27.1.08

OS NOSSOS

Sócrates esteve num encontro de paróquia em Setúbal. Defendeu o "seu" Major Silva Pais das "actividades económicas", o dr. Nunes. Fica sempre bem a defesa dos nossos.

6 comentários:

mariana tarela disse...

Aré parece que esteve numa reunião concelhia partidária em que se disse: Oh pá , não digam mal que ele é do partido!!
Como sabe coisas dessas?

Anónimo disse...

Não sou do PS, nem sei se o sr Nunes das cigarrilhas é. Talvez seja. Mas prefiro que ele actue, que entre em força pelos restaurantes. Prefiro isso que comer gato. É que por mais que existam livros de reclamações, os negociantes de baixo nível não desaparecem. Nem os comentadores, verdade seja dita...

aires disse...

que disparate, penso que, sr João Gonçalves...
o sr. sabe o que foi a PIDE?
não há nada mais relevante, na sua perspectiva, para tratar, que dizer esta baboseira?
No caso do BdP provavelmente dirá que se interveio "de menos", na ASAE que se intervem "de mais"...
ora abóbora...
as leis que exsitem ou se respeitam, ou se mudam, claro com bom senso q.b.
mas não tem mesmo matérias mais importantes a pensar, a escrever, a provocar discussão?
cpmts

aviador disse...

Você que é tão católico parece não ter um minimo de honestidade e ética ao vir com essa do Silva Pais.
Parece impossivél ao que chega a cegueira partidária ou ideológica ( para o que é vem dar no mesmo).

Que aberração!

Kruzes Kanhoto disse...

Sóocrates vaiado em Évora...http://kruzeskanhoto.blogs.sapo.pt/145816.html

Nuno Castelo-Branco disse...

Para os comentadores Aires e Aviador.
Na verdade, compreendo a vossa exaltação com o termo pide, mas creio bem que quem aqui o usa, pretende somente chamar a atenção de todos, quanto a certos e claros indícios de prepotência, abuso de poder e compadrio. São os nossos donos quem fornece as "evidence", basta ligar o His Master Voice, vulgo rtp. E para que a coisa não se repita, há que forçar a nota. Os donos bem queriam que encolhessemos os ombros, como FOI costume. Mas está bem, se pretendem que naveguemos na net com a mesma tranquilidade dos persas ou dos pequineses, ok.