15.5.10

O ELIXIR SOCRÁTICO



Nunca é excessivo repetir a famosa ária do pantomimeiro Dulcamara porque a figura inspira muita gente. O vate socrático da blogosfera é um deles. Aqui cita Pulido Valente mas omite o essencial da crónica, a saber, a perigosa contribuição de Sócrates para o Portugal do "viva", diariamente bajulado pelos seus seguramente esfolados joelhos pagãos e ateus. E aqui o encómio à piedosa intervenção do seu herói a bem da nação, do euro e da senhora Merkel precisamente pela ordem inversa. O elixir que o Eduardo anda a defender mata mais do que salva apesar de ele o tomar (e querer que nós o tomemos, tomando-nos a todos por parvos) a sério. Ao menos o de Dulcamara era apenas vinho.

Clip: Donizetti: LElisir dAmore, Teatro Real Madrid. 2006. Ruggero Raimondi

4 comentários:

António VT disse...

Caro JG,

Aconselhava-o ler, embora espere que não vomite, os interessantes artigos hoje apresentados pelo DN e JN, respectivamente do Paulo Baldaia, director da TSF e do João Marcelino, director do DN.
Revelam toda a falta de vergonha destes ratos que procuram novo dono para os seus respectivos "joelhos esfolados".
Note-se a coincidência de opiniões na mesma data: MFL tinha razão, Sócrates enganou-nos (ou enganou-os, comprou-os?) e PPC mostrou toda a sua dignidade.
Terão recebido algum telefonema do Sr. Oliveira?
Seria igualmente interessante recordar o que estes dois disseram de MFL durante o ano passado.

Cumprimentos,

António

floribundus disse...

'iudex damnatur, cum nocens absolvitur
o juíz condena-se ao absolver o criminoso'

Anónimo disse...

Ruggero Raimondi 5 estrelas.

lucklucky

Anónimo disse...

Uma vez que gosta de Ópera, Dr. Gonçalves, gostava que nos descobrisse uma que tenha heróis e ideais republicanos específicos e explícitos: talvez exista, mas não me recordo; e os autores? Puccini? Verdi-Nacionalista? Beethoven-pré-Bonaparte-invasão-da-Austria? Algum era republicano? Mozart-aventaleiro queria repúblicas do tipo bananas?

Ass.: Besta Imunda