9.5.10

A EXCELÊNCIA DA SITUAÇÃO


A senhora Merkel perdeu a maioria no seu parlamento enquanto o benfica, na portuguesa Segunda Circular, provoca uma espécie de ejaculação precoce nacional. Qualquer perda da senhora Merkel, porém, é uma perda para o castelinho de cartas mal amanhado em Bruxelas para evitar o colapso da Europa do horrível tratado de Lisboa. E a do euro, evidentemente. A situação é excelente, como diria o desdentado Mao.

Adenda pós-ejaculação nacional: Alguns leitores querem que chame ao benfica Sport Lisboa e Benfica. Prontos. Foi esta coisa que ganhou. Parabéns à prima.

29 comentários:

Garganta Funda... disse...

O famigerado Tratado de Lisboa foi, talvez, o maior bluff do século.

Hoje a Europa é uma manta de retalhos, à mercê de simples agências financeiras e da manhice norte-americana.

Esta Europa, como é também "este" país, é o resultado duma geração falhada de esquerdistas, cientistas sociais e intelectuais de café.

Basta olhar para o «presidente» desta Europa, para sabermos que que estamos metidos num enrendo do TinTim.

Basta presenciar as inúmeras e ciclópicas reuniões dos directórios europeus para vermos a merda a que isto chegou.

O caso da Grécia é paradigmático.

Se os EUA, a Rússia, a China e outras potências emergentes tivesse o processo de decisão que a «Europa» tem, estavam bem amanhados!

Alex disse...

O Mao era mesmo desdentado?! A sério?! :) Ou trata-se de um disfesmismo?

Fado Alexandrino disse...

Tenho muita consideração por si e pelo seu blog.
Por favor tenha também consideraçao por nós, Benfica é nome próprio é com maíuscula.

António P. disse...

Ia dizer. o mesmo que disse o Fado Alexandrino.
Benfica escreve-se Benfica.

Anónimo disse...

"Hoje a Europa é uma manta de retalhos, à mercê de simples agências financeiras e da manhice norte-americana."

Continua as tontices das conspirações, a explicação habitual para quem não sabe o que se passa.
Se os paíeses da Europa tiverem defice zero os problemas acabam por magia.

lucklucky

João Gonçalves disse...

Perdoar-me-ão ou não, mas como o blogue é meu, o benfica não leva nem deixa de levar maiúscula. Benfica é o sítio onde vivo. É para não confundir.

Alex disse...

Estava à espera dessa, dr. J.G.: “O blogue é meu”!
Tem razão, sim, senhor!
Costuma-se dizer que “quem não gosta, não come.”
Mas o que acontece é que este blogue parece que tem um íman que nos atrai irremediavelmente, por todas as razões e mais uma: a completa irreverência que o dr. J.G. demonstra por vezes, e sem pedir desculpas a ninguém! Tipo: eu quero, posso e mando! Mas ainda o mais interessante, é quando o caro dr. “corresponde” com os comentadores! Muito mais entusiasmante!

João Gonçalves disse...

E já agora, acabe-se lá com essa do dr. O meu nome não começa por dr. tal como o benfica não tem de ser Benfica.

António P. disse...

Então para ser rigoroso, diga ou escreva :
Sport Lisboa e Benfica

floribundus disse...

quando corria atrás das bolas de ténis (my balls) fui sócio dos índios.
agora não sei se ainda tem algum jogador portugês.

o clube está falido. o emblema tem ar de galinha depenada

por acaso alguém sabe onde fica a 1ª circular?

Alex disse...

Se essa me é dirigida, peço desculpa. Como o poderei chamar? Segui o tratamento de alguns comentadores. Deverei tratá-lo por sr. João Gonçalves? Sem ironia, acredite.

João Gonçalves disse...

Basta João.

Alex disse...

Está bem, João. Estamos entendidos.

sampy disse...

A não perder, o programa Câmara Clara desta noite: a deslumbrante megalomania organeira do Convento de Mafra.

