17.6.11

O PICNICÃO DE COSTA


«Foi nisto que nos tornámos? Com grandes cortes de trânsito em dias de trabalho?
Como é que era? O "Zé faz falta"?

13 comentários:

Dédé disse...

O TIO BELMIRO EM ACAMPADA NA AVENIDA DA LIBERDADE E onde está a Câncio, quando mais precisamos dela?

maria disse...

muitos dias antes já os parques de estacionamento nas zonas das festas da cidade foram fechados para albergar barracas de sardinhas e churros. Aproveitando a situação, a emel que me dizem pertencer à família Soares, e a Polícia Municipal estão de plantão à multa e ao bloqueio de carros. Ou seja, fecharam ruas e parques e colocaram carrinhas da polícia a multar. Eu fui uma delas...170 euros! Ontem demorei 1 hora para subir a Avenida, Grande Costa!

Alves Pimenta disse...

Para quem, como o energúmeno do Zé-que-não-faz-falta-nenhuma, aqui há tempo vedou aos residentes na zona o acesso à Praça das Flores durante 3 semanas 3, fechar a Avenida da Liberdade não passa de "peanuts".
O biltre é especialista na arte. Também a Av. António Augusto de Aguiar esteve entaipada um ror de meses, levando à falência vários comerciantes da zona, só porque o gajo era contra o túnel do Marquês, que ora toda a gente elogia.
O espantoso é que o safardana não só não foi responsabilizado por tais feitos como continua, do alto do tacho municipal facultado pelo "camarada" Costa, a rir-se dos lisboetas. É obra!

S.C. disse...

Inacreditável como se promove a publicidade ao Continente com a desculpa esfarrapada de apoiar a produção nacional! E os desgraçados que vão trabalhar e sofrem os cortes de trânsito (depois de já terem sofrido cortes de vencimento, alguns)? Com a produtividade desses não se preocupa o edil Costa, um dos maiores flops da política da nossa praça?!

Carlos Medina Ribeiro disse...

Quase tudo o que atrás se diz é verdade (e não serei eu quem defende Aº Costa & Sá Fernandes - grandes responsáveis pelo caos em que a cidade se tornou), mas há uma coisa que tem de ser corrigida:

É que o troço do Túnel do Marquês que vai dar à Aº Augusto de Aguiar não está acabado porque o do Metro é em cimento-não-armado (como se fazia nessa época), e o rodoviário passa a poucos centímetros (!!) dele.

Ou seja: para que a obra tivesse sido terminada, teria sido necessário que, na altura, Santana Lopes se tivesse entendido com a administração do Metro para se proceder ao reforço ali na zona - com as dificuldades que se imaginam.
Não o fez, e o resultado está à vista - com a agravante de que o trapalhão do Sá Fernandes é que apanha com as culpas!
Até nisso, Santana (que se especializou em nunca acabar aquilo em que se mete) foi genial!

Alves Pimenta disse...

Há, no meu comentário anterior, um erro que importa corrigir: onde está Av. António Augusto de Aguiar deve ler-se Rua Joaquim António de Aguiar.

Isabel disse...

Quem já viu a "Quinta do Zé Pinto", uma espécie de baldio, com umas espigazitas pelo meio, junto às twin towers? Não sei se dá vontade de rir ou de chorar...Também junto ao Palácio da Justiça, a estátua em que uma figura masculina segura dois cavalos, simbolizando a vítória da razão sobre a força, perdeu todo o impacto visual, rodeada do célebre "prado " que querem trazer para a cidade. Por que não vão ser campónios para o campo?

Carlos Medina Ribeiro disse...

Alves Pimenta:

OK. Os 2 casos são diferentes.

Mesmo assim, se o troço da Aº Augusto de Aguiar é um monumento à descoordenação e à incompetência (pelos motivos que indico), o da Joaquim António de Aguiar também tem que se lhe diga:

Todo o processo do Túnel do Marquês foi tratado "em cima do joelho". Nomeadamente, a inclinação inicialmente prevista não cumpria as normas internacionais de segurança.

Assim, e se, de facto, houve um atraso devido à correcção desse erro, só temos de agradecer a quem o denunciou e de invectivar quem esteve na sua origem.

Note-se que não tenho particular estima por Santana Lopes nem por Sá Fernandes, mas a verdade - tanto quanto sei - é a que refiro.
E, nestes casos de eminente interesse público, a cor partidária dos intervenientes tem de ficar em 2.º plano.

Alves Pimenta disse...

Carlos Medina Ribeiro:

Sei o que aconteceu na Joaquim António de Aguiar e quem é o, ainda impune, responsável por isso; sei que é sobretudo a Santana Lopes (de quem não gosto) que se deve que haja túnel do Marquês; e sei, ainda, que o túnel foi uma excelente solução (que frequentemente utilizo) para o trânsito naquela zona da cidade, onde tenho amigos e familiares a residir.
O resto não me interessa.

Carlos Medina Ribeiro disse...

Caro Alves Pimenta,

O Túnel foi uma boa solução, sim, senhor; e ainda bem que foi feito.

Mas "o resto" (que, no fim do seu comentário, diz que não lhe interessa) interessa-me a mim - e muito!
É que esse "resto" foi um monumental desperdício de tempo e de dinheiros públicos, devido ao facto de se ter querido fazer uma obra (e com a importância daquela!) à revelia das mais elementares normas de segurança.

Como é que se pode dizer que isso não interessa?!

Bartolomeu disse...

Assim se faz ver quem manda!

Fado Alexandrino disse...

A finalização da ligação do Túnel do Marquês à António Augusto de Aguiar tem sido adiada consecutivamente pela Câmara por não se entender com o Metro.
Os pormenores técnicos aqui são amendoins.
Qualquer engenheiro formado pelo Técnico ou seja um engenheiro verdadeiro os pode resolver em dez minutos desde que haja vontade politica.

zé sequeira disse...

1º) Sobre este assunto, deixemos a hipocrisia de parte. Aindei (como outros, aliás) a denunciar tudo isto antes e durante a campanha eleitoral para a Câmara de Lisboa. O Zé e o Costa já eram conhecidos de ginjeira; tudo indicava que a coisa iría desembocar no que agora conhecemos. Lembram-se do Parque Mayer ocupado por umas tretas, pagas a milhões, pelo Turismo de Portugal (nós todos, OK?), durante a campanha eleitoral?
Lisboa votou nesta parelha, acolitada pela Roseta. Agora, temos pena, não venham com a "cena" do "fomos enganados". Só se se deixaram enganar pelas "carvalhadas da silva" e "pachecadas pereiras".
2º) O túnel só não está completo porque isso seria, para estes tipos, dar razão ao P.S.Lopes. O resto são tretas, provavelmente bem intencionadas, mas tretas. O túnel do metro é em cimento "não armado?". Peço desculpa mas, tanto eu como o autor deste comentário, já devemos ter idade suficiente para termos assistido à construção destes troços, inaugurados em 1959 (31 de Dezembro) e sabermos que, por esse centro de Lisboa (bem perto dessa ligação à António Augusto de Aguiar), já nasceram garagens, enormes parques de estacionamento públicos (todos subterrâneos) e nunca foi necessário armar o cimento não armado.
3º) Quem nasceu, vive e ama a cidade só pode concluir que P.S.Lopes foi o melhor Presidente deste o Santos e Castro. É evidente que o tipo é inconstante, gosta de mulheres, de aparecer e nem sempre se rodeia das pessoas indicadas, ou seja, é homem (andros).
4º) Desculpem ter-me irritado

josé sequeira