17.11.10

UMA HISTÓRIA EXEMPLAR DE "NOVAS OPORTUNIDADES"


Sem comentários, como vem no Público. A não ser de Céline, lembrado no Facebook pela Tânia Raposo - "La merde a de l'avenir. Vous verrez qu'un jour on en fera des discours." «Um jovem de 26 anos, sem currículo profissional nem formação de nível superior, foi contratado, em Dezembro, como assessor técnico e político do gabinete da vereadora Graça Fonseca na Câmara de Lisboa (CML). Remuneração mensal: 3950 euros ilíquidos a recibo verde. Desde então, o assessor - que estava desempregado, fora funcionário do PS e candidato derrotado à Junta de Freguesia de Belém - acumulou esse vencimento com cerca de 41.100 euros de subsídios relacionados com a criação do seu próprio posto de trabalho. Filho de um funcionário do PS que residiu até 2008 numa casa da CML com uma renda de 48 euros/mês, Pedro Silva Gomes frequentou o ensino secundário e entrou muito novo para os quadros do partido. Em 2006 foi colocado na Federação Distrital de Setúbal, onde se manteve até meados de 2008, ano em que foi reeleito coordenador do secretariado da secção de Santa Maria de Belém, em Lisboa. Entre os membros deste órgão conta-se a vereadora da Modernização Administrativa da CML, Graça Fonseca. Já em 2009, Gomes rescindiu por mútuo acordo o contrato com o PS - passando a receber o subsídio de desemprego - e em Outubro foi o candidato socialista à Junta de Belém. No mês seguinte, perdidas as eleições, criou a empresa de construção civil Construway, com sede na sua residência, no Montijo, e viu aprovado o pagamento antecipado dos meses de subsídios de desemprego a que ainda tinha direito, no valor total de 1875 euros, com vista à criação do seu próprio posto de trabalho.Logo em Dezembro, o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) aprovou-lhe também um subsídio, não reembolsável, de 57.439 euros, para apoio ao investimento na Construway e para a criação de quatro postos de trabalho, incluindo o seu. Deste valor Pedro Gomes recebeu 26.724 euros ainda em Dezembro, sendo 4086 para investimento e 22.637 para os postos de trabalho. No dia 1 desse mesmo mês, porém, o jovem empresário celebrou dois contratos de prestação de serviços com a CML, para desempenhar funções de "assessoria técnica e política" no gabinete de Graça Fonseca. O primeiro tem o valor de 3950 euros e o prazo de 31 dias. O segundo tem o valor de 47.400 euros e o prazo de 365 dias. O segundo destes contratos refere que os serviços serão prestados no gabinete de Graça Fonseca e no Gabinete de Apoio ao Agrupamento Político dos Vereadores do PS. A autarca disse ontem ao PÚBLICO que foi ela quem convidou Gomes e garantiu que ele é "efectivamente" assessor do gabinete do PS, cuja coordenação, acrescentou, lhe foi "confiada". Este gabinete, porém, não tem existência real, sendo que Pedro Gomes é assessor de Graça Fonseca, tal como outro dos três assessores que teoricamente o compõem. O terceiro é assessor da vereadora Helena Roseta.Graça Fonseca disse que Gomes "foi contratado por estar à altura das funções às quais foi adstrito e por ser um lugar de confiança política". A autarca garantiu que desconhece o facto de o seu assessor ter recebido os subsídios do IEFP. Já a direcção deste instituto adiantou que Gomes já recebeu este ano mais 12.593 euros para apoio ao investimento, tendo ainda a receber cerca de 10.500 euros. Face às perguntas do PÚBLICO sobre a acumulação ilegal do lugar de assessor com os apoios recebidos e aos indícios de que a Construway não tem qualquer actividade, o IEFP ordenou uma averiguação interna e admite que a restituição dos valores recebidos pelo empresário venha a ser ordenada. O presidente da CML, António Costa, não respondeu às perguntas do PÚBLICO.»

19 comentários:

Anónimo disse...

