19.5.10

O MINISTRO SEM PASTA


Depois do 1º ministro, calhou hoje a vez de Passos Coelho conceder uma entrevista a Constança Cunha e Sá. Aliás, pelo andar da mesma, notou-se que Passos "acumula" pastas no governo de Sócrates, desde a de ajudante propriamente dito até às finanças, à economia, às obras públicas e transportes e à de sem pasta. Esta é justamente a que melhor caracteriza o infeliz presidente do PSD que, à excepção de Ferreira Leite, é mais um que o citado Sócrates enfia no bolso do casaco lá onde os cavalheiros costumam colocar um lencinho.

Adenda (de um mail de leitor):«Lamentável. Fraco. Inseguro. Sem sentido de humor. Sem sarcasmo. Sem faísca. Sem revolta. Expectante: tal como uma grávida no séc. XIX tinha que esperar pela Graça de um filho escorreito - mas a contemplar toda a sua ascendência directa a babar-se de idiotismo e a fazer tagatés e momices. Arrepiante.»

11 comentários:

De nihilo nihil disse...

Versão sépia do maligno magenta.

Anónimo disse...

Esta versão dois em um, mais do que exercer política com sombras, pode a breve trecho tornar-se uma verdadeira ópera bufa.
Como é possível a convivência promíscua de duas tendências tão díspares, com dois falsos intérpretes de políticas de gente rica, num país de gente pobre?
Será que Passos Coelho está a estagiar com Sócrates, aprendendo os golpes baixos, da baixa política?
A saga deste filme continua num "cinema" perto de nós.
Cps
Scaramouche

Anónimo disse...

Pró "stress" :

http://sorisomail.com/email/1456/farto-de-politicos.html

João Neves dos Santos disse...

Pedro Passos Coelho (PPC) é o verdadeiro Plano de Protecção ao Crédito do governo de José Sócrates.
Juntos poderiam ser apelidados de "Evil Twins"

floribundus disse...

mais um 'sapateiro além da chinela'
na península
zapatero-zapatillas

Garganta Funda... disse...

Eu bem vos avisei.

Esta geração de politicos de plástico; que não «assentaram praça»; que nunca pegaram numa enxada para cavar ou mesmo que nunca leram do princípio ao fim uma obra dos «clássicos», só podia originar este pântano, lodaçal e bancarrota já anunciada.

Agora, portugueses pacóvios e desmiolados, tomem a cicuta até ao fim!

Anónimo disse...

Foi o primeiro movimento do manequim-passos no xadrez da política - um pacto com o diabo - mal saído da fábrica de líderes, ainda com cêra e plásticos protectores - novinho em folha. Agora já é "damaged goods". Estulto. Devia ouvir mais o Avô Ângelo; mas mesmo essa possibilidadezinha não o desobriga de adquirir um cérebero.

Ass.: Besta Imunda

João Neves dos Santos disse...

Devo andar desatento mas ainda não ouvi ninguém falar das tenebrosas consequências de se abrir uma "crise política" no país. Ora, se isto já não é uma crise política/financeira/económica/social no país, não sei onde teremos de chegar para bater na parede, como dizia o outro.
Pergunto: face ao actual cenário de total incerteza quanto à capacidade de Portugal honrar os seus compromissos face a Bruxelas e aos credores externos, decorrente da política conduzida pelo PS nos últimos quase 15 anos, porque não a convocação de eleições antecipadas? Senão isto é um pouco como ver um pirómano a acenar um isqueiro e só lho tirar depois de incendiar a cidade inteira.

Anónimo disse...

Estavam à espera de um primeiro-ministro sombra? e...saiu-vos uma sombra de líder da oposição!

Como diria o "Buterres": É a vida!

C.S.

Roberto Ceolin disse...

têm o que merecem...
não quiseram dar crédito à Ferreira Leite que descreveu com incrível pormenor há dois anos tudo o que está a acontecer hoje em Portugal.
Preferiram deixar-se levar por sonhos baratos e promessas televisivas e espetaculares 'a la americana'. agora têm aquilo que compraram.
Os americanos têm uma frase que eu acho fantástica: "be careful of what you wish for".
quiseram sonhos, pois aí os têm... (afinal o pesadelo não é mais do que uma sub-categoria de sonho)
O Passos Coelho é mais um sonho, mas este comprado pelo outro lado.
O Passos Coelho é a versão heterosexual, tradicional e lavada de fresco com sabonete d'alfazema do Sócrates; é o típico filho do advogado ou do médico lá da terra. são dois deslumbrados, um da vila, o outro do bairro suburbano.
quanto ao povo que os escolheu, um pouco de fominha não faz mal a ninguém como já dizia o meu avô, que Deus tenha, até abre a pestana...
R

Anónimo disse...

esse passos coelho definiu-se muito bem quando a entrevistadora o confrontou com o famoso "pedido de desculpas"; " e não acha que deve um pedido de desculpas à dra. Ferreira Leite?"

resposta do senhor "se achasse que devia, já o tinha feito..."