16.5.10

CINEMA MUDO

O governo - Sócrates - convocou uma reunião da "concertação social" para a semana. Haver gente que ainda se senta a uma mesa para "concertar" o que já está "concertado" unilateralmente, diz mais acerca dessa gente do que sobre quem convida.

7 comentários:

Garganta Funda... disse...

Mais um evento do Sr.Sócrates para gozar com o pagode.

Será que os presidentes vitalícios dos sindicatos vão alinhar em mais uma farsa?

jojoratazana@sapo.pt disse...

ESTE PAÍS ÓRFÃO DE POLÍTICOS E DE POLITICAS É UM PAÍS DE FAZ DE CONTA QUE. PORQUE NA REALIDADE NÃO EXISTE, POR EXEMPLO UM PRIMEIRO MINISTRO QUE GANHOU UMAS ELEIÇÕES COM UM PROGRAMA DE GOVERNO QUE LHE PERMITIU DERROTAR O 2º PARTIDO MAIS VOTADO, ESTÁ NESTE MOMENTO A GOVERNAR COM O PROGRAMA DE GOVERNO DO PARTIDO QUE DERROTOU NAS ELEIÇÕES DE HÁ SEIS MESES. O PRESIDENTE DA REPUBLICA NÃO EXISTE PORQUE SE EXISTI-SE JÁ TERIA REUNIDO O CONSELHO DE ESTADO PARA TOMAR MEDIDAS DRÁSTICAS, MAS ESTE SENHOR COMO NÃO É POLITICO ENTROU DE FÉRIAS PARA ANDAR A ACOMPANHAR O PAPA ENQUANTO SE ASSISTIA AO MAIS COMPLETO DESGOVERNO DO PAÍS.

O NOVEL LÍDER DO PARTIDO MAIS VOTADO DA OPOSIÇÃO , É UM ZERO HÁ ESQUERDA POIS CALA QUE O ACTUAL PRIMEIRO MINISTRO MAIS NÃO FAZ QUE PRATICAR AS POLITICAS DEFENDIDAS PELO PSD QUE SAÍRAM DERROTADAS NAS ULTIMAS ELEIÇÕES.

NA REALIDADE O QUE ACONTECEU NA ULTIMA SEMANA, FOI O FIM DE PORTUGAL COMO PAÍS INDEPENDENTE E LIVRE A PARTIR DESTE MOMENTO OS DOIS CARGOS QUE REPRESENTAVAM A NOSSA SOBERANIA, PRESIDENTE DA REPUBLICA E 1º MINISTRO DEIXARAM DE REPRESENTAR PORTUGAL E O POVO PORTUGUÊS, POIS NESTE MOMENTO NÃO PASSAM DE COMISSÁRIOS POLÍTICOS DA UNIÃO EUROPEIA.

PARA QUE ESTA PRÁTICA NÃO SEJA CONFIRMADA É PRECISO QUE O POVO DIGA NÃO A ESTE NOVO ESTADO DE COISAS, POR MIM E DESDE O DIA 9 DE MAIO DE 2010 NÃO RECONHEÇO COMO REPRESENTANTE DE PORTUGAL O PRESIDENTE DA REPUBLICA, O PRIMEIRO MINISTRO E A ASSEMBLEIA DA REPUBLICA QUE NÃO REPRESENTAM O POVO PORTUGUÊS

Mani Pulite disse...

NÃO DIGA ISSO, REUNIÕES DA KLEPTOCRACIA SOCIAL SÃO SEMPRE NECESSÁRIAS...PARA MELHOR ESFOLAR O TUGA CONTRIBUINTE.

Anónimo disse...

Ou será mais para lhes comunicar que a partir de agora os parceiros sociais terão de deslocar-se a Berlim para "concertarem", isto é, para receberem de um sub-secretário de estado qualquer do governo alemão todas as decisões unilaterais referentes à "concertação social".

"The German government is to press other eurozone countries to adopt their own versions of Berlin’s balanced budget law as part of a set of sweeping reforms..." FT

http://www.ft.com/cms/s/0/5ff35db4-6117-11df-9bf0-00144feab49a.html

VA

Anónimo disse...

O engenheiro-mitómano, sempre atento, colheu bem a ideia de soares (nada concertada com ele, de certeza) e "a exemplo da espanha" de comuna-sapateiro, vai encenar mais um power-point para consumo da cáfila jornalística das 20h.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

entre os sindicalistas que tanto ódio geram, anda carvalho da silva há uma tempão dizendo que nas reuniões da concertação já tudo está decidido

rmvsantos disse...

Não é para assustar, mas:

Ex-secretário do Tesouro britânico deixa carta a dizer que “já não há dinheiro”


http://economia.publico.pt/Noticia/exsecretario-do-tesouro-britanico-deixa-carta-a-dizer-que-ja-nao-ha-dinheiro_1437527


O desafio económico que o novo governo britânico enfrenta está reflectido na frase única que consta da carta que o novo secretário do Tesouro recebeu do seu antecessor: “Já não há dinheiro”.

David Laws revelou o conteúdo da mensagem hoje, o mesmo dia escolhido pelo ministro britânico das Finanças, George Osborne, para anunciar que o orçamento rectificativo do governo vai ser apresentado no dia 22 de Junho.

“Quando cheguei ao meu gabinete, no primeiro dia como secretário do Tesouro, encontrei uma carta do meu antecessor [Liam Byrne]. Pensei que se tratava de algum conselho ou recomendações quanto à melhor forma de desempenhar as minhas funções nos próximos meses”, contou Laws aos jornalistas

“Infelizmente, quando abri a carta, tratava-se apenas de uma frase que dizia: “Caro Secretário, lamento informá-lo que já não há dinheiro”, o que era um esclarecimento honesto, mas menos útil do que estava à espera”, acrescentou.

O novo governo britânico formado pela coligação Conservadores-Liberais Democratas, que assumiu o poder após as eleições de 06 de Maio, elegeu o controlo do défice como uma das suas prioridade e vai apresentar um orçamento rectificativo a 22 de Junho, exactamente seis semanas ou 42 dias depois da assinatura do acordo de coligação.

O governo de coligação é encabeçado pelo conservador David Cameron, que não conseguiu a maioria absoluta para governar sozinho e escolheu o líder dos liberais democratas, Nick Clegg, para vice-primeiro-ministro.

A

Rui

PS. Nem tudo é mau. Pelo menos podem dizer que vão começar do ZERO.