A mim, vão soar-me como a orquestra do Titanic.

Anónimo disse...

Aproveitando a dica do João fui imediatamente consultar o site maistempoparamar.com. Parece que essa coisa de ejaculação precoce (antes, no meu tempo, dizia-se prematura ...) já tem medicamento apropriado. Recomenda-se então a visita a todos os Sport Lisboetas e Benfiquenses precoces, ou prematuros, e restantes 4 milhões de tugas. Obrigado João.

Manuel Brás disse...

Por falar em Titanic...

São momentos espantosos
para mais tarde recordar,
de discursos portentosos
com um vigor de enfadar.

Neste “finale” humilhante
para um poder estragado
é deveras pouco brilhante
esse estado fustigado.

Anónimo disse...

A manifestação gigante e pobre de pobres alminhas fáceis de contentar e de distraír, que toma lugar enquanto escrevo estas singelas linhas, é bem o espelho de parte deste povaréu desesperado, desorientado e sem um propósito na vida. É como chorar nos estádios diante da selecção (Deus nos valha...), quando se ouve o hino que a populaça não sabe cantar; e depois ignorar completamente o 9 de Abril, o 11 de Novembro ou o 1º de Dezembro, e até escarnecer quando se vêem soldados na Estrela ou na Ajuda. Benfica é uma feia zona da Cidade, que não era da Cidade e que lhe foi colada administrativamente e sem cuidar de a regrar e lhe retirar o caracter de quintalaria suja e desregrada. Prefiro o Sport-Algés-e-D'Afundo - sempre tem mar. Quanto aos benfiquistas, parabéns! e amanhã voltais todos à rotinazinha da dívida do cartão e do resto que se sabe.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Peço desculpa a quem não concordar comigo, mas o autor deste blog tem uma grande dose de razão. Isto da bola tornou-se numa obcecação insuportável. Eu até gostava - gostava, repito - de futebol mas já não o suporto há anos pela quantidade monstruosa com que nos inundam com este desporto por todos os lados para onde nos viramos. Quase todos os dias há "debates" sobre a bola, seja a que pretexto for. (Hoje TODOS os canais deram as manifestações dos benfiquistas por toda a Lisboa, isto durante HORAS, seguidas de "debates" intermináveis! E parece que ainda o estão a fazer) Depois há os jogos, não sei quantos por semana e a seguir mil debates sobre os mesmos ao longo da mesma semana. E isto repete-se semana sim, semana sim. É evidente que esta avalanche de futebol e todas as doses industriais de entrevistas e debates com ele relacionadas têm uma "mãozinha" cínica por detrás (e todos sabemos perfeitamente donde ela parte) mas o pobre povo, ingénuo e bom como é, dela não se apercebe. E é evidente que o povo gosta e muito de futebol. Está no seu pleno direito. Dada a tristeza que nos invade com este regime e tudo o que de horrível ele encerra, o futebol até talvez seja a única verdadeira alegria a que o povo tem direito e o faz esquecer as agruras da vida e elas são muitas. E é isto precisamente que os hipócritas dos governantes desejam.
No antigo regime havia também futebol na televisão - de que a esquerda aguerrida, hipócrita e cínica troçava e o acusava de que ele só dava ao povo futebol, fados e Fátima para o distrair dos problemas do dito regime, o que era manifestamente uma monstruosa mentira - e no entanto nada que se comparasse com esta catadupa de jogos e debates. E vivia-se com prazer o futebol, quem dele gostava apreciava os jogos que a televisão transmitia porque estes eram escassos e espaçados no tempo. Mas sobre este facto verdadeiro, da esquerda, hipócrita, mentirosa e oportunista como é, não se ouve nem uma palavra.
Pois é, se o povo se revoltasse contra este estado miserável de governação - e já agora também da programação televisiva vergonhosa (programação essa que é feita a partir de ordens vindas de cima - futebol em doses maciças incluído - e que têm que ser cumpridas rigorosamente ... or else - isso é que era um grande feito. Mas o pior é que o povo adora futebol, primeiro. Segundo, para sua desgraça, ele, povo, nem se dá conta para onde os políticos o estão a levar.
Maria

Anónimo disse...

