6.5.10

O ROUBADOR E OS OUTROS


Dos gnomos pittico-corporativos da blogosfera, nem uma palavra sobre o roubador de gravadores. Também Assis, que é um tipo aceitável quando não está catatónico, veio em defesa daquilo, do roubador ténico, esquecendo-se que aquele gesto é uma metonímia grosseira da mesma labreguice que fundou as tentativas de agressão à sua pessoa em Felgueiras. Um cavalheiro - ou uma senhora - levantava-se, pregava, quando muito, um par de estalos nos entrevistadores, e saía sem olhar para trás como numa cena famosa do filme A Condessa Descalça. Só que, infelizmente, a labreguice é contagiosa e, regra geral, estão todos bem uns para os outros. Como o roubador de aparelhagem electrónica é membro de uma daquelas parvinhas comissões parlamentares, é bom estar atento não vá ele lembrar-se de, por se sentir "violentado psicologicamente", levar câmaras e microfones para parte incerta. Como aquilo ainda circula pelos Passos Perdidos é que não se compreende, dr. Assis.

Adenda de fim de tarde: Do pittico gnomo já houve pronunciamento. Será que anda a tirar o curso de direito nalgum estabelecimento comercial entretanto encerrado por ordem do eng. Gago? Ou será que é mais aquela coisa do humorista brasileiro que recomendava mais valer estar calado passando por parvo do que abrir a boca e acabar com as dúvidas?

Adenda (outra): O dr. Gama quererá ficar para a história como uma espécie de Américo Thomaz do parlamento, apenas mais apetrechado nos recursos vocabulares? Se não fosse tratar-se da segunda figura do Estado (o que, por si só, é facto de uma eloquência confrangedora), apetecia mandá-lo a qualquer lado.

Adenda da noite: Lê-se num rodapé de um telejornal que o dr. Assis acha que o país e o partido (dele) "precisam" do coiso que acabou de ir sentar-se no conselho superior de segurança interna (e ainda não eram conhecidas as suas habilidades com as mãos). Quanto ao partido, o dr. Assis deve saber melhor do que nós de que género de homúnculos precisa. Quanto ao país, do qual lamentavelmente faço parte e enquanto parte dele, o que mais desejo é que o coiso se foda.

Adenda Maria de Belém: Rídicula.

24 comentários:

Anónimo disse...

Atendendo à pessoa, ao local - como se sabe, muito mal frequentado - parece-me tudo muito normal!

Anónimo disse...

"Aquilo" entrou nitidamente em pânico! Julgava bem enterrada e cuidadosamente esquecida aquela melindrosa - para ele - questão. Emigrado rapidamente das Ilhas via PS, julgou poder vir campear para a AR, confortavelmente enquadrado pelo partidinho (salvador...). Quando já abarrotava de confiança atrevida e paroula, eis que uma revista exuma os "assuntos" d'aquilo para lhe apertar as bolas. Que falta de nível, que infantil e vergonhosa justificação! Tristíssima cena! E Assis acompanhou aquilo no difícil transe da comunicação, dando-lhe no fim um bacalhau à compadre. Triste mas instrutivo.

Ass.: Besta Imunda

Alves Pimenta disse...

Há dias, na Rua de São Bento, dei de caras com o Ricardo Rodrigues.
Graças a Deus, consegui evitar o vómito. E ainda há quem diga que Ele não existe...
(Já em tempos me aconteceu o mesmo com a píttica figura, desta feita no Corte Inglês. As desgraças por que um pobre lisboeta tem de passar...).

rmvsantos disse...

Sófocles R. Rodrigues (dramaturgo Tuga)

Nas suas tragédias, mostra dois tipos de sofrimento:

O que decorre do excesso de paixão socialista e o que é consequência de um acontecimento acidental (entrevista).

Acentuou a importância de si mesmo, no papel de observador do seu próprio drama que se desenrola à sua frente.

Deve-se a Sófocles Rodrigues a importância da cenografia e o aumento do número de elementos de "happening". Nas suas dramatizações tudo é possível na definição da sua própria tragédia.

A sua concepção teatral foi e é inovadora elevando por exemplo o número de trágicos actores para dois ou mais, como é o exemplo de S. Francisco de ASSIS, agora contemporâneo de Sófocles Rodrigues.

De entre as suas peças "sobreviventes" destaca-se o "Édipo Rei", onde o mesmo não define a sua orientação sexual como foram prova as imagens recolhidas ontem quando o mesmo se ausentava de forma sublime do espaço da entrevista.

Deve-se a Sófocles Rodrigues a frase: "Mais bolsos houvesse mais gravadores levava". Recorde-se que nesse tempo ainda se desconhecia o que eram "gravadores".

A

Rui

De nihilo nihil disse...

Não há-de tardar e teremos o STJ a ordenar a destruição de tudo e mais alguma coisa e o MP a pedir o arquivamento do assunto. Antes que algum processo avance é melhor "tratá-lo" logo enquanto pequeno.

Anónimo disse...

Roubar gravadores não é crime punido por lei?

antónio chulado

Die Männer disse...

Às vezes pergunto-me se há alguém honesto no PS. Foram todos escolhidos a dedo. Chiça!

Anónimo disse...

Não se compreende é que um PS, com tanta gente, não tenha um módico de decência algures. Desde esse patife Soares, ao finório Santos, passando por tudo "isto", aparece sempre alguém a defender o que de mais reles vai dando à costa. Constantemente.
Mas "isto" dá jeito ao chefe da banda. Aliás dificilmente teria arranjado melhor que "isto" para lhe aparar os piões.

Pirate disse...

