3.6.11

CASTIGO SEM DESCULPA DO SOCRATISMO

«O PS histórico necessita de se redimir pela derrota, idealmente uma derrota pesada, um castigo sem desculpa do socratismo, para se poder reconciliar com o país, com a sua tradição democrática e até com a verdade, que tão mal tem sido tratada pelos seus actuais líderes.»



14 comentários:

Cáustico disse...

O socialismo de merda precisa de ser castigado e bem. E não apenas pelo comportamento indecente do grande canalha, mas também pela aceitação que os restantes membros da quadrilha, os canalhinhas, deram a tal comportamento.

Anónimo disse...

O JMF é aqui citado, neste blogue cultural?

O que o ódio a Sócrates faz a pessoas inteligentes!

kamarada Spartakus disse...

e porque estamos a entrar em período de reflexão, aqui fica o meu modesto contributo:

http://blaguedeesquerda.blogspot.com/

Anónimo disse...

O "ódio" é uma paixão e por isso sempre de evitar como forma de esbanjar energias, assim tornadas improdutivas. Mas o ódio a pinto-de-sousa é legítimo e, neste caso, necessário. O próprio PS - que não passa de uma sombra do que foi no passado - devia odiar sócrates. Além disso existem momentos em que o ódio é irreprimível, revestindo depois várias características conforme o 'odiador' e o odiado: o ódio a Mussolini, o ódio a Saddam, o ódio a Ceusescu, o ódio de Claudius (claudicante-côxo e encornado) a Valéria Messalina (bela e fodilhona). O País foi encornado e burlado por um peralvilho de província que adornou a carcaça com fatos caros; para que esta paixão seja aplacada e lavada é necessário vergastar sócrates, rasgar-lhe os glúteos patéticos à chibatada, fazer correr sangue. Pois que corra à farta.

Ass.: Besta Imunda

Pensamento em revoluçao... disse...

Oxalá o ódio fosse produtivo! Assim o cidadão "abria a pestana" e tornar-se-ia mais interventivo e menos passivo!
Não permitindo que menosprezem a sua inteligência!!!!

César disse...

O grande líder acaba de atirar a toalha ao chão aqui http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=488729

A raiva inata, o ressentimento e a mitomania fizeram-lhe declarar publicamente a derrota dois dias antes das eleições. Ao mesmo tempo que se faz de vítima, ainda deixa ameaças contra quem não aceitou ser ser súbdito.
Um patife execrável. Precisaremos de décadas para limpar Portugal e os portugueses do veneno em que nos mergulhou.

Justiniano disse...

Sem dúvida!! Das pouquíssimas coisas acertadas que li ao JMF!!

Cáustico disse...

Só ficarei inteiramente satisfeito quando vir o grande canalha a espumar de raiva e com um espernear incontido, quando tudo o que escondeu seja do conhecimento público, quando os actos ignóbeis que praticou não possam ser mais escondidos, quando todas as farjadices em que teve participação preponderante possam ser julgadas como acontece com qualquer cidadão que actua ao arrepio da lei.

Anónimo disse...

...por outro lado o raciocínio de Basílio Horta tem um funcionamento misterioso - tal como o de Lula no "Coração Selvagem": segundo este honrado cavalheiro "um governo de direita não durará 1 ano", demonstrando que sócrates e o PS jamais cumpririam o que assinaram (mais uma burla socialista) com os prestamistas, e jamais reformariam o que quer que fosse. Cumprindo o acordo e fazendo reformas, o governo (a direita) enfrentará a Inter do sr. silva e a 'União' do sr. proença, ambas em fúria. Mais um alarve promotor da ideia calabresa d' "O Zé faz falta". Ou talvez apenas seja debilidade moral e intelectual.

Ass.: Besta Imunda

Alves Pimenta disse...

Tudo indica que o Basílio continua a mijar na cama.
De notar que não estou a usar uma metáfora. Quem, como eu, o conhece há uns 40 anos sabe bem do que falo.
Mas fiquemos por aqui, por hoje. Se for preciso, para a semana há mais.

Anónimo disse...

E para terminar a campanha, como noticia o Sol em artigo para recordar, a marca do que foi e sempre será o socratismo aqui está: «Os conffetis deram um ar de campanha à americana à arruada. Neste último dia, como no primeiro, indianos e paquistaneses aplaudiram Sócrates. E foram eles, maioritariamente, que surgiram nas janelas da Rua Augusta para lançar papelinhos coloridos.»
Poderiam ser putas a atirar as coisinhas, mas apesar da crise ninguém se lembrou de tal. Ou terá sido o preconceito?

Anónimo disse...

Por mais paradoxal que pareça, o PS precisa urgentemente de perder as eleições. E precisa de uma derrota estrondosa, a ver se acorda e se regenera, o partido e os que o apoiam.Oxalá isso aconteça já no próximo domingo.

Anónimo disse...

Basilio e Freitas fariam sentir vergonha a Adelino Amaro da Costa, se fosse vivo.

Anónimo disse...

Estou-me nas tintas para o peiésse (nunca lhes dei um único voto nem tenciono dar algum dia) mas quanto à derrota estrondosa, alinho. O dito cujo, de facto, agrava o que penso a prop
osito dessa quadrilha.

PC