12.6.11

A FRANQUEZA

«Este é o momento de se correr atrás de lugares…», aconselhou aos seus pares um dirigente do CDS de Beja. Nem sequer dá para ir a pé, em marcha lenta e à vontade. Corram.

10 comentários:

Carlos Azevedo disse...

Raios os partam. Nem nos dão tempo para apreciarmos devidamente a saída de cena de Sócrates.

floribundus disse...

não recordo que escreveu
«à quente romaria do futuro
não vão homens obesos e cansados»

começou nova maratona
passou da Abrantes para Bêja

Mani Pulite disse...

DOS LUGARES E DA MASSA.AS MÃEZINHAS JÁ ANDAM NUM FRENESIM A COMPRAR PORQUINHOS PARA ARRECADAREM TODO O TACO QUE PUDEREM ABARBATADO PELOS FILHOTES.VÃO SER DEPOIS ENTERRADOS À SOMBRA DE UM PINHEIRO OU DE UM CHAPARRO.

Anónimo disse...

Eles que corram pois a maior parte já está sob reserva do PSD.

Isto é tudo gente séria!

Anónimo disse...

Um(a) dirigente ... provavelmente terá sido eleita graças às quotas de género ...

Cáustico disse...

Não é habitual tanta franqueza. Costumam proceder pela "surra".

Anónimo disse...

É bom de ver o que nos espera: O assalto ao tacho! Ou melhor, ao pote! O "incentivo" dessa fêmea, merece-me o seguinte comentário: UM VÓMITO!!!

Assim vai a República, com a direita ultramontana assaltando os cargos públicos, como se coisa sua fosse.

A boyada encontra-se em fila...os primeiros receberão a melhor ração.

Miséria de gente, sem dignidade e sem carácter para governar a Nação num momento tão crítico.

Volta Marquês de Pombal que estás perdoado.

MBO disse...

Bom meu caro, parece que a corrida está tesa porque outro partido também parece não ter ficado indiferente quando ouviu "partda, largada , fugida!"

http://direitasupraciliar.blogspot.com/2011/06/quem-vencera.html

Anónimo disse...

Ora aí está uma boa oportunidade, a serem verdade estas declarações, para se dar um importante sinal ao País: demissão deste elemento.

Chega de Parasitismo.

M.S.

Pedro disse...

Sim, sim, despede-se o elemento, acaba-se o parasitismo. O M.S. ingénuo, ainda não percebeu que o elemento tem uma qualidade que os outros não têm: a franqueza, precisamente.