3.6.11

A CONTINUAÇÃO DO COMADRIO


Depois de domingo, os "corporativos" mudam-se para ou "abrupto" ou vice-versa. Aliás, uma coisa que permanecerá indemne no exercício do que apelido de "dialécticas aplicadas da acção comunicacional" é a mesmice complacente nos media. Não importa que venham das esquerdas ou das direitas porque estão todos "unidos" pela língua de pau que perpetram um pouco por todo o lado - Não é por acaso que ninguém num Mas a liberdade de que gozo aqui, essa, ninguém a sonega. Apesar do meu voto (PSD), a "linha editorial" em vigor não muda uma linha. Afinal, devo apenas fidelidade à última epígrafe que escolhi para o blogue. A de poder continuar a «falar do que vai por este beco do universo onde as comadres se acotovelam para levantar a saia no escuro dos portais

11 comentários:

Anónimo disse...

"ninguém jamais me...ouvirá numa rádio ou verá numa televisão"
Não tenho a certeza sobre a rádio (tenho a impressão de que já referiu ter falado numa), mas já o vi na TVI24

João Gonçalves disse...

Sim, provavelmente. Mas imagino que entenda o quero dizer. Poderá ter-me visto uma vez ou duas, mesmo três, não me verá nunca dia sim dia não, ou semana sim, semana não. Não faço parte do "quadro de honra".

Anónimo disse...

Caro Dr. João Gonçalves. Leio-o quase todos os dias. O seu "espaço" sente-se que respira essa liberdade de quem sabe o que quer da vida e por onde anda nesta vida.
Ás vezes não o compreendo. Acho que a razão está relacionada com a minha falta de "quadro de análise" para a realidade que nos oferece e que ainda não conseguimos "ver".
Jornais?! Acho-os fracos e com muito lixo na capa no meio e no fim.
DEUS O AJUDE. Deus nos ajude.
Cumprimentos.

Anónimo disse...

Vi e ouvi Pacheco na quadratura: para ele a mesmice - que grassa a todos os níveis no País - é algo inabalável e que nem sequer vale a pena tentar modificar. Nem sei porque pertence ele a um partido político...; uma coisa é realismo e bom senso perante 'promessas eleitorais' venham de onde vieram; outra será prosseguir no registo lamentadeiro e ressentido que lhe ouvimos ontem - mas blasé e superior, como quem acha que esta sociedade estatizada, e que não funciona, deve ser deixada como está ou ainda tem algo 'para dar'. Deu sim trunfos ao compadre-costa que, rosnando ameaças de convulsão social e tartamudeando sebáceos raciocínios de alianças, teve mais uma oportunidade de proferir mentiras e falar 'do que é preciso fazer'. Logo eles...

Ass.: Besta Imunda

Aires Vilela disse...

O miserável exercício de Pacheco na quadratura de ontem, ao "prever" a impossibilidade de o PSD cumprir o que se propõe, constituíu uma sacanice sem nome, a que o partido não devia deixar de responder já na próxima semana.
O gozo que se estampou na cara do Costa ante a "profecia" pachequiana dispensa qualquer comentário.

Anónimo disse...

Sócrates obterá uma vitória retumbante.

Os miseráveis que lhe atacam diariamente vão ter a resposta adequada.

Anónimo disse...

O anónimo das 2.46 faz parte daquela malta que vota kim-il pinto de sousa em força, os que não concluiram o secundário. Senão vejamos: "Os miseráveis que lhe atacam diariamente..."!

PB

Pensamento em revoluçao... disse...

Ainda falam da falta de qualidade da tv generalista... este programa sim, é sem dúvida, o maior erro de "casting" da sicn...

Cáustico disse...

Pacheco deve talvez pensar que só ele tem a certeza do certo.
Com tanta sabedoria, ainda gostaria de o ver a actuar como primeiro-ministro.
Mas espero firmemente que o meu gosto nunca seja satisfeito, para não ser obrigado a ver o meu país pior do que está.

Nelson Marques disse...

...contudo, há algo que me perturba: a campanha de 2009 foi o nojo ininterrupto que se sabe; quem o perpretou? Onde estão esses agentes hoje? Afinal, a actual campanha foi, até, "limpa" para os padrões da "era" Sócrates.

O meu voto está certo e seguro e conto-o também como uma lição muito cara mas aprendida. Porém, não irei dormir descansado nos tempos mais próximos, longe disso. É que na ausência de regras - disciplina, respeito, o que se queira chamar - vale a fibra de cada um(a) e isso é género em falta por aí.

Malgré tout, apenas passei a crer que o pior é evitável, nada mais.

Paz

Anónimo disse...

A pseudo-direita portuguesa vai ganhar as eleições, está na altura de reposicionar a artilharia.

Recordando o que fez esta descomunicação social a uma maioria eleita pelos portugueses no parlamento há uns anos, num fogo de barragem incessante ao nível da opinião pública que depois o golpe de estado institucional pelo fantoche de serviço até foi considerado um "alívio" pela tuga médio em vez do seu termo correcto, golpada. Assim entregaram o poder de bandeja ao maior criminoso e vigarista desta 3ª República, Alves dos Reis, delapidador do erário público e ruinoso causador da bancarrota de Portugal.
Sendo assim, nem acredito que o premier Sócretino seja desterrado da liderança do seu partido assim tão facilmente (não está na sua natureza), nem acredito que a descomunicação social vá agora fazer diferente daquilo que já fez antes destes 6 anos de catástrofe e fez durante os mesmos, a sturm und drang será igual à feita anteriormente, está na sua natureza, e assim, nem o PS vai medrar da maneira como alvitram alguns, nem este governo que se segue vai conseguir cumprir uns míseros 2 anos de mandato sem novas eleições. Fado, fatalidade. Gosto da sua citação "criadas chegadas da província para todo o serviço".

Merkwürdig