9.5.10

RATZINGER EM LETRA DE FORMA




Se os plumitivos que tanta prosa - as mais das vezes escrita com má-fé e outras tantas com profunda ignorância - têm produzido acerca da figura de Joseph Ratzinger o tivessem lido (ficam excluídos da possibilidade os membros da brigadas voluntárias do analfabetismo laico funcional), talvez pudessem moderar os dislates e as aleivosias com que têm andado, um pouco por todos os media, a brindar o sucessor de Pedro, Bento XVI. Um elementar princípio de caridade leva-me a recomendar estes três livrinhos que estão traduzidos em português e que, em princípio, eles conseguirão ler. Um Papa que não se cansa de repetir que «o cristão deve estar consciente de pertencer a uma minoria e de estar em contraste com aquilo que é considerado bom, óbvio e lógico pelo 'espírito do mundo'» e que o que importa preservar é «o seu sal e o seu fermento», isto é, «o 'escândalo e a 'loucura' do Evangelho», dificilmente será entendido por estes novos evangelistas do grau zero do homem. Todavia, vale sempre a pena tentar.

13 comentários:

floribundus disse...

enquanto o Papa começa pelas fundações do edifício
os políticos colocam telhas partidas numa obra que não existe

'derepentemente', as luminárias analfas de esquerda, têm medo dum intelectual

'o manicómio continua em auto-gestão'

Carlos Pires disse...

Eu sou ateu, mas reconheço a inteligência do Papa. E percebo que o Estado português o deve tratar com respeito e honras - e não creio que isso ponha em causa a laicidade do estado.
Só não percebo as tolerâncias de ponto. O país vai perder muito dinheiro com elas e a altura, por razões económicas mas também psicológicas, não é propícia ao esbanjamento.

João Gonçalves disse...

É curioso verificar como, num país de calaceiros oportunistas, esta tolerãncia de ponto cause tantos engulhos. Só agora, por causa do Papa, é que lhes apetece trabalhar e não fazer a pontezinha da ordem? É a visita do Papa que nos faz perder dinheiro? Se não fosse o Papa, eu respondia em vernáculo adequado.

Anónimo disse...

Respeitinho, sim!?

Karocha disse...

Assino por baixo JG.

Alex disse...

Aprovo tanto o que o dr. J.G. afirmou que, na sua presença, me atreveria a dar-lhe um abraço!

www.angeloochoa.net disse...

Ioseph Ratzinger, um estudioso da Fátima, que teve trato com Irmã Lúcia das Dores, no Carmelo, da Coimbra, sabe que os adoradores em espírito e verdade, em especial as ordens religiosas femininas, sustêm e adiam, como revelou o Cristo Jesus a Faustina Kowalska, o dia da ira e do sol da justiça. Sabe igualmente que em Portugal se «manterá sempre o dogma da fé», e sabe de certeza infalível do coração que «ao fim o imaculado coração da mãe triunfará». Sabe que a Rússia se converterá entretanto e haverá um tempo de paz. Tudo indica que quanto mudou e mudará no leste de todos os males por todo mundo espalhados (com o hediondo marxismo, de que restam (embora vagamente) Cuba, Vietname e, China Venezuela e Norte Coreia, e que até entre nós semeou ódios e mentiras sobre a igreja) Fátima fará da velhinha carcomida que a Rússia hoje é grande alma jovem e bela donzela e senhora de todas as estrelas. É neste momento agónico para os cristãos em todo o mundo. (A AIS contabiliza estatisticamente que 7 em 10 sofremos perseguição.) É neste momento agónico em que ele próprio pede à ex-católica Bélgica LIBERDADE RELIGIOSA, É NESTE MOMENTO AGÓNICO QUE ELE VEM OUVIR, COM O CORAÇÃO, A VOZ DA SENHORA MAIS BRILHANTE DO QUE O SOL, A FONTE DE TODAS AS CERTEZAS DA ESPERANÇA PARA O NOSSO VASTO MUNDO.

Harry Lime disse...

Eu nao tenho nada contra a tolerancia de ponto na visita do Papa. E tradicao e nao ha' mal nenhum com isso.

O que eu acho esquisito e' que aqueles que ha' uns anos defenderam a eleiminacao da tolerancia de ponte no Carnaval (outra tradicao, rejeitada com base economicista) sejam os que, hoje em dia, defendem a da visita do Papa.

Eu por mim, e' simples: se 'e costume fazer-se nao vem mal ao nenhum se se continuar a fazer. E afinal de contas trata-se de um dia de 30 em 30 anos (a periodicidade aproximada de uma visita do Papa a Portugal)

Alex disse...

Visita papal e carnaval .
Haverá alguma similaridade?

M. Abrantes disse...

«o cristão deve estar consciente de pertencer a uma minoria e de estar em contraste com aquilo que é considerado bom, óbvio e lógico pelo 'espírito do mundo'»

'Espírito do mundo'. O que é? Só pode significar mesmo 'natureza humana', esse constante empecilho para a Igreja.

João Gonçalves disse...

A estupidez, que é da natureza humana, é o maior empecilho.

Anónimo disse...

respeitinho..... muito respeito D.r João Gonçalves...

Die Männer disse...

Caro João Gonçalves

A ver se nos entendemos, ninguém renega, pelo menos eu, a genialidade da pessoa Joseph Ratzinger. O que eu renego é o papado per si e esta igreja católica edificada em equívocos e a adulteração da verdadeira mensagem de Cristo.

Daqui, escreve-lhe alguém que foi criado e educado num colégio católico.