a maior revolução democrática se auto-destruindo. É, ela própria, se auto-dissolveu em nome da paz, na luta de um povo massacrado pelos fascistas e pelos ódios nacionalistas - que infelizmente - ainda continuam a ferir o coração do povo soviético. Eu não sou - e nem me pretendo ser - dono da verdade. Fico me perguntando o motivo pelo qual a canalha capitalista ocidental atuando com a participação da Europa, ataca países e mata seus povos não é lembrada. Querem uma lista de horrores: Republica Dominicana, Panamá, Colômbia, Nicarágua, Cuba, Vietnam, Coréia, Laos, etc. Só no Iraque se calcula que até hoje, depois da invasão facínora contra o governo de Sadam Hussein(enforcado!), foram 500 mil mortos! (Dá-lhes, Michel Moore - será que não passou aí em Portugal o filme "Farenheit 9/11" ?)). Isso está acontecendo hoje. No Afganistão, o mesmo! Eu não falseio estatísticas, eu não sou filiado a qualquer partido político, mas tenho uma posição clara em defesa da autodeterminação dos povos, pelos Direitos Humanos, pela Paz, pela proteção do Meio Ambiente, pela Democracia e pelo Socialismo. Creio que Portugal está no caminho errado se submetendo aos ditames do neoliberalismo, e como descendo de portugueses, tenho verdadeiro orgulho disso e da gloriosa Revolução dos Cravos por ter possuído a mesma visão humanitária e igualitária do mundo, a mesma que tenho. Trouxe aqui o meu recado: basta de democracia só para banqueiros, grandes proprietários e grandes fazendeiros. Viva o povo português, e de todo o mundo, trabalhador, que contrói com seu sangue e suor o nosso dia a dia!
Fanáticos são os que repetem - digo novamente - estatísticas falsas, produzidas por gente da Academia e/ou que manipula a Academia(eu não sabia que em Potugal não se utilizava este termo para se referir às Universidades). Não importa o que penso, só faço minhas sugestões, porém a história comprovará o que digo: quando não restar mais à classe trabalhadora confiar em seus políticos vendidos aos poderosos, ela elegerá seus representantes de forma consciente. Foi assim no Brasil nos governos até o Presidente Lula, os políticos e a classe poderosa diziam "o país só irá melhorar no futuro", "o país não pode se desenvolver porque isso causa inflação". Com Lula e após ele o Brasil,com força e determinação, apesar das crises mundiais, já aumentou sua classe de "ricos" em 6 milhões de pessoas, 26 milhões ascenderam às classes médias e os pobres tiveram sua renda incrementada em quase 60%, enquanto os ricos tiveram a renda aumentada em 21%. Isto não é dado acadêmico: é dado de Instituto de Pesquisa com gabarito comprovado, que está no artigo:
http://www.artigonal.com/desigualdades-sociais-artigos/a-nova-classe-dominante-no-brasil-1817262.html
Por isso, canto sempre, com muita altivez:
O povo unido jamais será vencido!

Cáustico disse...

