5.5.10

OS PAPÁS, O PAPA E OS OUTROS


De manhã, na rádio, um qualquer de uma "liga" de associações de pais estava preocupado com o que fazer com as criancinhas no dia 13. Calha a uma quinta-feira e como a tolerância de ponto gerou várias intolerâncias circunstanciais, o papá - que esclareceu que os papás programam as férias em função dos monstros sem pescoço que são normalmente as suas crias e em tal cirúrgica programação não "vinha" o Papa - queria saber o que fazer com os meninos. Se fosse feriado, o papá faria o que normalmente faz: "ponte". Como não é, o papá tem "um problema" e exige serviços mínimos. É este país de pulhas oportunistas que Bento XVI vem abençoar. Para quê?

Adenda: Também anda por aí uma petição "laica" a pedir qualquer coisa com aquele tom de indignação que os gorilas fazem quando lhes negam comida, paródia e sexo. Por que é que não aproveitam o dia e vão todos ao jardim zoológico visitar parte substancial da família?

7 comentários:

Anónimo disse...

Como diria já não sei quem, "existem portugueses e depois uns tipos que habitam aqui". Uma urgente purga deveria suprimir talvez 50 a 60% destas alminhas delinquentes.

Ass.: Besta Imunda

rmvsantos disse...

A coisa tem as suas origens. Mais ou menos "As origens das Espécies" escrita pelo famoso "Guterros".

Depois de Cavaco, Guterros entrou num palácio dourado e sonhou ficar muitos e bons anos.

Deitou-se a dormir (e a não decidir), distribuindo mordomias e benesses aos seus apaniguados. Sem objectivos tudo isto amoleceu.

Et voilà o estado a que isto chegou. Como dizia Salgueiro Maia:

"Existem os estados capitalistas, os comunistas e o ESTADO A QUE ISTO CHEGOU".

A

Rui

PS. Meter os mais novos a salvo deste pântano já não é um simples desígnio, mas sim uma obrigação perante eles mesmos. Pessoalmente acredito que o futuro já não passa por cá!

PS2. Curioso o facto do Cardeal Pina Moura, super ministro de Guterros ir no autocarro falar a Cavaco. Será que ele nos quer dizer alguma coisa!

Ana Cristina Leonardo disse...

Caro joão gonçalves, nem sempre concordo consigo e não sou católica nem sequer cristã. Mas tenho a dizer-lhe que aprecio muito o seu mau-humor.

M. Abrantes disse...

A sua perspectiva mostra bem que não tem o problema de 'estacionar' os putos no seu dia-a-dia.

Anónimo disse...

Depositar a formação /educação dos mais novos nesta "malta" é um risco, especialmente para eles.

Investir numa boa formação, ao mesmo tempo que se consolida uma posição no exterior (Canadá) que lhes garanta o direito de uma opção de futuro, pode constituir a sua salvaguarda daquilo que todos sabem.

A

Rui

Anónimo disse...

Somos realmente muito pequeninos, roídos pelo ódio contra a religião católica e pela inveja dos que são grandes. Esta reacção dos papás não se daria, se o visitante fosse outro que não o Papa. Somos um país de anões!

Nuno Castelo-Branco disse...

A Centenária escumalha, nem se dá conta da quantidade de crucifixos que o seu regime ostenta.
1. Na bandeira, bem ao centro, uma cruz.
2. Nas Ordens honoríficas, cruzes por todo o lado, avultando sugestivos nomes como Avis, Cristo ou Santiago.
3. Nas asas da Força Aérea, lá está.
4. Os feriadozinhos católicos, esses não querem extingui-los

E podíamos continuar indefinidamente.