13.5.10

"READ MY LIPS" OU O ABAIXAMENTO DOS CARACTERES



«Read my lips». «read my lips», «read my lips». Três negações em nome da língua de pau e da pusilanimidade. Lembra bem um leitor. «Nós estamos num estado comparável somente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abaixamento dos caracteres, mesma decadência de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas, quando se quer falar de um país caótico que pela sua decadência progressiva poderá vir a ser riscado do mapa da Europa - citam-se, a par, a Grécia e Portugal. Nós, porém, não possuímos como a Grécia, além de uma história gloriosa, a honra de ter criado uma religião, uma literatura de modelo universal e o museu humano da beleza da Arte. Apenas nos ufamos do Sr. Lisboa, barítono, e do Sr. Vidal, lírico (Eça de Queiroz, in "Uma Campanha Alegre", (1872) pág. 235, edição Livros do Brasil). Só os povos diferem. Cornos mansos aqui, gregos (clássicos, no fundo) lá.

9 comentários:

De nihilo nihil disse...

Gastar menos é que "tá quieto".

Anónimo disse...

Sei que não é relacionado com a assunto mas tenho de reproduzir um comentário, a uma notícia do Público online, que está constantemente a ser apagada pela censura do próprio jornal:"Quando são os próprios jornalistas que fazem censura, nomeadamente nos comentários do jornal Público, apagando aqueles que não gostam, eventualmente por não serem de esquerda, então, estamos muito mal. A Ibéria socialista, personificadas em Sócrates e Zapatero, uma Ibéria socialista sem valores, subjugada a interesses das lojas maçónicas, uma Ibéria em crise, desgastada por uma desgovernação que protegeu os grandes grupos económicos, criou os subsidiodependentes, uma Ibéria dos desempregados (10% em Portugal e 20% na Espanha), uma Ibéria em que a politica de morte/aborto foi algo de central e fundamental, uma Ibéria que, conforme se pode ler nas noticias ontem vindas de Espanha, a politica de incentivos à natalidade foi o primeiro a ser cortado como medida de combate ao deficit, uma Ibéria desgovernada num despesismos em contratos públicos catastróficos para o Estado e de lucro incalculável para alguns privados, uma Ibéria... olhem podem apagar à vontade pois este comentário e outros como este já estão em milhares de blogues, em milhares de caixas de correio, para ficarem a saber que tipo de censura temos neste jornal Público... público mas muito pouco."

burns disse...

o vigaro apenas quer mais dinheiro porque o jorge coelho e o ricardo salgado o ameaçaram
hoje assinou as escondidas no altis a AE do pinhal interior com o coelho,o tgv vai ligar 2 localidades com 300 pessoas,obviamente não vai ser feita mas vão ser pagas chorudas indemnizações
esta falta de vergonha devia dar prisão

Anónimo disse...

De animal selvagem a corno manso. A realidade é demasiado dura para o eleitor médio. Tal como o engenheiro-mitómano, há para aí muita gentinha ainda a processar a coisa; e vão precisar de algum tempo para rearranjar uma rotinazinha, dentro das pobres cabeças, que os tranquilize e lhes permita encontrar justificações e culpados. Quando voltarem a votar serão atacados de cagunfa galopante e amnésia infecciosa. Microcéfalos!

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Assisti ontem à primeira discussão pública sobre o estado da nação, num café. O povinho só começa a discutir, a desesperar e a levantar a voz quando lhe toca no bolso. Até aí, ou votam no mais bonito ou votam no que fala melhor. E não discutem.

Anónimo disse...

São uma canalha. Por menos assassinaram D. Carlos I.

Merkwürdigliebe disse...

Faltou uma coisa na comparação, corruptos no governo lá, e corruptos no governo cá. Bois cangados e mansos cá, na Grécia nem tanto, exactamente. E por fim Brigadas Vermelhas lá, cá não e ainda bem. Já basta o flashback do pântano dos anos Guterres 10 anos depois (até o Herman já tem o seu talk-show na Erretêpê outra vez), o desígnio nacional da adesão ao Euro (que tanto jeito deu para ir fazer compras a Paris, Londres e Milão) substituído pelo TGV redentor, LUAR e FP-25 outra vez não se faz favor.

Francisco Marujo disse...

Como fizeste para pôr o vídeo do site da RTP aqui?

João Gonçalves disse...

É ir ao site da RTP e copiar o código html do vídeo.