13.5.10

PERDOEM-ME


Passos, armado em falso Cristo - razão tinha o Camões: «o falso Deus adora o verdadeiro» -, veio pedir perdão. "Desculpem qualquer coisinha", disse, a demonstrar uma queda inequívoca para a frequência de castings televisivos ou filipelaféricos. Todavia, quis "dar a mão ao país" mas a única mão que lá estava, afinal, era a de Sócrates. Os papagaios comentadeiros e as ténias delgadas decerto não deixarão de elogiar esta "postura" patriótica. E imagino que Ângelo aparecerá, em breve, babado de emoção com a "coragem" do epígono. Bem tinha Mário Soares avisado que o rapaz era muito sensato.

19 comentários:

Manuel Moringa disse...

Tem razão, de que lado está este "polido"? Do lado do Povo que trabalha se esforça ou do lado da parasitagem? Afinal quem pertence ao tal País? Gosta-se de circo nesta merdolândia...Que me desculpem os homens e mulheres do circo verdadeiro.

Garganta Funda disse...

Quando é que vamos ver e ouvir um verdadeiro líder da oposição que tenha a coragem de falar ao país e propôr a detenção e julgamento dos responsáveis por este saque e por esta devastação social?

Porquanto tempo vamos assistir a esta coreagrafia e a esta encenação entre estes dois palhaços que recebem instruções directamente de Bruxelas e do FMI?

Merkwürdigliebe disse...

Chamem a Alexandra Lencastre.

Nuno M. Albuquerque disse...

Não gosto de Passos Coelho. Parece-me artificial, plástico. Mais do mesmo. Em qualquer caso, pergunto-me: não seria esta uma soberana ocasião para "fazer a folha" ao Querido Líder? Porque não o fez? A única hipótese que vislumbro é a de a mentira recorrente que nos tem sido contada ser de tal ordem que, em face dos números que só eles conhecem, a possibilidade de uma eventual queda do governo poder criar um cenário dantesco par Portugal. Será?

Anónimo disse...

Passos Coelho vendeu barato a sua cabeleira.

Eduardo F. disse...

Patético e invertebrado.

Salazar disse...

É destes políticos é que feita a nossa democracia?

Menshevik disse...

Abomino ter que escrevevr isto, mas é a verdade: não há saída, estamos completamente PRESOS aos ditames de Bruxelas e do FMI.

"...a possibilidade de uma eventual queda do governo poder criar um cenário dantesco par Portugal. Será?"

Não ficaria mínimamente admirado.

Quanto à Grécia, não me parece solucionável.
Ou isto muda muito (mas mesmo muito) ou o Euro vai ter muitos problemas.

Anónimo disse...

Como dizia o VGM "É favor besuntarem-se"!

Puta que pariu este país em que o manco equilibra o côxo.

Só mesmo a leitura para nos libertar deste pântano pediculoso.

Puta que pariu os mancos, os zarolhos, os coxos e sobretudo os cegos que votaram neles!

Anónimo disse...

A propósito e para aliviar o "stress":
http://sorisomail.com/email/456/jose-socrates--um-primeiro-ministro-muito-flexivel.html

Anónimo disse...

Ah e não se esqueça de juntar o Presidente da Republica, que em uníssono ao coro dos falsos profetas (socrates e passos), veio acalentar o povo para ter esperanças em como melhores dias virão.
Não hajam duvidas, para além de um governo central incompetente, sempre tivemos uma presidencia muito, mas muito, rasteirinha.
É sem duvida alguma o Presidente que Portugal precisa para o futuro catastrofico que se avizinha para nós Portugueses.
Um abraço sentido ao autor do blogue que tem sido incansável no apoio a Cavaco Silva desde o primeiro dia da primeira candidatura do dito e apoia novamente a sua segunda candidatura. Um grande Bem Haja! Obrigadinho.

Karocha disse...

Não se preocupem o FMI vai aterrar na portela.

Anónimo disse...

fmi = corralito. Depois desse dia de onde virá a massa para irmos ao cabeleireiro?

Anónimo disse...