As Novas Oportunidades ou o Espreita-o-Furo. O Sr. Dr. escolheu a sua capa para ilustrar o post. Poderia lá ter escrito o "Portugal dos Crescidinhos". É desta maltosa que rosetas & graças se fazem rodear; e depois é vê-las desfilar nas TV's com ar sofredor e tremores de legalidade e humanismo na voz - especialmente a ciclista-roseta.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Sócrates é um verdadeiro exemplo para muita gente. Está aqui um bom candidato a sucessor do querido líder.

joshua disse...

A genética socialista é extraordinária. Pensar que se começa assim até chegar ao topo.

relogio.de.corda disse...

NO=Novos Oportunistas

Jacinto disse...

O esplendor do chico-espertismo ( vide a abécula que exerce como "primeiro-ministro"...)
Povo informado,esclarecido e de profundo sentido ético aquele de que, infelizmente. fazemos parte..
VIVÓ REGIME - e abaixo o "fássismo" ( pronúncia e grafia da responsabilidade da enxundiosa vacuidade que circula, ainda, por aí sob o nome de Soares)-

Anónimo disse...

Não parece mesmo, e cuidado que não estoua a dizer que é assim, que em vez de "novas oportunidades", trata-se tão somente de a "última oportunidade" da maltosa do PS sacar os derradeiros cobres??

Parece, de facto. Mas o problema não é esse, ou melhor é também esse. É que com o PS é assim, com o PSD assim é, e com o CDS assim seria de novo se "nova oportunidade" tivesse.



Rita

ana disse...

É verdade; mas o mais engraçado é o timing de notícias deste teor.

Fado Alexandrino disse...

Desculpem lá, mas tendo no c.v. "estar à altura das funções às quais foi adstrito e por ser um lugar de confiança política" queriam que a senhora vereadora não o escolhesse e fosse apaparicar um outro qualquer sem as basezinhas?
Tenham dó.

joaogon disse...

Quando pensei que já tinhamos batido no fundo enganei-me... Entrámos terra dentro...É um escândalo. Fico preplexo, atónito, estupefacto... Como é possível??!!!!!???

De nihilo nihil disse...

Que pouca vergonha.

Anónimo disse...

“O Sr. Dr. escolheu a sua capa para ilustrar o post.” Ou a Besta o ama, ou o lamb-botismo está no auge. De qualquer forma, é desta malta que o pais precisa, para sacar umas massas ao FMI e ás ajudas externas; creio que tamanho empreendorismo e sucesso devia ser condecorado no 10 Junho.

Funcionário da CML (sem tacho) disse...

Penso que há aqui três questões distintas:

1) O subsídio do IEFP e a sua aplicação;
2) A contratação de uma pessoa com estas poucas qualificações para assessor com funções políticas;
3) O vencimento auferido por este assessor.

Só esse Pedro Gomes é responsável pela acumulação de subsídio e vencimento da CML, só ele deve responder por isso, não o Costa.

Neste ponto, quanto à CML, só uma nota: estranho que o Presidente da CML se disponha a pagar tanto por este colaborador sem lhe exigir exclusividade, quando paga tão pouco a tantos técnicos da CML e não os autoriza a acumular com outras funções a exercer fora de Lisboa nos tempos livres. Enfim, uma pequenina disparidade de critérios...

Quanto ao subsídio do IEFP nada tenho a dizer porque não sei mais. Não deixa de causar estranheza que o IEFP gaste tudo aquilo a criar 4 postos de trabalho numa área do mercado tão carente de concorrência como é a construção...

Quanto a 2), a contratação de pessoas sem qualificações para gabinetes de assessoria política, estamos perante uma prática corrente. O próprio Costa paga o mesmo desde 2007 ao coordenador do Núcleo do PS do Limoeiro, que desde então lá tem usado o seu dinheirinho a tirar um curso universitário de vão de escada (só me pergunto se também passou na cadeira de Inglês Técnico...).

Penso que esta contratação de gente sem qualificações técnicas (mas com muitas competências caciqueiras) diz mais sobre a falta de qualidade de quem contrata.

Terceiro e último ponto, 3), o vecimento auferido. As palavras escasseiam, claro. O que é que se pode dizer?...

