25.1.11

EANES, SOLENIDADE E RISCO


O Presidente Ramalho Eanes completa hoje mais um aniversário. Daqui lhe envio um fraterno, leal e amigo abraço de parabéns. Eanes é para algumas pessoas da minha geração o exemplo do patriota não patrioteiro, do homem e do militar decente, austero e firme, sem nunca deixar de ser afectivo, corajoso, moral e fisicamente, de alguém que sempre deu mais ao país sem nunca esperar que o país lhe devolvesse o que quer que fosse a título de gratidão ou de prebenda. Não se exibe. Está quando as suas qualidades cívicas e a sua consciência requerem que esteja. Foi contra ele que os maiores partidos do regime "cozinharam" os parcos poderes presidenciais que estão presentemente na Constituição dos quais já só falta retirar o poder do povo soberano eleger, de forma directa e universal, o Chefe do Estado. Eanes não criou em torno de si uma hagiografia patética nem se armou em "pai da pátria" quando teve todas as condições para o fazer entre 1976 e 1983 - detinha poder político e militar. Errou ao fomentar um partido político que seria sempre menor (e servido por gente menor) do que ele. Em 1976, aquando da campanha que o elegeu livremente como o primeiro PR após o "25 de Abril", Sophia de Mello Breyner acompanhou-o numa acção nos Açores. Quando chegaram a São Miguel, tinham à espera uma meia dúzia de provocadores separatistas. Sophia contou num jornal que a impressionou a coragem com que Eanes avançou sozinho em direcção aos ditos cujos e lhes lançou, calando-os: "quem vos pagou?" E escreveu que Portugal precisava de alguém como Eanes para viver a liberdade com coragem e austeridade. Alguém que, como diz nuns versos seus, ponha em cada gesto "solenidade e risco".

19 comentários:

Cáustico disse...

No princípio desconfiei dele. E tudo por causa da merda do socialismo(comunismo). Hoje, considero-o um homem íntegro, honesto, muito acima de Sampaio e Soares, dois socialistas de merda.

Rosa Afonso disse...

Sim, sim, tudo isso. Mas confesso que às vezes me cansa aquele discurso "ética e politicamente", ética isto, ética aquilo, há termos que não merecem ser banalizados.

Anónimo disse...

Com o Ramalho não havia casamentos gay.

Anónimo disse...

Este sim, um Homem Muito SÉRIO E INTEGRO. Talvez o único que passou pelo cargo......

Anónimo disse...

O General Ramalho Eanes é o exemplo a seguir do homem e do militar (e do político) que hoje em dia dificilmente encontramos neste retângulo à beira-mar plantado. Homem e militar de verticalidade ímpar, sério, honrado e honesto, que desempenhou o cargo político do mais alto Magistrado da Nação sem vaidades nem aproveitamento do cargo para passear e esbanjar dinheiro aos pobres dos contribuintes, como sucedera com os outros dois fiéis devotos da capela do rato.

Anónimo disse...

«exemplo do patriota não patrioteiro»
Comprovado com a dispensa/recusa de um MilhãoDeEuros.
A diferença de personalidade e ou carácter que vem dali para os sacrificados dirigentes e patriotas tempos que correm:
"Bandeira, Francisco": «banqueiro, socialista e maçon» (no Sol de há duas semanas);
Um dos acumuladores do regime (social-socialista) que temos:
24 horas de serviço diário, sete dias de trabalho por semana - vice da CGD (300 mil) e chefe do BPN (66 mil);
Há uma semana: «sem apetência para cargos no governo, gosta muito de ser socialista».
A bem do Regime.
JoseB

APC disse...

Caro JG,

É exactamente isso! Eanes nunca se armou em Pai da Pátria, nem em arquétipo da Integridade e Honestidade. Bem,ao contrário de Cavaco.
Parabéns sentidos, Eanes.

Anónimo disse...

Confesso que, durante muito tempo, não apreciei devidamente as qualidades do general Ramalho Eanes: era, talvez, demasiado jovem... Mas hoje devo reconhecer que foi o melhor Presidente que tivemos, sobretudo pelo exemplo de rectidão e seriedade impecáveis. Ad multos annos, gen. Eanes!

Anónimo disse...

Permita que, embora anonimamente, assine tudo por baixo.

Parabéns, General Eanes, e obrigado.

Orlando disse...

Relembro a questão do dinheiro a que tinha direito e não lhe queriam pagar, e após anos de disputa quando lhe foi dada razão, com o subsequente pagamento, não aceitou o dinheiro.

Anónimo disse...

Ramalho Eanes, um grande general e um grande presidente, honra lhe seja feita,tem horror a burlões e trafulhas.

Um exemplo para todos os politicos nacionais, sem excepção.

MINA disse...

Associo-me às felicitações ao general Ramalho Eanes. Os militares costumam ser, salvo raras excepções, a reserva moral da Nação.

Anónimo disse...

De facto Eanes "acalmou as hostes" no sentido próprio e figurado,quando isso foi històricamente necessário. Mas as infelizes sequelas do seu mandato,o triste PRD,mostram tambem as suas limitações,de que o próprio,aliás,tinha a noção. Teve o seu tempo,esteve bem,e pronto,não é preciso celebrá-lo agora com o sebastianismo que se adivinha por aí. Quanto aos militares como reserva da Nação,como augura um conspícuo comentador,diria o contrário,só excepcionalmente o são. Os exemplos abundam,por cá e pelo mundo fóra,e passamos bem sem Saldanhas nem generais birmaneses.A Civilização inclui o termo "civil",e não é por acaso...

Jacinto disse...

É aquilo que todos os Presidentes deveriam ser - íntegro, espartano e patriota. E verdadeiramente corajoso.
Subscrevo os cumprimentos a este Homem.

Carrilhão de Mafra disse...

Muitos dos adjectivos que lhe gostaria de colar já foram usados nesta caixa do correio. Resta-me reforçar que, independentemente de um erro ou outro no trajecto político já mais ou menos longínquo, foi o único homem sério no meio desta trampa toda que são os politiqueiros pós 25 de Abril. Bem haja, General!

Hermitage disse...

O traço dominante do predominio de uma certa ideia de esquerda ainda hoje prevalecente no País, arrotando supremacia de pensamento e direito natural ao Poder, também se deve a Eanes, admirador de Melo Antunes.

E lembremos, desapaixonadamente, a sua tentativa de nos tutelar pelo PRD e a hipocrisia militante contra Sá-Carneiro.

Tudo bem, a gente é magnanima, mas não parva.

A circunstância histórica de anti-comunismo no prec, deu bons dividendos a Eanes e a Soares, que foram clarividentes e aproveitaram para recolher os louros, em memória futura.

Mas que isso não obnubile a realidade política de ter contribuido para o desenho desta coisa em que estamos...

De resto um Homem honesto e patriota.

Anónimo disse...

Atenção, este é o próximo PR! Mesmo em 2016, Durão Barroso ainda estará verde para presidente. Subscrevo tudo o que de bom foi dito. RMR

Anónimo disse...

Durão ???lololol, Vai ser tão presidente como foi o Freitas.

António Viriato disse...

Aqui está uma saudação bem merecida.

Como as coisas se apresentam, nunca se sabe se ainda dele não viremos a precisar.

Poucas figuras terão resistido tanto à usura do tempo como a do General Eanes.

Longa vida e alta distinção a esta provada Reserva da Nação.