Como dentro de um ano-e-meio não estaremos a produzir mais e não teremos descoberto novos produtos, a todos necessários, ou novos e avançados processos industriais que nos tornem indispensáveis, precisaremos de empréstimos. Para os obter, precisamos de demonstrar que gastamos menos. Como não conseguimos gastar menos temos que chular mais no imposto - para que os juros sejam mais baixos e para que seja possível pagar parte deles. Para que no ano seguinte se possa pedir mais dinheiro. Para colmatar a falta de receita devida a produção anémica de riqueza, e para poder sustentar a mesma consumite-aguda e desajustada à nossa realidade. Tudo cai como um castelo de cartas, mal se tira um peçazinha. É como uma serpente venenosa a comer a própria cauda, insaciável.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Sensato este novo Passos! "Insensata" a Drª Ferreira Leite que há um ano chamava a atenção para a gravidade da situação económica e financeira do País e que declarou, muito oportunamente, que o primeiro-ministro mentia. Os portugueses não a quiseram ouvir; preferiram as tiradas optimistas do Eng.ºe o resultado está à vista.

rmvsantos disse...

Já em exibição num cinema perto de si.

"Brutti, Sporchi e Cattivi" (2005 - 2013.

Festival de Lisboa 2010
Vencedor do Prémio para
Melhor Realização

Já em versão restaurada

Vencedor do prémio para melhor realização no Festival Lisboa 2010, FEIOS, PORCOS E MAUS é um dos melhores filmes do realizador Sócrates de Sousa e Passos Coelho (Um Dia Inesquecível) e, provavelmente, o mais conhecido de toda a sua autoria entre o contribuinte Português.

Esta obra prima, elevada ao estatuto de politica de culto, conta com a presença dos próprios Sócrates e Coelho, estrelas da "commedia all'portuguese" entre os anos 2010 e 13, num dos papéis mais emblemáticos das suas carreiras.

Sócrates, um mentiroso compulsivo que recebeu um milhão de liras de indemnização após ter perdido alegadamente um olho num acidente de "trabalho" no Freeport, mora com a esposa, os dez filhos e vários parentes, numa barraca de um bairro degradado da periferia de Lisboa.

Movido pelo partidarismo, esconde o dinheiro que recebeu do seguro e, com medo que alguém o roube, dorme abraçado a uma caçadeira obrigando os outros (mais de 20) a comer, dormir e fazer sexo na mesma divisão da barraca.

A situação complica-se quando Sócrates leva para 'casa' o FMI.

Neo-realismo, sarcasmo, sátira trágico-cómica, com ritmos cruelmente grotescos, "Feios, Porcos e Maus" releva as condições degradantes da vida humana num retrato ímpar da miséria, egoísmo, mentira, promiscuidade, traição, incesto e violência.

A

Rui

Justiniano disse...

"Os papagaios comentadeiros e as ténias delgadas decerto não deixarão de elogiar esta "postura" patriótica"

Ora, caríssmo J. Gonçalves, é o medo!! Esta gente (papagaios, catatuas e outras aves) ficou placidamente preguiçosa e embriagada pelo excessivo conforto que viveram nestes últimos 20 anos!! Têm medo, muito medo! Especialmente, medo de que falte paciencia aos de lá dos Pirinéus para aturar (sustentar) esta gente!
Vivem ansiosos para que se entregue esta coisa, para boa custódia, aos de lá do Reno.
E até o nosso homem, aquele que podia mas que nada aprendeu com o Checo, anseia por assinar esse momento nos anais da história de Portugal.


P.S. - Para rir só mesmo o quadratura do Costa Barão, ontém em puro extase...mas o Xavier engana-se redondamente, aquele é mesmo assim, genuino, como ali estava!!

Anónimo disse...

Karocha o FMI está falido.

Luísa disse...

João, elogiar a postura patriótica, não elogio. Mas não desgostei do pedido de desculpa, por hipócrita que tenha sido, porque realçou a atitude do outro que, acenando o estandarte da cruzada pelo Euro, continua a achar que não é nada com ele, nem com a sua administração. Sobretudo, não quereria entrar já a denegrir nenhuma alternativa possível à criatura que agora temos no poder. O Pedro Passos Coelho não chega, decerto, aos calcanhares da Manuela Ferreira Leite. Mas prefiro um Passos Coelho a mil Sócrates.