23.2.11

«ERA UM REDONDO VOCÁBULO/UMA SOMA AGRESTE»


Faz hoje anos que morreu José Afonso. Convinha revê-lo para não se confundir alguns gemedores profissionais que alcançam muito sucesso junto do público - enquanto "cantores" e "fadistas" popularuchos ou "nobres" - com a simplicidade aristocrática daquele homem discreto e bom que foi José Afonso, um grande patriota e um grande músico.

15 comentários:

Anónimo disse...

A melhor música dele, o "Redondo Vocábulo". Quem não fica com pele de galinha a ouvi-la tem sérios problemas no sistema nervoso. E sim, é claro que o Zeca Afonso, hoje, não fazia carreira.

Carlos Dias Nunes disse...

Ontem à noite, a RTP transmitiu em directo, durante horas, uma coisa abaixo de cão, em que apareceu a falar com a boca ao lado um tal José Jorge Letria, apresentado como "dr." (imagine-se!) e presidente da Sociedade de Autores (ao que isto chegou!), tudo com um mofo "esquerdista" de enjoar o mais desprovido de olfacto.
Desgraçado país, que não tens emenda possível!

vasco disse...

"E sim, é claro que o Zeca Afonso, hoje, não fazia carreira." A questão nem se coloca nesses termos. José Afonso foi a expressão mais genuína do seu tempo.

vasco disse...

Por exemplo, duvido que alguém hoje tivesse background/escola para recriar a música portuguesa como JA o fez (já não diria o mesmo de Adriano Correia de Olivera, por exemplo). JA pegou no folclore e na música medieval, matérias de estudo a que hoje praticamente ninguém liga (tirando talvez Os Gaiteiros de Lisboa). E quando falo em expressão genuína do seu tempo, quero transmitir também as contradições inerentes desse período. Foi a educação salazarista que fez toda aquela gente.

Fado Alexandrino disse...

Não sabia.
Fui dar uma volta pelas primeiras páginas dos jornais, também não sabem.
Aliás a do Público devia ser emoldurada.

Anónimo disse...

José Afonso é mais acarinhado pelos espanhóis do que pelos portugueses. A sua voz era lindíssima, cantasse ele o que cantasse.

floribundus disse...

o resto era lixo

tenho pena que tivesse pertencido a uma geração de falhados que rebentaram com o rectângulo

Margarida disse...

Zeca Afonso?! Seu maroto!

João Santos disse...

Como cantor nada valia, desde logo porque não tinha nenhuma voz!
Tanto elogio ao Zeca pelo João Gonçalves, faz-me crer que é o João a "esquerdizar" e o Daniel Oliveia a "endireitar"!

João Gonçalves disse...

Não seja ridículo,João Santos.

Raul Correia disse...

"E sim, é claro que o Zeca Afonso, hoje, não fazia carreira."
Claro que faria. Seria a voz musical do Bloco de Esquerda.

Anónimo disse...

É impressionante como a cegueira politica associada à ignorância e iliteracia musical não dão o justo valor a um dos músicos mais notáveis, genuínos e humanos que Portugal teve no século passado.

Ao contrário dos agiotas do nosso tempo e mesmo dos oportunistas pós-PREC, Zeca Afonso tudo deu de si e nada recebeu, nomeadamente desta merda de Estado Social que financia e alimenta tanto poltrão milionário e que negou ajuda nas vésperas da sua morte.

É digno de registo a homenagem que o Dr. João Gonçalves presta aqui ao Zeca Afonso que simplesmente foi a voz e o lamento duma geração que conheceu a emigração, a guerra, o trabalho duro, as prisões, a falta de liberdade.

Zeca Afonso não precisava de marketings, de promoções, de artificialismos das novas teconologias.

Zeca Afonso era a Arte e o Sentimento em pessoa.

Que o seu exemplo e a sua memória perdure por muitos e muitos anos!

carol disse...

Muito bem dito sobre os "cantores" e "fadistas" popularuchos ou não!

Anónimo disse...

Vou-lhes contar: O zé não sabia musica. Nem ler nem escrever nem nad. Era tudo de ouvido: escalas, tons, etc,não topava nada. Gostava de musica e de a fazer mas era um perfeito calão e preguiçoso, que se viu empurrado para a frente e apoiado pela esquerda.
Agora agarrem-se: Se lhe oferecessem um emprego a fazer musica para o estado (para os restos do estado novo)ele teria aceitado.
Agora ouçam a musica, que era boa, mas não pensem que o homem acreditava 100% naquilo...

Anónimo disse...

Antes das musicas era professsor de matematica...