1.11.10

ADEUS, ESCOLA


Deve ter passado despercebida uma entrevista de Fernando Savater no último Expresso, suplemento Actual. Mas Savater, grande conhecedor de Cioran, punha o dedinho na coisa que é já chaga e não mera ferida. A escola não deve ser democrática e, antes, deve preparar para a democracia. Isto, evidentemente, é para aquelas sociedades que ainda respeitam a noção de escola, de disciplina e de professor. Não é para aquelas de engodos tecnológicos destinadas a "formar" labregos em vez de alunos.

13 comentários:

floribundus disse...

os índios pais depositam durante umas horas os indios filhos num local denominado escola.
brincam, maltratam todos.
espera-os as 'novas oportunidades'.
acabam: eles a rebolar caixotes; elas como 'mulheres objecto'

'siga o enterro'

joshua disse...

A escola espreme e oprime professores e não prepara para coisa nenhuma. Devemos, no entanto, continuar a acreditar nela.

António Pereira disse...

Nos últimos anos a escola tem formado efectivamente muitos labregos. Futuros delinquentes, quero eu dizer. O Pinheiro da Cruz e outros Estabelecimentos Prisionais estão à espera deles.

Anónimo disse...

Caro António Pereira, muitas vezes esses labregos não vão para os estabelecimentos que referiu mas sim para líderes políticos...

Anónimo disse...

Nas longínquas aldeias, em tempos havia o médico, o padre, e o professor. Invariavelmente um dos dois primeiros era alcoólico, vitima dos dramas humanos, ou doenças ou das confissões. O professor era respeitado, tinha uns amores secretos e escrevia uns poemas. Ajudava os alunos mais velhos a arranjar trabalho ou a fugirem para França. Os professores eram a referencia e a consciencialização social. E não formavam labregos. Ainda hoje não formam labregos. A sociedade sem raízes, sem ideais, sem identidade, aliada a uma televisão primaria e buçal, a receberem o mínimo garantido, promove uma serie de desocupados, onde o modelo é o jogador de futbol, ou o traficante gangster de fato de treino.

Anónimo disse...

Com as avaliações da treta,carreiras de titulares etc, e sobretudo com os cortes de salário na função publica alguem acha que os professores estão com paciencia e capacidade para saber quem formam? É dar o programa que a educação tomam em casa.
A gaita é que muitos putos não tem casa,a refeiçao na escola é a unica do dia, as familias são desagregadas, e quantas vezes é a propria familia a má companhia, sendo a escola um deposito...

Carlos disse...

Boa noite,dr João Gonçalves.
Ao lembrar que a escola deve preparar para a democracia e não deve ser democrática,o senhor,deu uma ajuda (oxalá o lêem) gigantesca à reforma da ESCOLA.
Tive conhecidas e conhecidos professores e percebi que,para eles,ser professor era um emprego como ser,por exemplo,trolha,isto é,se o tijolo ficasse mal a culpa nunca seria deles,pois era assim que se fazia:"se compraste a casa foi porque gostaste dela;portanto todos os defeitos estavam incluídos na compra"!Et voilá!
Penso que será tempo dos professores acreditarem que a sua profissão não é comum e que tudo aquilo que pode dar a volta à cabeça do ser humano,como mulheres atraentes e fáceis,álcool e drogas,lhes está vedado!
Democràticamente aceitaram serem professores,da mesma maneira e com a mesma democracia,necessàriamente, aceitam a responsabilidade de tão importante profissão.
Melhores cumprimentos
Carlos Monteiro de Sousa

Anónimo disse...

O professor deve ser exemplo e modelo.
Mas para isso deve ser respeitado e reconhecido. Os alunos já não reprovam, taxas de ultra sucesso. E ultimamente isto tem estado muito mal para os professores, lixados e mal pagos, com os salarios a serem reduzidos.

Anónimo disse...

O que os cidadãos fazem nas horas livres é com eles. Olha a professora de musica que pousou para a Playboy?
Para ser professor tem que se fazer algum voto? Castidade, pobreza, obediencia? Estamos a falar de escolas publicas. Existem escolas privadas onde os encarregados de educação escolher o que acharem melhor.

Anónimo disse...

Seja professor ou não qualquer homem gosta de mulheres "atraentes e faceis".Primeiro porque são bonitas, atrentes. Depois porque não dão muito trabalho, são faceis.

Fado Alexandrino disse...

Defendo a criação de uma disciplina de Educação Cívica que introduza a capacidade de agir em democracia. Deve haver uma preparação que forme cidadãos capazes de utilizar os mecanismos da democracia

Não estou a ver como é que num ambiente autocrático se ensine democracia.

hajpachorra disse...

Então estamos bem, pelo menos nas universidades, pois deixaram de ter qualquer resquício de democracia desde que o Gago arrotou o RJIES (querem mais? até puseram esta merda em neerlandês). Era, digamos, uma cena tipo fixe se fizesse o mesmo às escolinhas básicas e pouco mais que básicas dos professorinhos que andam tão desanimados e que não podem ser avaliados.

António Pereira disse...

Anónimo das 9:52 PM, sou obrigado a dar-lhe razão. Constata-se que assim é. Infelizmente.