20.5.10

«TRAVAILLEUR: TU AS 25 ANS MAIS TON SYNDICAT EST DE L'AUTRE SIÈCLE»

12 comentários:

Anónimo disse...

Para que servem estas palhaçadas mobilizadoras se, quando interessa, no dia de eleições, a maioria não põe lá os pés (pensa tugamente que a abstenção é uma forma de protesto)e os outros que lá vão votam com os pés (leia-se, nos mesmos que se governam há 36 anos) ...

Anónimo disse...

Volto à carga.

Já escrevi, mas volto à carga.

A corja que nos (des)governa, não é mais do que a expressão máxima do povo que somos (enquanto colectivo).

Somos um povo de trafulhas governado por uns pulhas.

C. S.

Anónimo disse...

Depois da separação definitiva, no final do séc XIX, entre comunistas e socialistas, o sindicalismo devia ter evoluído na Europa. Não o fez. Depois da II Guerra, com a implementação do Estado-Providência, com meios excepcionais e em altura de saída forçada e planeada do caus, o sindicalismo entrou numa velocidade de cruzeiro, saltando e chupando de oportunidade em oportunidade, de greve em grve, fazendo mais ou menos o seu papel; mas tudo dentro de balizas e regras bem conhecidas. Quando não há mesmo dinheiro para fantasias, mostra apenas a sua inoperância; quando antes, na maior parte do tempo, esteve a contribuír para o descalabro, somando exigência atrás de exigência e não pensando num futuro sólido. O Reino Unido é um caso ligeiramente diferente. Os EUA são, então, em caso completamente diverso: não foi só um trabalho de luta mais ou menos "suja" do governo federal, no princípio do séc. XX, que impediu a progressão do sindicalismo-comunista. Na verdade ele já tinha sido tornado inútil pelo próprio modo de vida e mentalidade das populações, que foi escolha deliberada e quadro de valores: o mérito, a não-vergonha ou não-complexo de enriquecer, a noção de que quem se esforça atinge, o facto de ser um País novo, uma interiorização, quase genética, da noção da dureza da vida e de todas as consequências. Na Europa continental não. Tirando alguns méritos óbvios e já há muito incorporados na sociedade, o sindicalismo e os sindicalistas - especialmente os portugueses - não têm passado, eles sim, de subvencionados do Estado. Também eles são funcionários; e com direito a deitar latas de gasolina no fogo.

Ass.: Besta Imunda

floribundus disse...

Jean Renoir; Mon père

«C'est comme en politique.
on garde des étiquettes et on falsifie la marchandise»

Garganta Funda... disse...

Uma «elite» pimba que veste Armani e exibe óculos Gucci mas que não têm berço, moral, educação e, muito pior, Cultura!

Tude neles é plástico, efémero, artificial e oco.

Um povo analfabeto, bruto e preguiçoso como é o povo português não merece melhor sorte.

São capazes de sair à rua por uma equipa da bola ou para berrarem por uma merda de selecção, mas não são capazes de sairem à rua para defenderem os seus bolsos, a sua pele ou até o futuros dos seus descendentes.

Batemos no fundo.

Um RIP por Portugal.

Nelson Marques disse...

Caro João Gonçalves,

Eu, ninguém, discordo.

O povo não tem nada de mais ou de menos. Se algo, diria que é Bem-Aventurado por tudo o que de bom tem - e é muito - e de mal lhe fazem - o que é ainda mais.

Há muito bem por aí!

O que perturba, o que nos trama, é a merda que anda. E que vive perto da ventoínha faz tempo...

Paz

Anónimo disse...

Se você João Gonçalves continua a dizer mal do seu país e de todos ainda leva um enxerto de porrada.

pvnam disse...

---> A superclasse mundial (Banca Mundial, Grandes Corporações Multinacionais) tem em vista um Neofeudalismo... consequentemente, fomenta a destruição/dissolução das pátrias, das tradições autóctones, promovendo o nascimento de um mestiço desenraizado e fácil de escravizar...


---> IDIOTAS ÚTEIS ao serviço da superclasse:
A ESQUERDA - a Esquerda também apanha boleia no barco da destruição de tudo o que é tradicional... embora o seu objectivo seja outro -> o objectivo da Esquerda é reinventar o homem, o derradeiro homem, um homem novo, aquele que chega ao fim da História.
O ECONOMISTA IDIOTA - o economista idiota promove aquela que é uma das maiores aldrabices da História -> a promoção do crescimento do PIB à custa do consumo interno e dos empréstimos externos... quando a corrida do crescimento do PIB bater na parede, ou seja, quando a torneira dos empréstimos externos for fechada, já os maiores activos do país terão sido conduzidos para os mega-capitalistas mundiais (e o Estado com elefantes brancos - não rentáveis - nas mãos).
O IDIOTA SUICIDA - os idiotas suicidas (PNR's e afins) estão à espera que aqueles [a maioria dos europeus] que não se preocuparam em constituir uma sociedade sustentável (média de 2.1 filhos por mulher), e que andaram a realizar negociatas de lucro fácil à custa de alienígenas , se revoltem...

missphilosophist disse...

Grande comentário Garganta Funda... Eu digo mal do meu País porque sou exigente com ele, e isto revela não só uma tomada de consciência nacional, mas também uma reacção colectiva da parte de muitos portugueses! Anda para aí um anónimo a dizer sempre, respeitinho, cala-te e está calado, essa agora, porque falo mal - devemos levar porrada? Aqui, só quando o Vitória perde, meu caro, e se leva as mãos à cinta!!

Javali disse...

A bandeira é muito foleira. Para refundar isto como deve ser, eu começava por aí.

Anónimo disse...

e se vendessemos as lajes?
f&v

Anónimo disse...

Não se pode vender o que está vendido ...