Só para dar um termo de comparação: na CML, um técnico superior de 1.ª Classe colocado numa área como a da Gestão Urbanística (os tais que são regularmente vergastados como culpados da burocracia da CML, quando são é os primeiros a sofrer) ganha, líquidos, cerca de 1.200 Euros, para tentar dar andamento a cerca de 50 processos na secretária (quando não são 300, como no urbanismo comercial) ao mesmo tempo que tem de aturar os impropérios dos requerentes.

Para dar outro exemplo, um cantoneiro de limpeza, recebe pouco acima dos 600 Euros líquidos, para passar a noite a descarregar caixotes e a apanhar lixo da rua. Talvez este exemplo não seja justo: tanto o cantoneiro como estes assessores trabalham com o lixo, é verdade, mas o cantoneiro apanha, estes assessores mexem, remexem, e quando muito só o espalham mais.

Nota MUITO IMPORTANTE para os lisboetas que não sabem como funciona a CML: estes contratos têm de ser assinados pelo Presidente da CML. Todos os contratos de avença, TODOS. O António Costa não pode alegar desconhecimento. Ele está ao corrente disto a 100% - aliás, como é óbvio o Pedro Gomes não foi contratado para trabalhar na CML, mas no PS.

Anónimo disse...

Trata-se de uma história exemplar de como funciona este triste país onde, sendo certo não haver inocentes, não é menos verdade nunca se ter descido tão baixo como nestes últimos anos.
Já não há palavras para caracterizar estes tempos que vivemos!

hajpachorra disse...

Não é por nada mas se o basbaque fosse invertido e vivesse no Lumiar passava incólume. Como as dúzias deles, do Lumiar.

jccl disse...

Concordo com quase tudo o que disse o funcionário da CML, excepto na comparação de vencimentos.

Comparar valores líquidos de funcionários do estado para a vida toda, com avenças a recibos verdes, tem que se lhe diga. Ao valor total bruto (SEM IVA, que gostaria de saber se foi incluído ou não no valor da avença apresentado, pois os média nisso são ignorantes ou manipuladores) deve ser retirado o IRS (que é de 20% à cabeça do valor sem IVA e acertado no fim do ano) o valor da segurança social que é no mínimo de quase já 200 Euros por mês (ou mais ainda, proporcional ao vencimento, se se quiser uma melhor protecção na Doença e uma contribuição para a reforma que não tenha por base o ordenado mínimo e meio correspondente aos quase 200 euros) e obtendo o total que terá que ser dividido por 14 (meses) para termos um valor equivalente mensal ao líquido mensal do funcionário do estado. Com a agravante de que o despedimento é imediato, sem subsídio de desemprego. E sem ADSE...

Ainda assim, para o CV do artista referido é de facto uma enormidade, mas se fosse um normal técnico superior com experiência profissional, vai ver que era adequado e a suposta distinção de valor não era tanta assim.

Além disso, se pudesse, propunha a troca da sua posição com alguém nessa situação?

Bem me parecia...

JCL

Anónimo disse...

a publicação desta é uma daquelas finas ironias. ontem, o alcaide quis mostrar-se ao País como capataz implacável do Estado, estalando o chicote sobre a manada de funcionários públicos do seu curral e gritando "ala trabalhar, seus mandraços"´, a posicionar-se para o próximo rodeo partidário. hoje, apanha com esta carimbadela de que tão cedo não descolará: "igual ao resto da corja". bem feita.

Anónimo disse...

Há favores corporais que se têm de pagar. E depois há os que recebem mais e os que recebem menos por eles. Este rapaz é dos que recebe mais. Nada de estranho, portanto.

Anónimo disse...

Uma questão: o vencimento inclui as cotas do partido?, ou são pagas à parte?

Anónimo disse...

All quiet on the western front.
E novidades, há? Nada de novo. Era só fazer umas contas simples como gosta de fazer Medina Carreira, multiplicando estes valores pelo número de "bois" socialistas no activo em Portugal. Os outros bois, bem carregados com pesadas cangas, do sector privado e que têm que trabalhar para viver, estes pagam e não mugem.

Merkwürdigliebe