9.2.11

UMA VERGONHA


Com um orgulho néscio, Isabel Alçada anunciou que o Estado vai "poupar" quatrocentos e trinta e nove euros por cada aluno do ensino público. O ridículo da coisa - e desta cegueira com os cortes - consiste em que estas "poupanças" vão todas direitinhas (e como estão longe de chegar para o efeito) para "ajudar" a pagar os juros da dívida. Nas "novas fronteiras" soviéticas a "aposta" virtual é na educação - a real é no betão escolar e nos estúpidos Magalhães. Mas na cabeça da ministra (mandaram-na fazer esta tristíssima figura, coitada), a qualificação já se mede em euros, em menos euros, como se as escolas fossem "lugares da fruta" geridos por merceeiros de lápis atrás da orelha. Uma vergonha.

14 comentários:

Anónimo disse...

Este poder executivo já fede a cadáver. Vão-se embora, porra.

Hermitage disse...

O NÚMERO

O artista de S. Bento dizia esta manhã que o NÚMERO da receita, abria grandes perspectivas. E acrescentava que era um bom número, um número que era um sinal, um número que queria dizer que estamos no bom caminho, que era um número que tranquiliza, um número que era uma boa notícia, um número que vale a pena pró futuro, um número a que os mercados devem atender, um número...


Mas que mal fizemos nós a Deus Nosso Senhor para aturarmos estes números, dia após dia?

Nossa Senhora de Belém e S. Jerónimo nos salvem!!!

Nunca mais é dia nove do três.

burns disse...

a betinha do liceu francês dá dó mas o merceeiro está lá,só falta porem o lápis atrás da orelha do burro do valter lemos,ou acha que aquela cara engana?

carol disse...

Para vir o PSD, porra?!
Mas ela - a ministra - so faz aquelas figurinhas (bem tristes) porque quer, não é porque a mandam...

Sebenta do Mondego disse...

Cada vez que um membro do governo se pronuncia é para dar uma facada no país!

Anónimo disse...

Estamos a atingir o limite do suportável...

Todos os dias constato, em conversa com Amigos e Colegas de Trabalho, que algo de muito complicado está para vir.

O sufoco de todos aqueles que, sendo trabalhadores por conta de outrém, sentem esta sangria nos seus salários, no custo do dia-a-dia, não augura nada de bom.

Os Empresários e Empresas deste País, à excepção do Grande Poder Económico (e muito dado a ligações com o Poder político), estão à beira do abismo.

Os Reformados são expoliados, em nome de um País pelo qual lutaram e sofreram.

Agora a Educação também serve de "exemplo". Não interessa como, com que critério, nem em que circunstância. O importante é que se corta um "x" por cabeça.

Sente-se o cheiro a bafio de um sistema decadente e sem viabilidade.

Aos senhores políticos deste País, para memória futura, depois não digam que não era expectável...

M.S.

Cáustico disse...

Quatrocentos e trinta e nove euros de poupança por cada aluno do ensino público. A imbecilidade do socialismo de merda põe as coisas sempre ao contrário. Deliraram com uma possível poupança na educação. Mas não são capazes de nos dizerem quanto seria poupado se os governantes trabalhassem como deve ser, seguindo o exemplo do Professor Salazar, se abdicassem de assessores, como fazia o Professor Salazar, se reduzissem ao mínimo os gastos com combustíveis, motoristas,viagens,telefones, despesas de representação e muitos outros que não chegam ao conhecimento público, e que o Professor Salazar não fazia.
Só estão preocupados em poupar onde não devem.
Atrás de mim virá, quem de mim bom fará.

Anónimo disse...

Há que poupar, João.

Sócrates tem toda a razão.

O buraco do BPN tem que ser pago, e não vai ser pelos seus accionistas, que como todos nós sabemos vivem num bairro degradado lá para os lados de Albufeira...

floribundus disse...

SS malhadinhas foi a Belém 'levar' na mona lisa

antónio chuchado disse...

"Uma vergonha" para o cidadão comum, não para o bando capitaneado pelo pavão de S. Bento.

antónio chuchado

S.C. disse...

Ainda bem que não se deixou iludir muito tempo pelo charme que viu na senhora... era mais ignorância e inconsciência de quem dava um passo muito mas muito maior que a perna... como o tempo veio mostrar, infelizmente.

Anónimo disse...

Ela só se limita a dar seguimento à politica da Lurdes socrática ..

Ou, o que é que pensam que foi a reforma do ensino musical?

one hundred trillion dollars disse...

e o que são as escolas senão couto de previlégios e máquinas de exames

públicas ou privadas pouco destoam das do estado novo

formam funcionários não formam alunos
deformam-se alunos

Anónimo disse...

Seria bom se as escolas fossem lugares de fruta controlados por merceeiro.
Aliás ensinar a ser Merceeiro deveria ser a primeira coisa a aprender na escola.

O desprezo da Elite sobre-educada da qual faz parte João Gonçalves pelos Merceeiros demonstra bem porque chegámos onde chegámos. Ainda não aprenderam.

Um merceeiro é alguém gere a sua a vida, é ser independente e aliás é mais social que todos os Socialistas e Sociais Democratas juntos.
A sua subsistência está dependente da Sociedade. Seria um bom exemplo para a Elite sobre educada. Mas a elite sobre educada está preocupada coma estética não com a ética.

Esta Elite Sobre-educada nem sequer tem inteligência para perceber o paradoxo.
"Não seja merceeiro" é uma expressão de desprezo pelo dinheiro, como que a dizer não é assim tão importante para ser contado, curiosamente utilizada para defender o seu uso para uma coisa de suprema importância para quem o diz.

lucklucky