24.1.11

O "FENÓMENO DO ENTRONCAMENTO"


Nestas eleições houve um "fenómeno" que provocou delírios em pessoas aparentemente circunspectas e que costumam exibir uma coisa parecida com uma cabeça em cima dos ombros. Alguns comentadores e jornalistas forneceram o indispensável gás ao "fenómeno" da mesma forma que o fariam a um mini-tornado ou a uma abóbora gigante. Ainda hoje não conseguiram serenar. O "fenómeno" chama-se Coelho e é da Madeira. Alcançou quase 190 mil votos. É um sintoma de que há qualquer coisa de profundamente idiótico, mesmo na vertente apalhaçada, na sociedade portuguesa. O homem acabará fatalmente capturado pelo "sistema" como um vulgar concorrente do Big Brother. E, à semelhança deles, desaparecerá.

15 comentários:

Daniel Santos disse...

Isso é o desejo de Alberto João Jardim, mas vai ter de o aturara.

Bastonário da Ordem dos Otários disse...

Se o deputado da Madeira do PND viesse a ser eleito, não teria dúvidas, que a sua alta magistratura, seria a todos os títulos, dinâmica e actuante...

José Manuel Coelho «mete num canto» muito "tiririca comentador da televisão» que por aí dissertam sibre ele, nomeadamente o javardo do «escritor» José Rodrigues dos Santos!

Anónimo disse...

O João Gonçalves considera este discurso de Coelho em Braga "idiotico"?
Olhe que o homem diz ali coisas muito certas.

http://coelhopresidente.wordpress.com/2011/01/17/video-nao-editado-coelho-em-braga/

É bastante elucidativo que ao candidato do João Gonçalves, perante o diluvio de corrupção que ameaça tragar definitivamente Portugal, nunca, mas nunca mesmo, alguem tenha ouvido, em publico, uma simples palavrinha de alerta para a questão...

Anónimo disse...

Por amor de Deus, os comentadores adeptos do candidato apalhaçado tenham cuidado que o dito cujo (esse mesmo, o do costume) vai pôr no próximo "peque" impostos para quem goste de aves raras como esta... E como o médico axexesado que diz que ganhou... (!)

Estava para não votar, mas perante estes monos todos (o Alegre até era o menos mono de todos) lá fui votar no Cavaco outra vez...

PC

Anónimo disse...

«Chega a uma altura em que a própria sociedade vai reagindo. É um caldo de cultura que vai fermentando e há uma reacção contrária. A partir de uma altura em que os de baixo já não querem e os de cima já não podem oprimir, dá-se uma explosão social e até acontecem as revoluções», advogou o segundo político madeirense mais popular, logo atrás de Alberto João Jardim.

http://www.tvi24.iol.pt/politica/jose-manuel-coelho-presidenciais-tvi24-madeira/1228269-4072.html

joshua disse...

Quem não se enternece por um Zé Cabra da política?! Ou Sócrates ou Coelho, cada qual à sua maneira Zé Cabra.

Corcunda disse...

Há quem menospreze fenómenos localizados, mas as brotoejas são sempre um sinal de que algo se acumula... nas brotoejas.

Suzana Toscano disse...

Coelho já embalou e já sonha com a candidatura a deputado pela Madeira nas próximas eleiçoes legislativas. Um bom argumento para deixar que esta legislatura chegue ao fim, pode ser que o tempo ajude à previsão do autor do post...

rmvsantos disse...

Viva João.

Talvez com "conhecimento" de causa por ter votado no Coelho.

Um fantástico "Woody Allen" da politica (se é que isso se pode chamar) à portuguesa, já em rota de se tornar um "produto" da politica à portuguesa, pois já está a vender papel - edição do Público de hoje - 25-01-2011.

Confesso que até ao momento tem correspondido inteiramente às minhas expectativas, ou seja, aquilo que se 190000 esperam dele. O mesmo outros não podem dizer, tais não são os jogos de poder outrora encobertos e que agora se revelam (barões do PSD).

A

Rui

PS. Delicioso ver o bardo Alegre "pagar as favas". 1 milhão e qualquer coisa pela campanha. Atendendo aos resultados foi um "flop" como se dizia em tempos de Santana Lopes.

Anónimo disse...

O rapaz é comunista e tem um registo um bocado menos casseteiro que o do Lopes, que teve menos uma quantidade de votos que o Jerónimo.

Eu acho é que o PCP tem ali um óptimo secretário-geral.

Penso pela minha cabeça disse...

Pois é meu caro Sr.
O Sr. na sua vidinha burguesa, a partir da capital do império, e por mais livros que leia, não consegue entender o que se passou aqui na região.
O todo-poderoso governante, auto-intitulado “único importante”, está assustado. Hoje em "artigo de opinião" no pravda local (como se todo este pasquim não fosse outra coisa que não um único espaço de opinião e propaganda, pago a peso de ouro com dinheiro dos contribuintes) já começa a contar espingardas para as regionais de Outubro próximo. E a levantar os fantasmas do costume: "Madeira velha", "extrema direita", "colonialistas de Lisboa", "comunistas", "marcianos", "Bin Laden", ...., sei lá o que mais.
Não percebe a dita criatura que o poder está a fugir-lhe dos pés e que todo o betão e o alcatrão que semeou por toda a ilha (e toda a destruição causada) não dará de comer a toda esta gente. Não percebe que a situação é insustentável.
Não percebe que ao destruir a beleza natural da ilha, destruiu uma das galinha dos ovos de ouro: o turismo. E lá continua ele alegremente a construir túneis e vias rápidas, enquanto em algumas zonas carenciadas da ilha as crianças ficam sem o seu almoço porque não há dinheiro para a conta do gás.
Demais, esquece que a o povo tem memória curta e, sobretudo, é ingrato. E o homem provará do seu próprio remédio um dia.
Claro está que quando esse dia chegar os poderosos do regime, que enriqueceram à tripa forra com os fundos europeus e nacional, meter-se-ão nos seus aviões privados em busca do seu exílio dourado, à custa de toda a massa acumulada num qualquer offshore.
O azar do homem (e nosso) é que desta vez não há um Guterres que possa acudir à dívida da região. Esta fica para os nossos descendentes.
P.S. Não votei no último Domingo. E sei bem que o candidato Coelho foi uma arma de arremesso servida em lume brando com as próprias armas do regime desta ilha. E ele também o sabe.

Anónimo disse...

O facto é que o Sr Coelho obteve um resultado que ridiculariza o sistema. E o sistema mais do que o merece. Essa é que é essa.

Cáustico disse...

Ouvi muitos discursos de Hitler e não posso deixar de lhe estar grato pelos bons momentos que passei a ouví-lo. Embora não saiba alemão para perceber o que ele dizia, era, no entanto, um encanto todos os seus gestos histriónicos.
Com Coelho é um pouco diferente. Sei o que ele diz e melhor o que ele quer, que é, aliás, o que quase todos querem.Só não me faz rir tanto como o Hitler fazia, porque, como actor, está muitos pontos abaixo dele.

Anónimo disse...

ohh caustico: parce-me que não percebes nada da coisa, tens de ter mais atenção. O coelho abriu uma bandeira nazi no parl.madeira para chamar nazi ao alberto. Ele não perfila nesse regime.
Caustico, caustico tens de pensar antes de abrir a boca e teclar...

Anónimo disse...

O «Cáustico» devia ter umas lições com o General Giap da Madeira.