O "Sport Lisboa e Benfica" é uma doença ( pouco original ) quase tão
grave como a patologia da sub-educação, da pobre cultura geral indígena que em grande parte a comporta.
É, com a ida ao Mundial, a melhor coisa que podia acontecer à sopa José-Socrática que embrulha todos no tépido e odioso visco da pusilanimidade generalizada!
Vivam os "clubes pequenos", os da província esquecida!

G.A.B.
De Coimbra, com estima e elevada consideração!

joshua disse...

Eu sugeria ao sproc-és-boa-e-benfica e aos sproc-és-boa-e-benfiquistas que se interrompessem do dedo anal-introduzido e do voo extático correspondente para passarem a pôr os pés no chão. A Nação periga realmente. Isto não está para quaisquer festejos, como em breve perceberão.

Jorge Oliveira disse...

Esta coisa !?

Você é parvo !

Anónimo disse...

Sou benfiquista "desde pequenino". A última vez que fui ao futebol foi para ver o Benfica-Barcelona, aqui há 2 ou 3 anos no novo estádio. A penúltima vez, foi no estádio antigo. No intervalo fui à casa de banho e lembro-me que havia no chão 10 centímetros de água e mijo. Por essa altura encontraram um tipo morto numa casa de banho. Tinha morrido na jornada anterior... Como dizia o outro: isto é futebol.

javali disse...

Bom era que os clubes de futebol - esses antros de patifaria labregóide - pagassem as dívidas ao Estado e não se armassem em repúblicas independentes.

M. Abrantes disse...

O salazarismo nunca primou pela eficiência. Para quem tivesse dúvidas, ficou ontem provado que basta Futebol, não é preciso Fado, Futebol e Fátima.

Alex disse...

O povo… o povo… o povo!
Só se fala no povo. Como este é ignorante, inculto, estúpido e só gosta de futebol. Nenhum dos comentadores pertencerá ao povo? Afinal, quem é que faz parte do povo? Os incultos? Os pobretanas? Os ricaços incultos? Quando é que uma pessoa deixa de pertencer ao povo? A partir de que ano de escolaridade ou a partir de que montante na sua conta bancária?
povo (ô)
s. m.
1. Conjunto dos habitantes de uma nação ou de uma localidade.
4. Multidão de gente; a plebe; gente ínfima.

Aqui pelos meus lados (convívio familiar e social), todos temos uma certa formação académica – uns mais que outros – e não conheço ninguém que não goste de futebol e também nunca me apercebi que se excluissem do povo.
Por que será que em países mais pequenos e menos ricos as pessoas têm uma aberração em serem considerados povo?

Anónimo disse...

Gosto de futebol mas não vivo para ele ou dele. Quem se entregar a isso é, independentemente dos seus conhecimentos ou formação, um péssimo elemento e entregar-se-á a qualquer outro fanatismo, seja qual for o seu "conteúdo". Isso define-o não como "povo" mas como basbaque dócil nas mãos de pulhas cleptómanos.

Ass.: Besta Imunda

Anónimo disse...

Besta Imunda
(há com cada nickname! Vou também inventar um: “A Bela Adormecida”)
Se tomar em consideração a sua noção de povo, ainda não é por aqui que sou povo. Gosto muito de futebol (mais do que golfe e não pratico o primeiro mas o segundo) mas ainda não sou fanática. Safei-me de ser basbaque!

A Bela Adormecida

Anónimo disse...

Ainda vai a tempo. Leia o que escrevi.

seu,

Besta Imunda

Anónimo disse...

Li e respondi de acordo com a minha interpretação.
A Bela Adormecida