7.5.10

DONOS


O sr. Ascenso Simões, uma luminária que, na sua primeira encarnação como secretário de Estado chorou de emoção na tomada de posse (assim contaram os media na altura), deixou de o ser com o segundo governo do admirável líder. Todavia, o dr. Zorrinho, deste governo, lembrou-se de Ascenso para presidir à Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) - se o homem passou pela administração interna e pela agricultura, por que é que não podia passar para isto ou para outra coisa qualquer? - sem que nada, a não ser a augusta filiação partidária, o recomendasse. Para disfarçar, o dito Ascenso, seguramente comovido, demitiu-se da direcção do PS porque, na sua falsa ingenuidade, imagina que isso o transforma automaticamente em isento regulador. Sucede que ele pode sair de onde quiser, mas "aquilo" a que ele pertence é que, de certeza, não sai de dentro dele. A confusão entre Estado e partido é uma trivialidade a que a cornuda mansidão portuguesa já se habituou. Para quê, pois, se foi Ascenso incomodar quando os seus camaradas deputados aplaudem amigos do alheio?

9 comentários:

Eduardo F. disse...

L'État? L'État c'est nous!

Lura do Grilo disse...

"Para quê, pois, se foi Ascenso incomodar?"

Pois naturalmente para cumprir um desígnio que a mãe tinha para ele quando meteu os papeis do rebento na Conservatória: "Ascensionar"

António Viriato disse...

Sempre esta família política socrático-socialista confundiu o Estado com a sua quinta particular.

Onde podem fazem povoamento.

O que espanta é que os restantes partidos da Oposição se tenham mostrado, ao longo dos anos, tão complacentes com esta prática.

Parece começarem agora a acordar de tão demorado torpor.

Queira Deus ainda vão a tempo.

Anónimo disse...

Para mim, desde ontem que estes tipos estão todos fundidos com a roubalheira e não há nada que os separe.

Nuno Castelo-Branco disse...

O Ascenso chorou na "tomada de posse"? Porquê? Estava a roubar alguma coisa e foi apanhado? É que hoje a novilíngua diz que "tomar posse" significa "gamar"!

Anónimo disse...

Respeitinho, calma e moderação, Dr. João Gonçalves.

Anónimo disse...

O novo boy-ascenso é apenas o desenvolvimento normal e natural das coisas orientadas por este governo-PS do compadrio descarado. Até porque devemos colocar a questão de haver ou não gente capaz, mas sobretudo disponível, para "ser colocada" por esta associação de traficantes e assim ficar ligada a eles; pelo menos gente decente... Quanto ao gesto nobre da desfiliação partidária - e o facto de se ter deixado saber - revela só o uso de uma regra, que devia ser de ética, para o embuste passar melhor nas "opiniões". Agora que até o roubador-rodrigues é publicamente alvo de palmas-PS! Marias-de-Belém incluídas! Nauseante.

Ass.: Besta Imunda

Fado Alexandrino disse...

Sucede que ele pode sair de onde quiser, mas "aquilo" a que ele pertence é que, de certeza, não sai de dentro dele.
A frase do ano.
Aplica-se a "isto" e a muitas outras coisas e pessoas.

Anónimo disse...

Para se entrar no ascensor é necessário ser do partido. De preferência dirigente. À entrada, é necessário deixar de ser dirigente. Por causa das aparências. O povo acha bem. E vota.