29.1.11

TENTATIVAS E REPETIÇÕES


Hoje foi um fartote de "inaugurações de escolas requalificadas" (sic). Ou seja, nada foi inaugurado que não estivesse já aberto. O que na realidade foi "inaugurado" foi a pintura nova, a escadaria restaurada, a sala mais aprazível, o muro solidificado. Deu para Sócrates, ministros e secretários de Estado voltarem à estrada depois de duas semanas de intervalo. E continuarem tranquilamente a fazer o que fazem melhor - tentativas e repetições, em suma, propaganda de tesoura na mão.

9 comentários:

Fado Alexandrino disse...

Vi agora no telejornal que também foi "inaugurado" o Hospital de Braga que será novamente inaugurado em Maio.

antónio chuchado disse...

Pelo menos, a principal figura do retrato, que empunha a tesoura, não 'enganava' ninguém: era, genuínamente, um "pau mandado" sem moral.

Pelo contrário, o presente 'cromo', o pavão de S. Bento, é um eminente aldrabão, um cretino vaidoso.

antónio chuchado

floribundus disse...

'até à próxima,
se não for antes'
PQP

Penso pela minha cabeça disse...

Exactamente !!

É o que faz o sósia dele aqui na Madeira. E até Outubro vão ser muitas sessões a cortar fitas. E muitas sessões de propaganda e circo, sobretudo depois do susto "coelho".

Mas o que está certo é ser solidário com o todo nacional, e não como o "vilão" dos Açores que decidiu canalizar fundos de estádios de futebol para cobrir o que foram buscar aos bolsos dos funcionários públicos.

Anónimo disse...

É o momento da comestica e da estetica. Não é só a tarologa que mete mamas novas. São todas as escolas requalificadas que em operação de cosmetica estão como novas. E quantos computadores? E qual foi a empresa que os forneceu? E os quadros electonicos? A empresa é de quem? Quem mama?

Anónimo disse...

Requalifacações que custam tanto como fazer novo. E não esquecer que essas obras dão dinheiro para todos...

Cáustico disse...

A vilania da corja do Rato não tem limites.Durante o consulado do Professor Doutor António de Oliveira Salazar, insigne estadista português, assisti algumas vezes, com profunda irritação,a todo o cerimonial das inaugurações de obras de todo o tipo, mas de obras começadas e acabadas. Um dos intervenientes habituais nessas andanças era o Almirante Américo Tomás que, por tal motivo, foi cognominado "O corta fitas". Mas cortava fitas na inauguração de obras criadas de raiz e não como o fazem agora os aldrabões do bando do Rato que dizem inaugurar obras sem referir que se trata apenas de obras de conservação ou de reparação que não justificam gastos, como as outras também já não justificavam, em inaugurações.
Se o Almirante era um corta fitas, qual o apodo mais indicado para o canalha político, para o aldrabão sem escrúpulos e sem vergonha? Tonto das inaugurações, será o mais aconselhável.

Anónimo disse...

"Isto" parece um manicomio... Ninguem estranha... Interne-se o dito cujo e injectem-se-lhe o maximo de "substancias" para que esteja quieto e calado num canto qualquer.

PC

Isabel disse...

Um dia, assim o espero,alguém escreverá a tenebrosa história da Parque Escolar, entidade betoneira nebulosa à qual cada escola intervencionada passará a pagar(se o conseguir) avultada renda, acrescida dos gastos de manutenção do megalómano Plano Tecnológico.