É fanático, sim, Anónimo das 2:23. A sua persistência, diria teimosia, em defender o indefensável, prova-o sobejamente.
A leitura do seu último comentário obriga-me a fazer-lhe as seguintes perguntas:
1 – Que idade tem? A análise dos seus comentários leva-me, posso estar errado, a pensar que se trata de uma pessoa ainda jovem, um tanto imatura. O seu fanatismo e falta de cultura suficiente levam-no a fazer afirmações absurdas.Alguém pior do que você, deve ter-lhe soprado umas coisas ao ouvido e você vomita-as sem primeiro ter tido o cuidado de averiguar a veracidade do que lhe disseram através da leitura de bons livros, de autores com créditos bem firmados.
2 – Qual é a sua nacionalidade? Dizer-se descendente de portugueses é para mim insuficiente, pois há-os em quase todos os países deste planeta. É tupi, pele-vermelha? Não se escandalize, porque a esta dúvida me levou ao dizer que é pela auto-determinação de todos os povos. Da sua conversa deduzi que não é europeu.Engano-me?
Resolveu referir o Afeganistão. Ainda bem, porque tal referência mostra que só sabe de coisas interesseiramente sopradas. Sabe porque razão a Nato está no Afeganistão e quais foram os motivos que levaram a grandiosa união soviética a fazer lá a guerra?
Referiu o Iraque que era governado por um ditador, ele sim, facínora. Sabe o que ele fez a muçulmanos que não eram da cor dele? Sabe o que fez aos curdos?
Sabe do ataque ao Kwait? Julgava que estivesse nos Estates, mas depois do que li, me parece estar na Patagónia onde as notícias devem chegar com dificuldade. Em Portugal tivemos uma ditadura durante 48 anos. Foi instalada pelos Marechais Gomes da Costa e Óscar Fragoso Carmona e continuada pelo Professor Doutor António de Oliveira Salazar. Apesar de ter grande admiração por este estadista, aceitei a sua deposição porque governava em ditadura. E o Sadam não devia ser derrubado? Que raio de democracia é a sua? Como pode afirmar “revolução democrática” na união soviética? Sabia que nas primeiras eleições após a morte de Lenine, o candidato que venceu Estaline, apareceu logo morto? Sabia como e porquê foi Trotsky morto no México, onde estava exilado? Naturalmente não sabia, porque só sabe o que lhe interessa, mesmo que seja uma refinada aldrabice.
Veio com a conversa das estatísticas aldrabadas mas não resistiu à tentação de citar as do Instituto de Pesquisa que devem sofrer do mal de que sofrem as de outros países.Fanático como é pergunto: Qual é o socialismo da sua idolatria: o do Estaline ou o socialismo de merda que Mário Soares introduziu em Portugal e que o está atirar para o fundo do poço? Para o chamar à realidade, da qual se encontra muito afastado por causa do seu fanatismo, lembro-lhe apenas o assassínio, pelos soviéticos, de milhares de oficiais do exército polaco. Mataram-nos, e depois acusaram os alemães daquilo que eles próprios fizeram.
Em Portugal há um governo que se diz socialista, mas que, pessoalmente, considero de um socialismo de merda porque, na prática, não existe socialismo. Grande parte da população sonha com o dia em que poderá ver a corja do governo bem longe.
Repetidamente venho afirmando que os protestos do povo são necessários, mas que são insuficientes, porque é necessária a acção. E quando indico as acções que são possíveis sem derramamento de sangue (as únicas que aceito) e que pratico, ninguém as aceita. E sabe porquê? Porque na sociedade é constituída pela corja humana, cada um luta, por todos os processos, mesmo os mais indignos, mais desonestos, para chegar a brasa à sua sardinha.

Anónimo disse...

Defender o indefensável? Você prova ser um gajo neo-colonialista de direita e bastante preconceituoso. No mínimo, pelo comportamento policialesco, um fascista!
Triste democracia portuguesa cujo presidente não é eleito com o voto da maioria de seu povo. Triste é o povo português se deixar enganar mais uma vez. O terror imperialista, da agiotagem internacional e da miséria baterá mais forte em terras lusitanas européias, ceifará mais vidas. Eu não esqueço a safadeza em que vivia Portugal, corrupção, ignorância política e religiosa, perseguição aos inimigos do regime, censura etc. Essa quadrilha salazarista ainda irá se chafurdar no exílio da África do Sul e se submeter a um governo de negros - suprema humilhação para brancos neo-nazistas!
Ué, policial Caustico, você ainda não percebeu que o meu português é americano - não totalmente norte-americano, mas do Sul e é um português que possui um enriquecimento com as palavras dos "peles vermelhas" e dos negros africanos - sem esquecer do francês, do inglês, do japonês, e, agora, do chinês, do indiano etc?
Não direi para você qual a minha idade - só lhe dou uma pista - tenho mais de 50 anos! Gostaria de voltar à minha juventude e estar na linha de frente novamente!
Será que vou entrar para os seus arquivos para a formação de uma nova polícia política do "saudoso" governo salazarista? Um governo que deixou Portugal de quatro frente às colônias africanas e ao imperialismo internacional, promovendo uma guerra colonial que ceifou a vida de muitos jovens. Eu como jovem na década de 70 já militava na esquerda democrática de meu país, o Brasil, do qual, hoje, tenho orgulho e estou sempre vigilante, como todos os democratas e amantes da Paz neste mundo, para que não haja retrocessos nem aqui e nem no mundo - avançamos para a utopia proletária de um mundo sem Estado - o comunismo.
Bom, eu não responderei o resto do seu interrogatório cheio de saudades da PIDE! Eu não vou responder mais à hipocrisia de quem é um fanático belicista, bandido colonialista, mentiroso, salazarista, mistificador da história e preconceituoso!
Prefiro apresentar para você, o Portugal que amo, país do qual me sinto pertencente:
http://www.youtube.com/watch?v=gkZB0TgDUCs
http://www.youtube.com/watch?v=m1nePkQAM4w
http://www.youtube.com/watch?v=RuzGPhZwG6Y
http://www.youtube.com/watch?v=kJRnIOywZCU
http://www.youtube.com/watch?v=UAyS8cP5NX8
Ditaduras Nunca mais:
http://www.youtube.com/watch?v=wV4vAtPn5-Q
http://www.youtube.com/watch?v=HbmAyfqtB6Y