30.12.09

LÍNGUA


Nem aqui nem em nada do que terei de escrever daqui para diante sobre o que quer que seja alguma vez "aplicarei" o acordo ortográfico que impõe a "lulização" do português. Não aceito a degeneração da minha língua por causa de não sei quantos milhões que alegadamente a falam ou escrevem como analfabetos funcionais. Quando me apetecer ler algum autor brasileiro (dos "palops" não tenciono ler nenhum), leio e ponto final. Para além disso - e literalmente - burro velho não aprende línguas. Os prosélitos e os literatos do regime tratam da questão como tratam, aliás, de tudo. Como os pequeninos "kim-il-zinhos" de trazer por casa que são. É que um "intelectual" que fala em "uniformização da língua" não é um intelectual. É uma besta.

20 comentários:

Nuno Resende disse...

Nem mais.

radical livre disse...

este socialismo é
um caso de policia

nalguma magistratura
os pitecantropos vermicularis
continuam rastejantes

vasco disse...

Muito bem!

Anónimo disse...

Para a língua de pau já chega a sua a de Pacheco Pereira e a de Vasco Graça Moura.
Prefiro ser cego, surdo e mudo.

Anónimo disse...

Eu diria mais: para cavalgadura preconceituosa e estreita, chega você perfeitamente.

candida disse...

não tem nada a ver com preconceito,anoni idiota

Anónimo disse...

Sabe o Sr. Gonçalves quantas alterações já foram feitas? Sabe como o Português do início do Século XX é diferente do de hoje?

Para que fala tão alto se o seu conhecimento é tão baixo?

Anónimo disse...

Agualusa, Mia Couto, Pepetela não merecem ser lidos?! Nem parece seu (na medida em que tem um gosto cultural apurado)...

fado alexandrino. disse...

Não me interessam as modas, peço desculpa.
Aprendi um determinado português e é esse que vou continuar a escrever.

Lura do Grilo disse...

Já somos dois! Borrifo-me para o acordo analfo-ortográfico.

Unknown disse...

Descolonizações exemplares, "Acordos" linguísticos exemplares ...
Não há dúvida - como povo, a nossa posição natural é a de cócoras.

PS Por que será que os atrasados dos espanhóis e dos "bifes" não seguem a mesma via progressista que "nós" lhes apontamos?...

Anónimo disse...

Não se chateie, que o acordo não serve para nada. Se as línguas continuarem a divergir, como tem acontecido até agora, não vai ser um simples acordo na ortografia que fará qualquer diferença - para muita pena dos parolos que queriam fazer mais uns trocos apanhando a carroça maior.
E a literatura dos dois lados do atlântico vai continuar a ser interessante, e diferente.
Bom ano.

cutelo disse...

Absolutamente de acordo!

A. Castro disse...

Anónimo das 5:35PM:

Do torcionário comunista Pepetela, o melhor a ler seriam, se existissem, as transcrições dos interrogatórios aos "reaccionários" que ele mandou fuzilar.
Toda a sua restante "literatura" apenas merece edição pela Renova em rolos pretos de 3 folhas.

Santo disse...

Apoiado. o acordo só tem um caminho: cano abaixo.

Anónimo disse...

Meu caro Sr.

Gosto muito do seu blog e da forma franca e incisiva como faz valer o seu ponto de vista.

Mas, em alguns posts acho que é um pouco infeliz na forma como expõe a sua argumentação.

Porque insulta os Brasileiros? O que têm a esmagadora maioria da população a ver com as trocas e baldocras da política? Nem todos têm a sua sorte de ter tido a possibilidade, e os fundos, de/para estudar. Muitos são realmente semi-analfabetos.

Até eu talvez o seja, se comparar com a forma como escreve no seu blog.

Mas, já leu porventuta obras de autores Brasileiros?
Eu, tendo nascido e vivido no Brasil até aos 16 anos, li alguns autores Brasileiros. E ao vir para Portugal tive de aprender a forma como se escreve no Português de Portugal.
E passei a ler obras extradiornárias de autores Portugueses. Não me custou muito. Realmente passei a falar e a escrever em Português.

Talvez saiba que no Brasil vários autores Portugueses são apreciados. Além do já conhecido Fernando Pessoa, temos os exemplos de Eça de Queiroz e Florbela Espanca.

Mesmo em Portugal há imensas desigualdades que levam a algum analfabetismo.

Nem todos podem aceder à cultura. Quem vive fora de Lisboa (eu por exemplo vivo na Madeira), tem uma oferta cultural infinitamente menor que os Lisboetas. Aliás, a cultura não é o único exemplo dessa extrema desigualdade.

Resumindo:

Acho o seu post um tanto ou quanto xenófabo. Desculpe-me a sinceridade.
Penso que deveria contribuir também com posts onde a crítica positiva marcasse presença.

Saudações.

P.S. Eu também sou radicalmente contra esse acordo ortográfico.

Anónimo disse...

Ao Anónimo das 5:23

Eu quero lá saber quantas alterações foram já feitas à ortografia.

O que não aceito é uma alteração imposta pelo Brasil, que assassinou a língua que herdou.

E afinal para quê? Para facilitar a aprendizagem dos milhões de analfabetos, como diziam os académicos brasileiros? Pelos vistos não era necessário. Como se provou, é possível a um analfabeto chegar a presidente do Brasil.

A. Castro disse...

Anónimo das 10:50AM

"é possível a um analfabeto chegar a presidente do Brasil".

E a primeiro-ministro de Portugal.

tche, téki sou amigu dus mano disse...

A literatura palop, é boa pra lá.
Na terra africana, até a merda medra...

E o por cá lambem o pepetela e aquele prolixo mia couto.

Coitaditos, há que motivar os palops, por causa das relaçºoes inter culturais, as viagens, as borgas...algum negociozito (oops, cala-te boca).


Quando é que a empresária isabel dos santos, escreve um livro ?
Ou abre um
Ou abre "O"

because he is a jolly good fellow disse...

O sarrafaçana-mor, analfabeto ?
Não.
Ele é só, analfabruto...

Tadito dele, que tá ficar revelhinho.
Oxalá, tenha um bom reveillon - e não caia lá pela neves abaixo...