24.6.11

INCOMPETÊNCIAS


A um preço de capa superior a quarenta euros, é indesculpável que a mais recente edição da poesia completa de Eugénio de Andrade "troque" o título de um dos seus primeiros livros, Os Amantes sem Dinheiro, por "Os Amantes do Dinheiro", designação várias vezes referida ao longo do volume, por sinal bonito. Não há ninguém na editora Modo de Ler para rever os textos? E rever, aqui, é mesmo rever substantivamente o que implica conhecimentos básicos acerca daquilo que se está a rever? Uma pena mas tem de ir para o lixo.

10 comentários:

André Benjamim disse...

Andava a "namorá-lo". Assim sendo, vou esperar que se dignem publicar uma edição corrigida... Todavia, o mais certo seja que lhe enfiem uma errata na primeira ou na última página. Uma pena. E sim, indesculpável. Embora me pareça que tenha tenha fugido a boca para a verdade a alguém...

Alves Pimenta disse...

Realmente, é de cabo de esquadra.
Já folheei na FNAC outras edições recentes com a mesma origem e afligiu-me a pobreza geral da coisa. Pelos vistos, não é só o aspecto...
Está riscado esse "modo de ler"...

Anónimo disse...

Impagável.

Ass.: Besta Imunda

S.C. disse...

E onde fica o seu lixo? :)

Anónimo disse...

Já tinha reparado. Não o comprei por isso. Um reparo - Incompetência é com n e não com m. Distrações acontecem.

Ana

kamarada Spartakus disse...

meu caro, é poesia em tempos de indigência...

Anónimo disse...

Não há desculpa,Eugénio revia sempre
as várias edições.
E já nem falo de reedições de clássicos portugueses(p.ex. Eça de Queirós),uma vergonha.Nesses casos é melhor estarem quietos.
José

Anónimo disse...

n mande ao lixo que, apesar de tudo, é pena. sugiro um concurso tipo os do http://sorumbatico.blogspot.com/.

algum leitor agradecerá.

RuiAlmeida.

Anónimo disse...

Já agora, distracções», não «distrações».
Quanto às editoras, tenho pegado em livros que são um puro escândalo, com traduções que parecem feitas por mau «software».
Começamos a sofrer as consequências da decadência do ensino e agora, como essa piada de mau gosto que dá pelo nome de «acordo ortográfico - algo de impensável em qualquer outro país - tudo leva a crer que, a não ser atalhado o mal a tempo, nos espera a inanidade triunfante.
Entretanto, e a condizer com tudo isto, esta gentalha, tropa fandanga alçada retirou Camilo Castelo Branco do programa de português do ensino secundário. Só ao estalo.

Anónimo disse...

encontrei, por acaso, o seguinte na net (http://www.youtube.com/watch?v=c4Iat2bVSxA&feature=player_embedded) e mais uma vez me lembrei deste post e da vontade de mandar a obra ao lixo...

RuiAlmeida