7.7.10

«QUE FAREI EU COM ESTA ESPADA?» OU A CORAGEM DE PASSOS COELHO


Apoiei, voltaria a apoiar e espero vir a apoiar noutras ocasiões. Relativamente ao que Santana Lopes pergunta - «como explicar o apoio objectivo de Cavaco Silva à decisão do Governo e, portanto, do Primeiro - Ministro? Também estará a "fazer o jogo" de José Sócrates?» - a propósito da nervoseira patriótica em torno da horrorosa PT, só lhe posso responder em perguntas. O que é que queria que o homem fizesse depois de ter criado, como chefe do governo, as golden shares? O que é que o homem, enquanto PR, poderia dizer de diferente já que também acha que aquilo é "interesse nacional estratégico"? E, em termos do que o PC designava por uma "convergência objectiva de interesses", não acabam todos numa assim a cuja cabeça preside, recuperando fôlego à custa disto, Sócrates? Não vejo nenhum membro desta distinta "convergência", a começar pelo PR, sustentar com argumentário económico e financeiro plausível para o mundo em que vivemos (e não para Lula da Silva, por exemplo), esta absurda presença estatal na PT. Só os vejo agarrados à espada do Lidador porque sim, porque "aqui nasceu Portugal" e porque quem não é patriota não é bom português, como recordava amiúde o Doutor Salazar, insuspeito de ser ultraliberal, e que é prévio à União Europeia. A realidade, dr. Santana Lopes, vive bem sem coisas como a PT, uma empresa puramente político-partidária, regimental e péssima prestadora de serviços ao consumidor cuja golden share é paga pelos seus impostos. E a realidade inclui, entre outros, um agora diabolizado mercado e um Tratado de Lisboa a que a "convergência objectiva de interesses» bateu muitas palminhas (eu não). Aparentemente só Passos Coelho - "apenas" o líder do maior partido da oposição e com boa receptividade no país, a avaliar pelas sondagens, apesar de não andar agarrado à referida espada - se está nas tintas para esta "convergência" e começa a deixar entrar a realidade na sua cabeça sem perder a qualidade de português por isso. A culpa da coragem dele é minha que nem sequer sou "coelhista"?

6 comentários:

antónio chulado disse...

Isto é demais!

Agora, o faisão Mendonça, um dos subordinados directos do pavão de S. Bento, vem com 'paninhos quentes', aquecidos por uma voz terna e pacífica, advogar o negócio da vivo, da pt ou do raio que os parta.

Incomoda os espanhóis tomarem conta de uma empresa estratégica, mas não os incomoda a invasão chinesa, que destrói dia a dia a estrutura comercial do país.

Canalhada reles!


Cada vez se torna mais difícil viver neste charco.

antónio chulado

Anónimo disse...

Todo este charivari em torno da PT e das golden shares é estéril e ridículo. E apenas em defesa de cargos e ordenados. É sabido.
O interesse nacional e a pátria, para os políticos que temos, não valem um caracol. Querem agora "vender-nos" que esses nobres valores estão todos concentrados na PT e só na PT: antes da PT nada era estratégico; depois da PT, todo o interesse estratégico se concentra lá!
Desde meados dos anos 80 que estes valores, que todos deviam defender com orgulho e empenho, não representam nada para a cáfila de traficantes e incompetentes que nos governam. Assim formaram mais traficantes e mais incompetentes.
Salvo honradas e escassas excepções, todos eles se venderam por benesses, na sombra. Outros, mais afoitos, trataram de fanar às escâncaras - o chamado "rouba-a-rir". Infelizmente a Faculdade de Direito e o ISEG forneceram a maior parte da matéria-prima que entrou na composição de inúmeros governos. A maioria desses senhores nunca viu uma máquina, nunca viu um laboratório (não são aqueles da urina-tipo-2), nunca viu uma siderurgia, um estaleiro naval, um radar, um circuito, tecnologia, a manutenção da TAP etc, etc. E não estou a falar de visitas de estudo encenadas para a RTP.
A eles nada os entusiasma - a não ser a ambição ridícula de mordomias e o luxo cigano em gabinetes. Conheceram o país em campanha, entre febras e copos de vinho mau. Também ignoram a sua História. De que falam eles afinal? E o povinho? que entenderá o povinho por "interesse estratégico"?
O regime não quer é ir parar ao desemprego (filhos, tias, irmãos, amigos). É a razão pela qual dificilmente acabarão os institutos públicos.

Ass.: Besta Imunda

Eduardo F. disse...

Mantenho a suspeita que o não de Passos Coelho à utilização da golden share corresponde a mero tacticismo de ocasião.

Ficarei muito satisfeito se o futuro vier a mostrar-me que estou enganado.

Mani Pulite disse...

DESTA VEZ O PASSOS ACERTOU O PASSO.SERÁ QUE PERCEBEU QUE O VIGARISTA É MESMO UM GRANDE VIGARISTA E QUE QUALQUER ACORDO COM ELE SÓ PODE SER HOJE RUINOSO PARA O PSD E PARA O PRÓPRIO PASSOS?COM O VIGARISTA SÓ SE PODE DANÇAR O MALHÃO DANDO-LHE COM O MALHO.QUANTO AO SANTANA METE DÓ.PORQUE NÃO TE CALAS?

jccl disse...

tá tudo louco..

Levaram anos a injectar dinheiro subtraído a mais aos clientes da PT (e à sociedade Portuguesa, por extensão), protegendo monopólios e os accionistas, injectando subsídios (sim, subsídios, vão ver o que a PT recebe...) do Estado Português em barda na PT, tudo para ter dimensão crítica, se tornar internacional, desenvolver a economia portuguesa com a difusão de inovação e agora que se lixe isso, querem é o dinheiro TODO (o dos accionistas que é pouco e lhes é devido, e a fatia maior que foi roubada - é o termo - aos clientes e à sociedade portuguesa) para o bolso só de alguns???

Imposto extraordinário sobre descapitalização de empresas, reposição de benefícios obtidos, reposição dos montantes irregularmente obtidos em monopólio, etc. e tal. Depois, podem ficar com as sobras para os accionistas e para "remunerar" o seu investimento sem risco sempre sustentado pela golden share e pelo apoio do Estado Português.

Isto não é liberalismo! É roubo!

JCL

PS E as consequências em termos de emprego na PT Inovação e afins com a venda da Vivo? Ia tudo para o desemprego, numa onda muito, mas muito maior e de enormíssimo impacto que a Quimonda, por exemplo.

Anónimo disse...

Besta Imunda em grande forma!

PC