10.11.10

FICÇÃO BLOGOSFÉRICA


«Une-os o denominador da voz livre.» Que ternura. Mas como é que se unem? Aos pares? Aos triplos? Ao além representado por uma ou duas ficções regimentalmente sabujas? A herdeiros do Dutra Faria em versão "livre"? Está na hora deste homem escrever novo romance. É um grande ficcionista.

10 comentários:

Garganta Funda... disse...

Há listas para todos os gostos.

Muito curiosa essa elencagem feita por um blogue do regime sucialista, a saber : «Da Batata Doce».

Ainda bem que as agências de rating não avaliam os blogues tugas, senão os juros já teriam atingido os 10%...

Anónimo disse...

Os blogers seleccionados são efectivamente livres. Livres de obedecer ao Sócrates. A distinção foi bem atribuída.

Fado Alexandrino disse...

Gosto imenso de ir ao Pitta, é como que um barómetro de como está a situação.
Destaco uma frase particularmente feliz:

Como sempre à mesa do Drouant, o Goncourt foi hoje atribuído.

Ele não concebe nada que não tenha um toquezinho de glamour.

joshua disse...

Estão todos bem uns para os outros.

joshua disse...

Que grupo fantástico: Fernanda Câncio, Miguel Abrantes
Porfírio Silva, Valupi!

Garganta Funda... disse...

De todos, o Porfírio é o mais castiço.

O Valupi é um chibo e um bufo.

Os(as) jugulares são os bibelots do regime, aliás um regime cheio de «causas» e de «coisos».

Os corporativos são os assessores do regime, aliás blogam a partir dos ministérios e são pagos pelos contribuintes.

Anónimo disse...

Um verdadeiro Albergue Espanhol!

Isabel disse...

Um deles foi meu colega na Faculdade e convidou-me para escrevar na revista da dita. Recusei porque, já então, ele era o pior sabujo, o mais execrável graxista da Avenida de Berna e redondezas. Na tugolândia, compensa quase sempre!

FNV disse...

Este Joshua é o mesmo que me foi cumprimentar no outro dia?
O Luis Januário obedece ao Sócrates?

Uma bela caixa de costureririnhas anorgásticas.
Já se fazem poucas.

joshua disse...

Beijos, abraços e pontapés no cu, há aqui de tudo para ti, FNV, ou achas que uma vez vaca sagrada da liberdade segundo Pitta, para sempre vaca sagrada da liberdade, segundo Pitta?!

Não gosto do Maradona, mas concordo com essa célebre abécula gorda como um porco: «A justificação para este conjunto de prémios é uma das maiores parvoíces desde a invenção dos zepplins a hidrogénio. Esta merda do que é ter ou não ter uma "voz livre" é do caralho; e partir do princípio que se consegue classificar o índice de amor à liberdade da voz de determinada pessoa através do que ela diz ou faz é, como dizer, da cona. Trata-se, para começar, de uma superstição quase religiosa; mas o que a torna perfeitamente amoral é a submissão do conceito de liberdade a um somatório de afirmações e atitudes supostamente disponiveis a quem estiver atento.»