6.6.11

O OVO E A AVE


O resultado da eleição de ontem pode representar-se em dois versos de Vitorino Nemésio: «Está como o ovo e a ave:/ Grande segredo/ Equilibrado.» Sócrates foi removido do poder pelo voto popular e não por expedientes mais ou menos deletérios. Passos ganhou em toda linha. Desde logo, ganhou contra os famosos "empates técnicos" e as não menos famosas "descolagens" milimétricas. Ganhou contra quase toda a comunicação social e contra a maior parte dos comentadores de serviço a começar pelos oficiosos do seu partido (v.g. Pacheco Pereira foi um enorme derrotado da noite de ontem, desde Carnaxide a Santarém). E ganhou, sobretudo, por mérito próprio (eu, que nunca fui um entusiasta, digo-o friamente) ao saber ter sido, no essencial, ele próprio: uma pessoa equilibrada, firme na sua "normalidade" e disposta a combater pelas vias correctas o autoritarismo cego legado por Sócrates. O que alcançou permite-lhe negociar (rapidamente, se fizer favor) um governo também equilibrado uma vez que Portas não conseguiu ir mais além do além como pretendia. Até nisso o resultado do CDS foi, adequadamente, equilibrado. A passagem do PC a quarta força política é outro sintoma de equilíbrio. Tal como a varridela nacional do evangelismo espúrio e demagógico de Louçã que perdeu oito deputados, reduzindo o Bloco à vaidade de meia dúzia de "iluminados" como o citado e o prof. Rosas. A derrota global da esquerda só lhe pode fazer bem já que ela é especialista em auto-mutilação. Mas isso é um problema dela dado que, aparentemente, não lhe faltam "inteligências". A Passos espera-o o país. Isso, sim, é uma coisa séria que lhe é entregue devidamente comprometida (com os apoios externos) e minada (pelo socratismo e respectivos cúmplices). O "grande segredo" consiste em começar apenas como é. Equilibrado.

10 comentários:

Anónimo disse...

Bom post, sim senhor.

AG disse...

Gostei muito. A esquerda viu caiu um mito, que é a salvação e que tem um direito divino para governar. Cabe ao centro-direita aprender com os erros de Sócrates e que o poder é a coisa mais efémera qu há.

Carlos Dias Nunes disse...

Um tal Gobern, cheio de azia enxundiosa, debitava esta amanhã na Antena 1 as habituais necedades da sua debilóide crónica, própria de quem viveu os últimos anos à exclusiva conta do socretinismo.
Dizia ele, contrariando as evidências, que o falso engenheiro teve contra si "a pior imprensa de sempre" e que a História fará justiça à grande obra que o dito levou a cabo.
Dizer isto de alguém que conduziu o País à bancarrota, forçando-o a recorrer à caridade internacional, não é de cego, é de quem não quer ver.
A que propósito é que vamos ter de continuar a pagar, com os nossos impostos e taxas, para que gente como esta continue a vomitar disparates na comunicação social do Estado?

a.marques disse...

Quem com ferros mata com ferros morre. PS para a oposição obrigado a carregar o providencial e apertado freio da troika. Há males que chegam por bem.

Lamas disse...

E as empresas de sondagens, senhores?
Onde é que elas estão para dar explicações sobre os empates técnicos?

Anónimo disse...

são três. os versos.

joshua disse...

Concordo. Tema-se, por contraponto à bonomia falsa do tiranete despedido, toda a casta de boicotes por parte dos socialistas-socratistas colonos incrustados no Aparelho de Estado para continuarem a emperrar e a sufocar o que emperraram e sufocaram até aqui.

mmpf disse...

Caro João Gonçalves

Não estou de acordo com as observações relativas a Pacheco Pereira. Este, em 2009, acompanhou gente boa do PSD - receio que melhor que a actual - e acreditou ser fácil demonstrar o logro da situação e o caminho do desastre em que estávamos lançados. Enganou-se. Não foi possível. Também não ajudaram aqueles que, internamente, faziam o que podiam para desacreditar a "velhota" (ainda se lembra quem eram?). Ficou mais desconfiado, mais cínico; e receou, tal como muita gente, que a reprovação do PEC-IV interrompesse a "demonstração" final do "admirável líder". Voltou a enganar-se. Ainda bem. Mas a minha consideração por ele permanece intacta. Espero que continue, por muitos e bons anos, a estimular-nos a reflectir sobre... tudo.
Cumprimentos,
mmpf

Anónimo disse...

Não considerando que os maiores jornais e canais de TV têm cronistas especializados em bater no 'ceguinho', cronistas que vomitam odio por todos os poros, acho que a afirmação "a pior imprensa de sempre" é completamente irracional...

Isabel disse...

A tirania medíocre e enfatuada caiu. Hoje respira-se melhor e há esperança. Não esquecerei, contudo, a janela que este blog sempre abriu para que se pudesse deixar entrar o ar. Dias houve em que teria sido difícil resistir sem nele poder deixar um ou outro desabafo ou, ainda, encontrar informação descontaminada.Obrigada.