8.5.10

O AZEDUME IGNORANTE

«O Papa, por razões de fé ou de curiosidade, atrai um muito maior número de pessoas do que um sindicato, um partido, uma banda de rock ou, simplesmente, o congresso nacional das filarmónicas de província. Atrairá com certeza milhões. Não admira, por isso, que o Estado tome, como lhe compete, as suas medidas, nem que o Governo se queira associar à ocasião para beneficiar por reflexo da popularidade de Ratzinger. Sempre foi assim. O que há de novo é o azedume do laicismo moderno. Mais precisamente: do ateísmo moderno, que se julga científico e absoluto. A democracia tolera o mundo inteiro. Só não tolera a Igreja Católica e, em especial, Bento XVI, provavelmente porque nunca o leu. Ou talvez porque o leu.»

Vasco Pulido Valente, Público

7 comentários:

M. Abrantes disse...

Convém não colocar num saco chamado 'azedume do laicismo' toda e qualquer observação que nestes dias seja feita sobre Ratzinger, ou a Igreja, da qual não transbordem as mais absolutas euforia, contentamento e realização pela visita do Papa.

A tentação de o fazer é grande, por parte de alguma direita que sempre foi intolerante com o ateísmo.

Tolerantes devemos nós, ateus, ser, respeitadores idem aspas, ingénuos é que, santa paciência, tem que ser noutro departamento.

Anónimo disse...

A quase generalidade das opiniões dos laicos, ou revela uma posição de superioridade, ou de tolerância mitigada "coitados, temos que tolerar estes pobres de espírito", pensarão.
A eles direi que a experiência é a mais cara escola da vida; mas é a única onde os tolos conseguem aprender alguma coisa. Einstein, que se embrenhou no equilíbrio do universo, concluíu que esta maravilha não pode ter sido obra do acaso. E na altura da sua morte tinha entre mãos a descoberta da alma. A vida como os ateus a imaginam não tem interesse. São uma minoria "cheia de certezas".

Garganta Funda... disse...

Esta canalha laica, sucialista e republicana está a fazer um escarcéu com a vinda do Papa a Portugal, e que por acaso é Chefe de Estado do Vaticano, reconhecido pela Organização das Nações Unidas.

Não vi esta corja a berrar contra o Kadaphi e o Mugabe, execráveis e criminosos de delito comum, quando pisaram solo português.

Vós, laicos, sois uns ignorantes, complexados, muito pequeninos e atrasados mentais.

Sois uns tristes!...

Anónimo disse...

só um gaijo com o nome e garganta funda é que diz esta merda. vai-te foder ó encalhado.
Eu sou de direita, nunca gostei dos esquerdelhos mas sou ateu.
OUVISTE FILHO DA PUTA!!!!!

velyn disse...

O anónimo anterior merece todos os comentários do 'Garganta Funda' e ainda um pouco mais! Eu também sou ateu e de direita e o Papa não me incomoda nem um bocadinho. As fúrias anti-clericais a mim passaram-e aí pelos 20 aninhos. O Papa, coitado, ainda é dos poucos que vai pedindo publicamente honestidade, respeito pelo próximo e pelos mais fracos, moderação, modéstia, responsabilidade, etc...Tudo qualidades fora-de-moda, já se vê!

velyn disse...

Os Neo-Comunistas do BE, no seu esforço titânico para se distinguirem
do PC, pediram audiência ao Papa, na pessoa do seu 'tonsurado' Daniel Oliveira. Frei Anacleto, aka, Francisco Letra-L tem demasiado medo de ser confundido com Savonarola e excomungado in situ. O pretexto é pleitear junto do Sumo Pondífice a possibilidade de se realizarem casamentos 'gay' na Sé Patriarcal e de pedir a sua Santidade que hieraquicamente assim obrigue D. José Policarpo, casmurro contumaz.
Tal desiderato enquadra-se numa proposta empresarial do BE para mitigar os efeitos da crise que se avizinha. Com efeito, os deputados do BE querem propor que, em troca da nossa ajuda, a Grécia nos ceda a exploração turistica das ilhas de Mikonos e Lesbos. A ideia é oferecer um pacote inovador à comunidade gay internacional: casamento em Lisboa, na Sé Patriarcal, às mãos de D. José Policarpo; copo-de-água na discoteca Lux; compras variadas na loja da Catarina Portas, incluindo vários cocs de Barcelos; finalmente lua-de-mel numa das ilhas de Lesbos ou Mykonos, num dos resorts a estabelecer pelas Pousadas de Portugal, entretanto re-nacionalizadas.
As várias viagens seriam disponibilizadas pela TAP, num package atractivo, chamado 'vá ao pacote com a TAP', com tripulação seleccionada de entre os colaboradores da Jugular, com destaque para Miguel Vale de Almeida e Fernanda Câncio, que finalmente poderiam ter um trabalho ontem fossem úteis e felizes.
Nas palavras de Daniel Oliveira: 'podemos não ser a West Coast, mas podíamos ser o Vermont da Europa!'

Elisiário Figueiredo disse...

Sim claro um feriado com a vinda do papa mais um feriado no dia sagrado dos muçulmanos, mais outro para a igreja adventista do sétimo dia, e outro para a igreja da conquilha, mas porra eu sou ateu também tenho direito a um dia, o meu vizinho é budista, mais um dia para ele...