Ao princípio a obsessão compulsão era por gravadores de bobinas, com aqueles mecanismos sempre a rodar, a rodar, a rodar como uma mantra...mas depois com o evoluir da tecnologia o apelo dos gravadores digitais tornou-se irresistível, um autêntico fetiche.
Ouvi dizer que alguns camaradas já lhe aconselharam um grupo de auto ajuda, para o apoiar nesta maldita maleita...

LUIS BARATA disse...

Não sei o que foi pior: se a cena dp furto, felizmente filmada, ou a conferência de imprensa com colegas deputados e até o Francisco Assis a "apoiar".
E o Dr.Jaime Gama quando se vai pronunciar? Alguém que lhe mande o vídeo do crime.
E a suposta "justificação jurídica"-acção directa- é de risos.

Anónimo disse...

A badalhoquice a que isto chegou: “Porque a relação entre qualquer deputado e qualquer jornalista é uma relação tão íntima, directa e insondável como a do confessionário”, justificou Jaime Gama. É curioso, porque na comissão de que este deputado faz parte, o PS exigiu saber quem são os deputados que falaram e deram informações ao jornalista da TVI.

Anónimo disse...

Como se veio a verificar, bastou uma pergunta incómoda para este "socialista" de meia tigela se revelar um "democrata" de alto coturno.
O tipo pensa que pelo facto de ser deputado tudo lhe deve ser permitido, inclusivamente ser grosso e ostensivamente cretino.
Confesso que desta gente já há muito espero tudo, mesmo até o ridículo de serem apelidados de representantes do povo, quando na realidade representam-se a eles próprios, e, representam o pior que existe, porque se arrogam o direito de fazer as maiores barbaridades, julgando-se imunes à própria justiça.
Quanto ao seu camarada Assis, é outro que não lhe serviu de emenda
os tabefes que os felgueirenses lhe assestaram nas trombas, demonstrando do modo mais aportuguesado de que quem não se sente , não é filho de boa gente.
Cps
S. Guimarães

Idem idem aspas aspas disse...

Esse Gama nunca me enganou. Ponto final.

Anónimo disse...

É uma pena ter-se acabado com os duelos à pistola ou à espada para "lavar" a Honra.
Hoje em dia substituiu-se o fio da espada ou a suprema arte do atirador por um "bla-bla" de eunucos inconsequentes. Uma treta.
Quanto não valia o sangue quente a escorrer pela fronte ou pelo abdomen esventrado ? E quanto não louvaríamos por cada deputedo fora de jogo ? Ah que sonhos qu'agente tem ...

Eduardo F. disse...

Tinha Francisco Assis por alguém que cumpria os mínimos de decência. Enganei-me.

Anónimo disse...

Maria de Belém: "as pessoas não são de ferro". Os pedófilos também não são de ferro. Depois vem a desculpa: as perguntas. Se calhar também se pode violar mulheres que andam com as mamas meio à mostra e coisas do género. A decisão fica a cargo de cada um em função do partido a que pertença. A senhora está a falar dos jornalistas há 5 minutos. Ricardo Rodrigues já é vítima. Provavelmente a seguir vem a indemnização.

Anónimo disse...

Afinal não foi furto por causa do código penal, explica a senhora Maria de Belém, ainda com a cara ligada. Foi um furto para entrega no tribunal! Mas isto é possível? Ninguém acaba com esta merda de imediato?

Anónimo disse...

E com isto a Mody's ameaça diminuir o rating de Portugal, devem ter medo que o mãozinhas meta o dinheiro ao bolso...

Anónimo disse...

Assis levou pancada em Felgueiras e visto isso não aprendeu nada. Foram merecidas!

Anónimo disse...

Ouvi o Assis dizer que o país precisa do "coiso"; e o Assis de que é que precisa? ... possivelmente de 'volver' a Felgueiras ...

Estou, mesmo agora, a ouvir na tsf um 'comunicado', em geito de comentário político, do Soares júnior que, para bem do país (o nosso) se encontra em Manchester a 'fiscalizar' as eleições inglesas.

Bem haja, Soares júnior!

antónio chulado

Mani Pulite disse...

O RICARDINHO MÃOZINHAS DE TESOURA É ALEGRISTA,CÉSAR OBRIGA.O ALEGRE QUER CHEGAR A BELÉM.LÓGICAMENTE, A BELÉM TEM DE DEFENDER O RICARDINHO.COM APOIOS DESTES O ALEGRE SÓ CONSEGUE CHEGAR A BELÉM PELO CANO DE ESGOTO MAS O FEDOR JÁ É INSUPORTÁVEL

Anónimo disse...

O RR seguiu o exemplo do PGR e do P do STJ e já destruiu as gravações.

Anónimo disse...

É, somos todos maluquinhos, não é??!!
Não, não é.
O roubo dos gravadores faz-me lembrar aquele velho general que, aflito com o poderio do inimigo, mandou acender uma fogueira no topo da montanha do outro lado do local onde decorria a batalha.
Questionado por um dos seus oficiais sobre o porquê daquilo, responde o velho general: "Para que o inimigo olhe para a fogueira e por um segundo se distraia de nós e para que os nossos homens se distraiam um bocadinho do inimigo".
Bem visto.
Rita

Buriti disse...

Maria de Belém é uma mulherzinha, literal e metaforicamente falando.
Mas creio, porque é forçoso que assim seja, que os vermes nunca deixarão de rastejar, ainda que queiram pairar como as aves no céu.

Este Portugal às avessas não pode continuar.

Estou enojado com toda esta novela sórdida e putrefacta que continua a ser distribuida, diariamente, em contentores de lixo onde se aglomeram actores e apreciadores da dita.