23.5.10

ALGUNS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

«O povo é bom tipo.

O povo nunca é humanitário. O que há de mais fundamental na criatura do povo é a atenção estreita aos seus interesses, e a exclusão cuidadosa, praticada tanto quanto possível, dos interesses alheios.

Quando o povo perde a tradição, quer dizer que se quebrou o laço social; e quando se quebra o laço social resulta que se quebra o laço social entre a minoria e o povo. E quando se quebra o laço entre a minoria e o povo, acabam a arte e a verdadeira ciência, cessam as agências principais, de cuja existência a civilização deriva.

Existir é renegar. Que sou hoje, vivendo hoje, senão a renegação do que fui ontem, de que fui ontem? Existir é desmentir-se. Não há nada mais simbólico da vida do que aquelas notícias dos jornais que desmentem hoje o que o próprio jornal disse ontem.

Querer é não poder. Quem pôde, quis antes de poder só depois de poder. Quem quer nunca há-de poder, porque se perde em querer. Creio que estes princípios são fundamentais.»


O Livro do Desassossego, de Bernardo Soares

2 comentários:

floribundus disse...

a vida de hoje parece aquelas corridas de cavalo
onde ao saltar a sebe ou a vala o cavaleiro
se despede do cavalo

meu falecido cunhado era tesoureiro de empresa com milhares de trabalhadores.
dizia que o fim do mês era mais temido que o fim do mundo.

Anónimo disse...

«Nada vale a pena, ó meu amor longínquo, senão saber quanto é suave saber que nada vale a pena».