23.3.07

"O SÔ ZÉ..."

... pelo João Távora, que sempre é um senhor. Por extenso.

2 comentários:

Arrebenta disse...

http://pt.wikipedia.org/wiki/Arrebenta

A entrada "Arrebenta", na Wikipédia" foi designada, por ELES, para a APAGAREM.
Vamos todos inscrever-nos, na "Wikipédia" para a proteger!...
A bem da Liberdade de Expressão.

Anónimo disse...

Quando nasceu há quase 19 anos, eu juntei o Público ao Expresso como mais um jornal da corte, e considerei-os os jornais de pior influência no país. A minha opinião sobre o Público mudou há cerca de um ano. Aprecio agora os artigos de opinião e os editoriais, opinativos e conclusivos. Passei a ser um leitor diário.

.
A reportagem de hoje sobre a licenciatura do Primeiro-Ministro deixou-me desconcertado. É Portugal no seu pior. Pegam-se numas formalidades mal cumpridas - falta uma assinatura aqui, falta numerar uns documentos acolá, falta um carimbo mais além - tudo formalidades a que os portugueses, no decurso da sua vida diária e das suas instituições, aparentemente dão muita importância - especialmente aos carimbos.
.
E com base nas formalidades mal cumpridas, ainda por cima num dossier que tem pelo menos 12 anos, lança-se a dúvida sobre a opinião pública. O objectivo é atingir o homem. A opinião pública, que é de má qualidade, fará o resto. O homem é o Primeiro-Ministro do país. O Público fez o seu trabalho.
.
O pior na reportagem é a nota da Direcção Editorial. Havia boatos e o Público foi indagar. E que conclusão tirou a Direcção Editorial do trabalho feito pelo seu próprio jornalista? Nenhuma. O objectivo foi só indagar.
.
Não é aceitável que num jornal cuja Direcção Editorial é tão opinativa e conclusiva, nenhuma conclusão seja tirada. Mais outra como esta, e perdem de certeza um leitor. E parece que o Público já não tem muitos.
(ver mais)(ver menos)

Pedro Arroja in Blasfémias