5.5.10

RUÍNAS SOBRE RUÍNAS


«Pensando no estado em que está a Grécia, e pensando no estado em que tende a encontrar-se Portugal, em parte por responsabilidade de um governo cujo comportamento se aproxima da pura e simples delinquência, as emoções são mistas. Por um lado, a perda e a ruína são coisas bem reais. Por outro, a verdade é que Esparta ainda existe, o que quer que isso, "Esparta", queira dizer. Resta saber se o destino da Grécia será pior que o nosso, porque pelo menos George Papandreou, um homem inteligente, honesto, e além disso bem educado nos Estados Unidos, dá a ver aos seus compatriotas (um bocadinho selvagens, deve-se reconhecer) a situação em que estão, sem dourar a pílula. Vale a pena comparar com o engenheiro Sócrates? Não vale.»

Paulo Tunhas, i

10 comentários:

rmvsantos disse...

Não se podendo monesprezar o jogo de Sócrates, torna-se claro que a sua estratégia passa em tudo pela sua capacidade em fazer o PSD de Coelho fazer o jogo do PS.

Parece óbvio!

A

Rui

Anónimo disse...

Apesar de toda a crua realidade, os noticiários televisivos continuam filtrados e é evidente a selecção-suavização dos acontecimentos. No caso da RTP, a coisa é gritante: entre encadeamento de notícios (eles dizem "alinhamento"...), manobras de diversão, mentiras e omissões - tudo isto relatado pelo tranquilizante rodrigues dos santos - a rapaziada, o povaréu é assim caridosamente poupado. Até porque já deu bastas provas de não saber o que fazer com a informação e de como encarar a realidade: sócrates.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

"George Papandreou, um homem inteligente, honesto, e além disso bem educado nos Estados Unidos"

Esta é hilariante, mais uma vez o portoguesito vai-se pelas aparências.
Tem um ar enxuto e grave passa a gajo porreiro automáticamente.

Papandreou é um membro de uma das familias oligárquicas do Poder Grego, e só a mais importante, a outra Caramalis nunca teve o poder que os Papanderou tiveram.
Entre elas partiram o estado Grego em clientelas, favores e muita corrupção.
A gestão da crise por Papandreou é um manual de deixar as coisas andar e negação até colocar as culpas no exterior, entretanto o risco de deitar o edifício todo a baixo foi aumentando.
Os Portugueses deveriam deixar de ver TV
faz-lhes muito mal aos neurónios.

lucklucky

carol disse...

E acreditam que se lá estivesse o Dr. Fulano-de-Tal do PSD a situação do país seria diferente?

Anónimo disse...

Primeira lei de Cavaco: a boa moeda parada é comida pela má moeda em movimento. E continua o seu trabalho, alegre e contente, enquanto o país arde em incompetência e endividamento louco.

Alves Pimenta disse...

"Vale a pena comparar com o engenheiro Sócrates?", pergunta Paulo Tunhas.

Ressalvado o facto de o dito não ser engenheiro coisa nenhuma, vale sempre a pena comparar um homem de bem, como George Papandreou, com um borra-botas. Para se ver a diferença.

Karocha disse...

Vale sim JG.

menvp disse...

Apelo: O MUNDO PRECISA DE CUBA PARA SALVAR MILHÕES DE PESSOAS

Jorge Sampaio alerta para falta de quatro milhões de profissionais de saúde no mundo

Os gajos de Cuba podem ter montes de defeitos... no entanto, possuem o know-how necessário para formar a quantidade de profissionais de saúde necessária às populações!

Tal como dizem os chineses - «não dês um peixe, ensina a pescar» - ou seja: a solução não é importar médicos cubanos, mas sim, pedir ajuda ao governo cubano... para que se consiga formar a quantidade de profissionais de saúde necessária!

www.angeloochoa.net disse...

Na Grécia papa aposto a nome significa pai ou o latino padre e claro é que há papas e papas -- o anterior a este tinha o esquerdino defeito de mentir e tudo deu no que deu porque o real, palavra cara a materialistas, estava escondido.
Agora quanto a oligarquia nossa se oligarquia de papas não é, é oligarquia de capelinhas maçónicas e outras a vingarem por todos mas todos os partidos -- há séculos que salvas excepções de subidas a pulso próprio de um ou outro isto vem sendo puríssimo (entre aspas) compadrio. O GRAVE É QUE NOS MENTEM COM QUANTOS DENTES TÊM!
Sobre saídas e crise após crise a nos esperar contarei que jornalista desempregado e mal pago (quando pago) me apareceu a vender calendários do a meio 2010. E mais livrinhos até bons de ofertas de jornais. Lhe dei um euro por um e lhe disse: Amanhã poderei ser eu a ter que desfazer-me de amantíssima biblioteca própria.
Agora de poste de papa e papás a lado (permita-me JG) a desfaçatez é tal que essa passou das atl ou quejandas na rr (a que deveria ser emissora católica portuguesa) e estamos por aqui conversados quanto ao que achará cá Bento xvi. Esperarei ouvir de hoje a oito dias Manoel de Oliveira que também anda há muito a milénios lux desta sujeira... E ouvir Bento xvi que vivo já o vi a 13 do Maio do 2000. Fátima e a Rainha façam por nós milagre de sobrevivermos a tenebroso tempo este.

Eduardo F. disse...

Assinale-se a continuada clarividência de Paulo Tunhas em mais num exercício, sempre conseguido, de contenção narrativa.